CORRESPONDÊNCIAS TROCADAS COM O PRESBÍTERO MARCELO MOLINA, CONGREGADO EM UMA IGREJA METODISTA ORTODOXA - RJ



                Faz-se necessário ressaltar que as mensagens foram por demais extensas e, por isso, será exposto aqui somente um resumo dos principais temas abordados. O diálogo iniciou-se com a minha argumentação, junto ao Sr. Marcelo, acerca das Traduções Bíblicas. Posteriormente, recebi uma mensagem cujo teor registrava, após chegarmos ao ponto certo da questão, que a alteração da Bíblia, com acréscimos de palavras que não existiam na época da transcrição das Sagradas Escrituras, não afetava os Ensinamentos contidos nos Evangelhos, segundo as palavras do Presbítero Marcelo Molina. Vamos por partes :



CARTA POR MIM ENVIADA A MARCELO MOLINA :

   ...

   ......

   .........

                O âmago da Questão por mim enfocada refere-se às mudanças nos Textos Sagrados feitas EXCLUSIVAMENTE para atacar a Doutrina Espírita e ESCAMOTEAR a Reencarnação. Reproduzo, portanto, algumas Passagens da Bíblia, para não deixar dúvidas. Ressalto também que não se trata de adaptações de termos que não existiam na época ou interpretações que visassem adequar os textos à realidade atual :

OBS.: Os exames das Passagens da Bíblia descritas abaixo, foram obtidos do Livro : "Analisando as Traduções Bíblicas", de Severino Celestino, Ideia Editora. Mais detalhes, inclusive com scanners dos códices em Hebraico e Grego, podem ser vistos no Site : http://jefferson.freetzi.com, no Acesso : TEXTOS - Texto 4.


A) Levítico ( 20 : 6 )

Expressão Traduzida Resultante do Original Hebraico :

"Contra esse ser ou alma que vai diante dos necromantes e dos adivinhos para se prostituir seguindo-os, eu darei as minhas faces e eu os cortarei de dentro de seu povo".


No entanto, observe a tradução feita pelas seguintes Bíblias :


* 35ª Edição da Bíblia, realizada pelo Centro Bíblico Católico, Editora Ave Maria :

"Se alguém se dirigir aos Espíritas ou aos adivinhos para fornicar com eles, voltarei meu rosto contra esse homem e o cortarei do meio de seu povo."


* Testemunhas de Jeová, primeira Edição,1967:

"Quanto à alma que se vira para os médiuns espíritas e para os prognosticadores profissionais de eventos, a fim de ter relações imorais com eles, certamente porei minha face contra essa alma e a deceparei dentre seu povo."


                Perguntamos : De onde as Traduções Católicas e das Testemunhas de Jeová tiraram as palavras : "médium, espírita, profissionais de eventos, relações imorais" ??? Uma vez que essas Palavras NÃO constam do original em Hebraico ??? E nem poderiam constar, pois, por exemplo, a palavra "médium" foi criada por Kardec em 1857, ou seja, milênios após as escrituras do Velho Testamento !!!


                Acompanhe agora, a análise do Deuteronômio 18, o mais citado dos textos contra o Espiritismo :


Expressão Traduzida Resultante do Original Hebraico :

"Quando entrares na terra que Iahvéh, teu Deus, te dá, não aprendas a fazer as abominações daquelas nações. Não se achará entre ti quem faça passar seu filho ou sua filha pelo fogo, nem adivinhador, nem feiticeiros, nem agoureiro, nem cartomante, nem bruxo, nem mago ou semelhante, nem quem consulte o necromante e o adivinho, nem quem exija a presença dos mortos."


                Observe agora, as traduções feitas pelas seguintes Bíblias :


* 35ª Edição da Bíblia, realizada pelo Centro Bíblico Católico, Editora Ave Maria :

"Quando tiveres entrado na terra que o Senhor, teu Deus, te dá, não te porá a imitar as práticas abomináveis da gente daquela terra. Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo, à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou a evocação dos mortos."


* Testemunhas de Jeová :

"Quando tiveres entrado na terra que Jeová, teu Deus, te dá, não deves aprender a fazer as coisas detestáveis dessas nações. Não se deve achar em ti alguém que faça seu filho ou sua filha passar pelo fogo, alguém que empregue adivinhações, algum praticante de magia ou quem procure presságios, ou um feiticeiro, ou alguém que prenda outros com encantamentos, ou alguém que vá consultar um médium espírita, ou um prognosticador profissional de eventos, ou alguém que consulte os mortos."


                Perguntamos mais uma vez : De onde as Traduções Católicas e das Testemunhas de Jeová tiraram as palavras : "astrólogos", "espírita", e "médium" ??? Podemos ver claramente que essas Palavras NÃO constam do original em Hebraico !!!



                A seguir, Passagens da Bíblia sobre os Profetas e a Reencarnação :

Ezequiel 37 : 11 – 14

Expressão Traduzida Resultante do Original Hebraico :

" E disse a mim : Filho do homem, estes ossos são toda a casa de Israel. Eis que dizem : Os nossos ossos estão secos e está perdida a nossa esperança. Por isso, profetiza e dize-lhes : Assim diz Adonai, o Senhor Deus : Eis que eu abro vossas sepulturas e vos farei sair delas, ó povo meu e vos reconduzirei à terra de Israel. Saberão que eu sou Iahvéh quando eu abrir os vossos túmulos e vos elevar de vossas sepulturas, ó povo meu. E dei sobre vós o meu espírito e revivereis e reporei a vós sobre a vossa terra. E eles saberão que eu sou Iahvéh, disse isto e fiz o oráculo de Iahvéh."

( destaque em negrito feito por mim )

OBS : Note que Iahvéh ( Deus ) fecha o sentido de renascimento, mostrando que os ossos simbolizam o povo de Israel e que Ele fará reencarnar a todos, retirando-os dos seus túmulos e fazendo-os voltar reencarnados à sua terra. Ele ( Deus ) não fala que os retiraria na ressurreição do último dia, mas que os retiraria da sepultura, fazendo-os renascer e para voltar à terra de Israel, e não aos céus. Aqui não existe dúvida sobre a Reencarnação e esclarece sobre a inexistência de um último dia para a ressurreição, pois Deus fala : " Reporei a vós sobre a vossa TERRA ", portanto, voltar à terra não é ressuscitar e sim reencarnar !!!

                E tudo o que foi dito acima é confirmado por estudos dos segmentos dos textos em hebraico. A transliteração e a respectiva tradução dos mesmos, foi um exaustivo trabalho do Escritor Severino Celestino, auxiliado pelo Israelita Avraham Avdan. As regras utilizadas para transliteração foram baseadas nas normas gerais estabelecidas pela Academia da Língua hebraica, em 1956 e 1957. Também foram utilizadas as adaptações gramaticais de Gordon Chown, Guilherme Kerr, W. Hollenberg e do Sidur ( Livro de Orações Judaicas ), organizado por J. Fridlin. Os textos Gregos do Novo Testamento tiveram como base de pesquisa, as Coleções Champlin R. N., em 6 volumes e a United Bible Societies, em 1989.


                Mudando de assunto, quero deixar bem claro que sempre fui fiel aos Mandamentos de Jesus. Fui Católico até os meus 27 anos. Meus Pais são Católicos até hoje. Parte de minha formação Religiosa e do meu caráter se devem aos ensinos que recebi da Igreja durante boa parte de minha vida. Descobri na Doutrina de Kardec, um sentido para a Vida e uma postura mais equilibrada. Minha fé em Cristo nunca mudou. Sou seguidor incondicional de Jesus. Hoje, não me revolto tanto com as adversidades do dia-a-dia, pois tudo tem uma razão de ser. Tudo o que passamos tem um ensinamento embutido. Basta que saibamos aproveitar bem as lições da vida e analisarmos as razões dos acontecimentos. Acredito que através do diálogo, podemos atingir o equilíbrio e o discernimento dos fatos. E é isso que eu espero. O que ocorre é que, muitos interpretam as Sagradas Escrituras da maneira que melhor lhes convêm, e isso é que gera os conflitos entre as Religiões. E TODOS SE DIZEM OS DONOS DA VERDADE, não admitindo que as outras Religiões também sejam seguidoras dos Ensinamentos Cristãos.

                Respeito muitíssimo sua posição ao não aceitar a pluralidade das existências, mas não concordo que a Reencarnação invalida a obra redentora de Jesus Cristo na Cruz do Calvário. Explico melhor :

                É evidente que o Cristo de Deus é o Salvador da Humanidade, oferecendo sua Mensagem de vida eterna como roteiro, como o caminho e a verdade que Ele mesmo se proclamou. Ele é exemplificação e modelo, mas compete a cada criatura seguir o caminho indicado por Jesus, com esforço, com amor, com dedicação e não ficar de braços cruzados, uma vez que já estaria salvo pelo sacrifício de Cristo no Calvário. Pregar que a redenção da criatura se faz unicamente pela Cruz e não pelo esforço de cada um, é incentivar a indiferença pela vida, igualando bons e maus. É, igualmente, desprezar a Justiça Divina, na sua função de dar a cada um segundo suas obras, como ensinou o Cristo.   REPITO : Como ensinou Cristo, em Mateus 16:27.

                A missão maior de Jesus, foi antes de tudo, mostrar o caminho da salvação e não nos dar a perfeição sem que nada tivéssemos feito por merecê-la. Não parece meio estranho sermos salvos porque algumas pessoas usaram de violência e mataram um inocente ???   Foi esse o prêmio que Jesus nos deu por O termos matado ???   Prefiro crer que serei salvo porque Jesus viveu e não porque O matamos.

                O Senhor disse que já foi Espírita. Bem, Eu havia dito que fui Católico e que hoje sou Espírita. Mas antes, quando Eu era Católico, eu achava que Espiritismo era tudo ligado à Umbanda, Candomblé, etc. Eu achava que havia Espiritismo de Mesa Branca e outras divisões, e tinha poucas informações da Doutrina de Kardec, o qual respeita essas crenças, mas a Filosofia é completamente diferente.

                O Senhor disse : "Quando consultamos a um espírito...". Sinceramente, fiquei surpreso, pois no Kardecismo não se faz "Consultas a Espíritos" !!! Isso é definitivamente contrário aos princípios Kardequianos. O que se faz, de um modo geral, é uma doutrinação de Espíritos perturbados, auxiliados por Espíritos de Escol. As outras Religiões "podem" fazer a sua interpretação do que se passa nas Sociedades Espíritas. Tudo bem ! É um direito que Elas têm.

                Pergunto : O Senhor, quando Espírita, tinha conhecimentos básicos do Kardecismo ? Lia os Livros da Codificação Espírita ? Enfim, qual foi a sua ligação com o Espiritismo ?

                Senhor Marcelo, não procuramos espíritos como orientadores, como foi dito em sua mensagem. Sempre procuramos Cristo para nos orientar. Somente Cristo pode dar a orientação certa e de que tanto precisamos. O que existem, na minha opinião, são espíritos bons e maus, que já viveram aqui. Muitos deles ainda não obtiveram evolução, e portanto nos influenciam de maneira negativa, podendo prejudicar, e muito, nossas vidas. Assim, devemos manter nossos pensamentos em elevada sintonia com Jesus, para não dar guarida a espíritos impuros.

                Mais uma vez obrigado. Sinceramente, gostei muito de dialogar com o Senhor. Tenho sim, um Site, mas este não é exatamente o anteriormente mencionado. O endereço da minha Home Page ( Polêmica Religiosa ) pode ser acessado ao final da URL, já citada :

http://jefferson.freetzi.com/Hebraico2.html

                Mas, se o Senhor quiser acessar diretamente o meu Site, o endereço é :

http://jefferson.freetzi.com

Abraços Fraternos

Jefferson





RESPOSTA ENVIADA POR MARCELO MOLINA, EM 21.07.02


Caro Jefferson

                Recebi seu e-mail juntamente com o anexo o qual você me enviou, diante do qual muito me preocupei a seu respeito. Percebo que há em você o que podemos chamar de "fome e sede de justiça". E quem nos tempos atuais não possui esta sede? De fato muito tem deixado a desejar as religiões e as mais diversas crenças, as quais muitas vezes tem complicado, ofuscado e afastado as pessoas de Deus pelo seus péssimos exemplos deixados no decorrer dos anos.

                Meus pais eram espíritas praticantes, ligados ao candomblé, herança esta que os meus avós nos legou. Apesar deles serem desta religião, eu mesmo nunca me simpatizei com a mesma, pois tinha ciência desta pertencer ao maligno e, por motivo de consciência e medo, não queria me envolver. Entretanto, sofri muito devido ao envolvimento indireto com esta religião. Minha irmã, Marcelaine, ainda hoje sofre muito.

                Jefferson, algumas coisas que citarei aqui poderão não ser muito agradáveis, mas acho que nós devemos analisar tudo: as coisas boas e as ruins. Disso tudo devemos filtrar o que é certo e do que é errado; o que é verdadeiro do que é falso. Estarei falando de Hippolyte Leon Denizard Rivail (Allan Kardec) e outros líderes espíritas. Por favor, compreenda. Sei também a história do cristianismo, do protestantismo, do catolicismo e de vários líderes evangélicos, bem como seus erros e coisas vergonhosas que cometeram. Não só admito isso como também não me escondo destas verdades. Isso não me afeta. Aliás, até me ensina e me faz crescer, pois o meu exemplo de vida é Jesus.

                Jefferson, em sua carta você afirmou que houve alguns acréscimos no versículo de Levítico 20.6 quando os católicos substituem a palavra necromante por espírita ou médium. Você me pergunta por que eu não comentei sobre isso. Gostaria de deixar aqui o que penso, apesar de eu não ter muita afinidade com literaturas católicas e das Testemunhas de Jeová.

                É fácil deduzir o motivo que levou tanto os católicos como as Testemunhas de Jeová a substituírem a palavra necromante por espírita. A palavra necromante significa, aquele que invoca mortos, que entra em contato com espíritos de mortos e especificamente são os espíritas que desenvolvem estas atividades em nosso país, sejam eles umbandistas, candomblecistas, Kardecistas, etc. Esta palavra assume um significado mais abrangente e não somente o de invocar, mas também "manter contato", "relacionar-se". Dizer que os Kardecistas não se envolvem com espíritos de mortos é basicamente dizer que o kardecismo não existe! Portanto, é muito apropriada a colocação, ainda que os termos usados - Espiritismo e médium - não sejam tão antigos. Simplesmente é o correspondente às atividades que pessoas praticavam naqueles tempos, para os dias atuais. Ainda que você diga que os Espíritas não buscam orientação nos espíritos, veja a afirmação de Carlos Imbassay, escritor espírita:

                "O espiritismo não é um ramo do Cristianismo como as demais seitas Cristãs. Não assenta seus princípios nas Escrituras... a nossa base é o ensino dos espíritos, daí o nome - Espiritismo." (Carlos Imbassy, À Margem do Espiritismo, p. 126)

                Bom, como pode ser esse negócio de dizer que não recebe orientação dos espírito e ao mesmo tempo dizer que a base do espiritismo é o ensinos dos espíritos? Isso significa que os espíritos ensinam os espíritas. De fato, sincero como você é, Jefferson (sinto isso) o Espiritismo não calca suas bases nas Escrituras Sagradas, tal qual afirma o escritor acima citado. Também poderia extrair a mesma afirmação de outros escritores espíritas, e mesmo de Kardec. Você que tem afinidade com as literaturas espíritas já deve ter percebido isso. São os Espíritos que ditam as doutrinas, as quais serão (ou foram) comparadas com coletâneas de diversas regiões e serão validadas no ponto em que mais se assemelharem.

                O alicerce sobre o qual se apóiam as doutrinas espíritas é a crença de que podemos nos comunicar com os espíritos das pessoas que já morreram. Essa comunicação (segundo afirma o espiritismo) é feita com dupla finalidade: a fim de continuarem sua evolução espiritual no além, os espíritos procuram “tomar emprestado” (através de incorporação) o corpo das pessoas. Esta seria a primeira finalidade de sua comunicação com os vivos, isto é praticar a necromancia. A segunda seria ajudar os seres humanos a praticar caridade e orientá-los em tudo, enquanto eles próprios (os espíritos) aguardam o momento de tornar a nascer (reencarnar), para através do sofrimento, pagar os erros que cometeram nas outras encarnações, ou aperfeiçoarem-se através da pratica da caridade.

                Esses engenhosos entrelaçamento de idéias foi apresentado ao mundo pelo ex-professor francês Leon Hippolyte Denizart Rivail – o verdadeiro nome de Allan Kardec, que em 1857, ao lançar o Livro dos Espíritos, deu início à Doutrina Espírita.

                A base da doutrina espírita é a codificação de Allan Kardec das mensagens recebidas por médiuns de várias regiões, dadas por espíritos. Isso significa que há um contato com os espíritos. Ainda que houvesse um argumento dizendo que espiritismo não é necromancia, a margem que poderia separar ambos seria muito estreita, devido suas semelhanças, uma vez que necromancia é o contato com espíritos de mortos, e a base do espiritismo também o é. O máximo que o espiritismo kardecista poderia alcançar seria o título de “necromancia light”.

                Nas mensagens escritas (psicografadas), os médiuns costumam colocar (com o intuito de impressionar o povo), o nome de filósofos, antigos escritores cristãos, poetas e padres. Em seus livros, o codificador do espiritismo, Allan Kardec, usou e abusou desse artifício. O médium Francisco Cândido Xavier (Chico Xavier) chegou a publicar um livro, o Parnaso do Além-Túmulo, contendo, segundo ele, poesias de conhecidos poetas brasileiros já falecidos, como Humberto de Campos, Olavo Bilac, Augusto dos Anjos e outros. Essas pessoas, depois de mortas, viraram espíritas, dizem os médiuns!...

                Teólogos, pregadores, e escritores cristão já falecidos “baixam” durante sessões espíritas para negar tudo aquilo que haviam afirmado quando vivos. Essas mensagens, de caráter inegavelmente anticristãs, antibíblicas e até blasfematórias, exaltam as “virtudes” do espiritismo. Isto é, inegavelmente, o cumprimento de 1 Timóteo 4.1, e a grande prova de que Satanás, o pai da mentira (João 8.44), está fazendo uso de inúmeros meios para enganar a humanidade, pois ele sabe que pouco tempo lhe resta.

                No Livro dos Médiuns (FEB, 20º edição) Allan Kardec afirma que “há falsários no mundo dos espíritos como há neste” (p. 273). E estas importantes revelações começam a complicar a situação dos que se submetem às práticas espíritas, ao saber-se que sessões do espiritismo estão sujeitas à atuação de espíritos perversos. Kardec diz que “os espíritos perversos são capazes de todos os ardis”(p. 281). Enganam as pessoas que freqüentam esses ambientes penumbrosos e suspeitos do espiritismo. Para tanto, “identificam-se com os hábitos daqueles a quem falam e adotam os nomes mais apropriados a causar forte impressão nos homens por efeito de suas crenças” (p.285). Que confissão!

                Muitas vezes, durante suas enganosas argumentações, os doutrinadores espíritas, numa linguagem “mansa” e “reverente”, citam os textos bíblicos que, aparentemente, apóiam seus errôneos ensinamentos, mas são capazes de desconhecer imediatamente a Bíblia como um livro infalível, autêntico e divinamente inspirado, de rotulá-la como velha e ultrapassada e de negar, furiosos, que ela seja a Palavra de Deus, quando um evangélico cita um ou alguns dos muitos versículos ou passagens bíblicas que condenam as práticas e as doutrinas espíritas.

                Enganados estão todos aqueles que supõem ter Allan Kardec respeitado, durante o seu trabalho como codificador do espiritismo, a autoridade da Bíblia. Para ele ela está cheia de erros: “A Bíblia, evidentemente, encerra fatos que a razão, desenvolvida pela ciência, não poderia hoje aceitar e outros parecem estranhos e derivam de costumes que já não são os nossos”, diz arrogantemente o maioral dos espíritas na página 87 do livro A Gênese.

                Na França, Allan Kardec não esteve sozinho na sua tarefa diabólica de negar a autoridade da Bíblia. Leon Denis, na condição de continuador e divulgador de suas idéias, escreveu vários livros. Muitos deles foram traduzidos para o português, e hoje são muitos deles apreciados pelos espíritas brasileiros. Entre as obras de Leon Denis, há um livro intitulado Cristianismo e Espiritismo, que nega, entre outras coisas, a inspiração da Bíblia. Na página 130 desse livro (Cito a 5º edição da FEB), Denis afirma que a Bíblia “não pode ser considerada produto da inspiração divina”. Ela é “de origem puramente humana, semeada de ficções e alegorias, sob as quais o pensamento filosófico se dissimula e desaparece o mais das vezes”. Aí está, caro Jefferson, mais um renomado doutrinador espírita mostrando a natureza visceralmente anticristã, antibíblica, irreverente a blasfematória do espiritismo.

                Saibam também os espíritas que “Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça” (2 Timóteo 3.16). São injustas, enganosas e inspiradas por Satanás as afirmações que põem em dúvida a inspiração divina da Palavra de Deus, “porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto homens falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo”(2 Pedro 1.21).

                Quanto a passagem de Ezequiel (37.11-14) que você citou, também existe algumas coisas que devem ser consideradas. Veja, devemos lembrar a condição a qual estava subjugada a nação de Israel. Todo este simbolismo nada mais era do que as boas novas anunciadas por Deus através do profeta ao seu povo. O que Deus estava querendo dizer é que durante o exílio na Babilônia, os Israelitas, como nação, estavam como mortos. A prisão do povo era comparada a um cadáver (nação de Israel) em uma sepultura (Babilônia). Daí, como que um milagre, Deus os vivificaria como nação e restauraria a nação ao seu estado original. Por isso a expressão “Reporei a vós sobre a vossa terra” (voltariam à sua terra natal). Para um melhor aproveitamento, veja o Salmo 126. Nem o contexto e nem tampouco o versículo citado provam coisa alguma acerca da reencarnação. Ezequiel foi levado à Babilônia na segunda deportação de Judá, enquanto Daniel foi na primeira. Ezequiel, tal como o apóstolo João, profetizou fora da sua terra natal, mas a profecia dos três segue o método de símbolo e visão. Ezequiel era diferente dos profetas anteriores ao Exílio, cujo ministério foi geralmente dirigido ou a Judá ou a Israel. Ezequiel é a voz de Deus para “toda a casa de Israel” que encontrava-se angustiada na Babilônia, quando exilados.

                De acordo com o que você sugeriu, a salvação acontece com o esforço de cada indivíduo. Tal sugestão não subsiste diante da afirmação do apóstolo Paulo, quando diz:

                “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie” (Ef 2.8-9 - grifo meu).

                O problema é que a salvação é tão simples e maravilhosa que não acreditamos que seja verdade. Como diz o ditado, “é bom demais para ser verdade!”. Mas nesse caso é verdade. Como você pode perceber, eu estou somente reforçando aquilo que já está escrito e não estou tentando impor o que penso ou acho. Quem diz isso é a própria Bíblia. De fato isso não tem valor algum para quem não crê na Bíblia, o que não é seu caso, pois em sua carta você afirma amar Jesus de coração e faz diversos usos citando versículos bíblicos.

                Em sua carta você diz:

                Não parece meio estranho sermos salvos porque algumas pessoas usaram de violência e mataram um inocente ??? Esse foi o prêmio que Jesus nos deu por O termos matado ???

                Ainda que pareça estranho essa é a realidade!!! De acordo com a Palavra de Deus, o salário do pecado é a morte, mas o dom GRATUITO de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus (Romanos 3.23-26; 6.23). Se você fizer algo por merecer aí não seria um “dom gratuito”, mas um “salário justo”. O fato é que a Bíblia diz que todos os homens estão debaixo do pecado e miseravelmente destituídos da glória de Deus:

                “Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram”(Romanos 5.12).

                Aqui a morte é claramente associada a uma condição de miséria na qual o homem encontra-se, preso pelo pecado, e não como uma condição de purificação e uma porta para uma segunda oportunidade na qual poderíamos nos redimir dos erros cometidos durante nossa vida.

                Então, veja bem, a morte de Jesus foi de todo significativa, pois é ela quem paga a nossa dívida. Entretanto, o problema não se resume nisso. Ainda, mesmo tendo sido resgatados do pecado morreríamos fisicamente. A segunda parte, a ressurreição de Cristo, abre-nos a porta para uma promessa na qual Deus se compromete em ressuscitar-nos no último dia (João 11.25; Apocalipse 20.4-5). Assim sendo, para que um homem se torne participante da salvação basta reconhecer a Jesus Cristo como único e suficiente salvador, arrepender-se do pecado e confessá-lo (Romanos 10.10-13; 1 João 1.9). De sorte que não são as obras que nos salvam e sim a fé.

                Quanto a sua outra pergunta, também lhe responderei : "O Senhor, quando Espírita, tinha conhecimentos básicos do Kardecismo ? Lia os Livros da Codificação Espírita ? Enfim, qual foi a sua ligação com o Espiritismo ?"

                Eu, quando espírita, não fui doutrinado segundo o espiritismo kardecista. Entretanto, quando lhe respondi, respondi baseado no que é mais comum aos espíritas. Ainda que você diga que é contra os princípios kardequianos a consulta a espíritos, tais consultas realmente ocorrem. Me diga, de onde vieram as doutrinas acerca dos espíritos? Quem foi que revelou as verdades do além a Allan Kardec? Quando digo consulta, estou me referindo também às doutrinas dos espíritos, e também o contato com os mesmos.

                O Espiritismo Kardecista e todas as formas de espiritismo que conhecemos, bem como todas as correntes do baixo espiritismo, nada apresentam de prático que possa provar suas teorias. Os fatos registrados na Imprensa e na História, o espiritismo, como Terceira Revelação, só revelou até agora as obras do Maligno. O alicerce sobre o qual se apóiam as doutrinas espíritas é a crença de que podemos nos comunicar com os espíritos das pessoas que já morreram.

                Assim como a mulher que havia sido enganada no Éden pelo “Pai da mentira” (que se incorporou na serpente e usou-a como médium), outros “grandes médiuns”surgiram no mundo, sobretudo em Paris, “a cidade dos mil falsos profetas”. Entre eles poderíamos citar Alexandre Cagliostro (um homem que praticava a necromancia, a cabala e a oniromancia.

                Porém, nenhum deles serviria tanto aos desígnios do “Pai da Mentira” como iria servir Allan Kardec (Leon Hippolyte Denizart Rivail), que após ler as principais obras sobre ocultismo e fenômenos paranormais existentes na Europa, e receber, das mãos de seus amigos espíritas todo o material que durante vários anos eles haviam recolhido em lugares onde médiuns se reuniam, foi incumbido de ler tudo aquilo e simplificar de modo a que fosse entendido por todos. O resultado desse trabalho foi a criação da doutrina espírita. Mas antes que o codificador do espiritismo entrasse em ação, era conveniente ao “Príncipe deste mundo” que esse movimento fizesse seus primeiros ensaios em grande país... os Estados Unidos, por exemplo, um dos vencedores na Segunda Guerra Mundial, e o mais industrializado de todos eles. Isso atrairia a atenção do resto do mundo. E assim aconteceu.

                Foi atuando entre os membros de uma família norte-americana (pertencente à Igreja Metodista) que Satanás conseguiu atrair, em 31 de março de 1948 (data em que um “comitê de investigação” resolveu fazer umas perguntas ao “fantasma” que estava perturbando aquela família) a atenção da sociedade norte-americana, e, depois, de todos os países civilizados, para a existência de fenômenos classificados de paranormais, (por estarem fora dos limites do normal).

                40 anos depois, toda a verdade foi espontaneamente revelada pelas próprias fundadoras do espiritismo. Apesar de ter sido um acontecimento de imensa repercussão na época, esse fato é hoje quase totalmente desconhecido do povo brasileiro, inclusive da maioria dos espíritas. Esta é a razão pela qual eu divulgo isso aqui. Há muitos espíritas de boa fé, honestos e retos que servem à causa do espiritismo com dedicação, convictos de estarem com a verdade.

                Sem maiores cerimônias, a fundadora do espiritismo confessa: “O Espiritismo é uma praga. Deus tem aposto sua marca contra ele. Chamo-o de praga, pois é utilizado para encobrir pessoas sem coração...” Na seqüência de suas revelações, Margarida Fox cita vários nomes de pessoas (inclusive dum ex-ministro de Portugal) que vivem sendo constantemente enganadas pelos médiuns. (Segundo a concepção do espiritismo, médium é aquele ou aquela que serve de intermediário nas comunicações e manifestações entre vivos e mortos). Esses médiuns, afirma a fundadora do espiritismo, “atiram loucamente as espetaculares fraudes que inundam Nova Iorque”.

                “As pessoas que procuram envolver-se com o espiritismo”, continua Margarida, “tornam-se loucas, e sob a direção de seus fraudulentos ‘médiuns’ são induzidas a se despojarem de todos os bens temporais ao mesmo tempo em que do senso comum, que na intenção de Deus, deveriam conservar como coisa sagrada.” Antes de tecer algumas considerações sobre fanatismo e concluir a carta, Margarida torna a afirmar: “Seja qual for a forma sob a qual se apresente, o espiritismo tem sido e sempre será uma praga e uma armadilha para os que nele se metem. Homem algum ou mulher alguma de bom juízo pode pensar de outro modo”.

                Veja o que afirma o espiritismo “científico”:

1 – Deus – ser pré-existente, imortal, criador de todas as coisas, subsistente em apenas uma pessoa. Um ser bondoso sobremaneira, a ponto de perdoar as mais horrendas atrocidades cometidas pelos homens, concedendo que se purifiquem em uma vida subseqüente a morte e não imputando juízo algum sobre os homens. Assim, pois, Hitler, Nero, poderão descansar em paz, pois terão uma chance de se redimir. Segundo o espiritismo, Deus criou os espíritos em um estágio imperfeito, que pela imperfeição em seu percurso evolutivo cometerá erros e erros. Isso inclui guerras, assassinatos, estupros, roubos, fraudes, crimes de todas as espécies e atrocidades das mais horrendas. Tudo isso para Deus simplesmente faz parte da evolução, caso essa doutrina espírita seja certa. Em outras palavras, Deus é o responsável por todos os lamentos e sofrimentos da humanidade, já que foi ele quem condicionou o espírito humano a um estado de imperfeição, necessitando de evoluir. Isso, sim, parece ser muito lógico!!!

2 – Homem – são meros espíritos em evolução que poderiam ser outrora, em seu estado primitivo, uma “pedra”, ou um “inseto”,”animal”, etc... Veja como somos rebaixados ao ridículo!!! Acreditam que o homem poderá evoluir gradativamente através de novas encarnações, ao ponto de atingir uma maturidade tal que possa mesmo se tornar um anjo. Acreditam que existem espíritos habitando outros planetas. Tais espíritos estão em uma fase de evolução tão avançada que já chegaram a alcançar este patamar.

3 – Salvação – simplesmente não existe! Apesar de os espíritas pregarem que sem reencarnação não há salvação, contudo percebemos, segundo os ensinamentos do espiritismo, que não há o menor risco de uma pessoa perder-se, pois haverá chances infindáveis para que essa pessoa se redima de seus erros e aperfeiçoe seu caráter, seu espírito. Sem o risco da perdição como poderá haver salvação? Desta forma, mesmo o pior dos homens não está condenado a perdição. E, acredite, pode mesmo estar a serviço de Deus!!! Hitler, quando assassinou 6 milhões de judeus, assim o fez executando um favor, já que os judeus mortos, segundo o espiritismo, estavam pagando por erros cometidos em vidas anteriores. Hitler estava apenas “colaborando” para o avanço espiritual dessa gente. O mesmo acontece com Nero, que rasgou a barriga da própria mãe somente com curiosidade de saber de onde veio; ateou fogo em Roma, culpou os cristãos e se divertiu vendo-os serem lançados diante de feras, sem armas e completamente indefesos; iluminou as ruas com cadáveres de cristãos em chamas, etc, etc... Os erros humanos são tratados como meros acidentes de percurso. Isso é o que prega o Espiritismo “científico” tão orgulhoso!.


                Bom, conforme o espiritismo crê na lógica, ao menos deveriam meditar no seguinte :

“Se a reencarnação de fato existe, não há nenhum inconveniente em se pertencer a outra religião, uma vez que não incorreremos ao risco da perdição e todos teremos uma outra chance. Nisto não há perigo!”.

                Por outro lado, “Caso realmente aquilo em que os cristãos evangélicos crêem seja correto, os adeptos da reencarnação estão incorrendo em enorme perigo, uma vez que tal crença contraria a Palavra de Deus e sujeita os praticantes do espiritismo a uma flagrante rebelião contra a vontade de Deus. O juízo para tal é a perdição eterna”.

                Jefferson, para todas as coisas lhe peço desculpas, caso você tenha-se sentido ofendido com algo. E agradeço-lhe por ter chegado até a estas linhas. Que Deus possa lhe abençoar grandemente a cada dia e que jamais nos deixe enganados acerca de nada. Um abraço forte aqui de seu amigo

Marcelo F. Molina





RESPOSTA ENVIADA A MARCELO MOLINA, EM 23.07.02


Prezado Marcelo F. Molina

                Foi com grande prazer que recebi sua mensagem, através de um anexo, o qual li e reli para entender bem seus conhecimentos sobre o Cristianismo.

                Agradeço suas preocupações para com a minha pessoa. Porém, sinceramente, há muito tempo que venho me preocupando com os Crentes, os quais considero puros de coração, mas que, infelizmente, e de um modo geral, se deixam levar por qualquer pessoa que se auto intitula : "Emissário de Deus". Falo isso, porque sou casado com uma Evangélica. A Família de minha esposa é, como poderia se esperar, toda Evangélica. E foi através dela que Eu tomei conhecimento de fatos que agravaram minhas preocupações já existentes, pois é muito provável que o mesmo ocorra com muitas pessoas de boa fé.

                Apenas para dar uma ideia, minha esposa frequentava os Cultos da Assembleia, no Bairro do Flamengo, Rio de Janeiro. Certa ocasião, um Pastor mostrou uma revista, cujo título era OVNI ( Revista OVNI, de cunho Científico. Trata de Objetos Voadores não Identificados ). O pastor disse que aquela sigla significava : Ouvi, Jesus está chegando dos Céus. E por incrível que pareça : TODOS DIZIAM AMÉM !!!

                De outra vez, minha Sogra, que estava com dor de cabeça , fazia uns dois dias, pediu ao Pastor de outra Igreja, a Universal, uma oração, para que Ela se sentisse melhor. E qual não foi a sua surpresa, e surpresa de toda a sua Família, quando o Pastor, que se dizia enviado de Cristo, agarrou-lhe os cabelos, puxando-os de um lado para o outro, disse que minha Sogra estava endemoniada, e que era preciso expulsar o maligno. Toda a Família ficou chocada com aquela cena de desrespeito. Minha Sogra sempre foi uma Evangélica fiel, dedicada à Família e à Igreja. Seu filho menor, de 15 anos, quase ficou traumatizado, achando que o demônio frequentava a Casa deles. Será que basta subir a um púlpito de Igreja, com uma Bíblia debaixo do braço, para que TODOS acreditem que aquele que lá está, é realmente digno de representar Cristo ???

                Segundo sua carta, existem até ensinamentos Espíritas que parecem contraditórios, ou seja : No Livro dos Médiuns (FEB, 20º edição) Allan Kardec afirma que “há falsários no mundo dos espíritos como há neste” (p. 273). E estas importantes revelações começam a complicar a situação dos que se submetem às práticas espíritas, ao saber-se que sessões do espiritismo estão sujeitas à atuação de espíritos perversos.

                Ora, Eu lhe pergunto : Se no próprio meio em que Jesus viveu, havia falsários, hipócritas, criminosos, enganadores, etc, por que estranhar que no meio Espírita, ou em qualquer outro meio Religioso, haja quadro semelhante ??? Isso foi um alerta para que todos se precavenham. Afinal, aponte-me em qual Religião não há falsários e enganadores ???   Marcelo Molina, perdoe-me sinceramente, pois não estou aqui para apontar defeitos de quem quer que seja, mas como Você citou possíveis defeitos no Espiritismo, não posso deixar de lembrar fatos que nos afetam o dia-a-dia.

                Há alguns meses atrás, via nos programas de sábado de manhã, no canal 13, Rio de Janeiro, TV Record, ensinamentos da Igreja Universal dizendo a respeito dos benefícios que as pessoas poderiam usufruir, se caso passassem a crer na religião do Bispo Macedo ( é claro que isso estava subentendido como pano de fundo, pois eles sempre diziam que era Deus que proporcionava tudo ). A mensagem focalizava Carros Importados, Casas de Praia, Mansões nos Bairros abastados de São Paulo, etc, etc, com pessoas dando depoimentos que relatavam fatos de sua vida antes e depois de frequentarem a Universal. Antes, essas pessoas tinham dívidas, viviam preocupadas com contas a pagar, não tinham quase o que comer e dar a seus filhos, MAS, depois que passaram a assistir os cultos da Universal ( e evidentemente, depois que começaram a fazer suas ofertas à Igreja ) suas vidas mudaram, e hoje elas possuem os bens citados acima e insistentemente focalizados naquele Programa : Carros, Mansões, Jet Ski, etc.

                Agora Eu lhe pergunto : Foi isso que Cristo nos Ensinou ???   Por acaso Cristo disse que deveríamos frequentar essa ou aquela Religião ? Esta ou aquela Igreja ? E que os bens materiais e vida abastada estavam à nossa espera, desde que nos filiasse à determinada crença ???   Afinal, Será que Jesus dava mais importância aos bens materiais do que aos bens celestiais ???   A contradição não se justifica, mas é evidente.

                Não estou aqui, para generalizar. Sei que muitos Pastores são íntegros e respeitáveis. Mas os fatos acima citados não são isolados. Existem outros casos preocupantes dos quais tenho conhecimento, mas não vou me alongar mais nesta área.

                Marcelo, é evidente que TODAS as Religiões possuem suas contradições, e o Espiritismo ( Eu o considero como Religião, embora alguns não concordem ) também tem as suas. E por que não as haveria de ter ? Por acaso os Espíritas são seres humanos perfeitos ? Existem seres humanos perfeitos ? Ora, é claro que não !

                No Espiritismo existem pessoas que pronunciam palavras que chocam, como por exemplo, Carlos Imbassy, quando disse que o Espiritismo não é um ramo do Cristianismo como as demais seitas Cristãs. Mas existe uma diferença fundamental entre os Espíritas e os Evangélicos/Católicos. Nós Espíritas, não aceitamos nada que não tenha fundamento na lógica e na história. Não aceitamos calados nem os ensinamentos que venham de Dirigentes Espíritas, se estes não tiverem base intelectual e religiosa para respaldar suas assertivas.

                É evidente que as palavras de Carlos Imbassy foram mal entendidas ( e também mal pronunciadas, concordo ). O Espiritismo ( refiro-me à Doutrina de Kardec ) é Cristã SIM. Tanto que no texto do Livro dos Espíritos, o Codificador, traçou um paralelo entre o Espiritismo e o Cristianismo, a saber :

" (...) Vede o paganismo; não há hoje, certamente, pessoas que professem as ideias religiosas dos tempos pagãos. Entretanto, vários séculos depois do advento do Cristianismo, elas deixaram traços que só a completa renovação das raças pôde apagar. Ocorre o mesmo com o Espiritismo; ele fez muito progresso, mas haverá ainda, durante duas ou três gerações, um fermento de incredulidade que só o tempo dissipará. É o próprio Cristianismo que lhe abre os caminhos e sobre o qual ele se apoia ".

                Marcelo, o Cristianismo tinha barreiras a superar. O Espiritismo hoje, de maneira análoga e humilde, traz luz aos incrédulos, mesmo àqueles que, com orgulho, opõem-se de forma sistemática e interessada.

                Note que o texto entre aspas logo acima, começa falando de ideias Religiosas, e afirma que a base do Espiritismo é o próprio Cristianismo que lhe abre os caminhos e é sobre o qual se apoia. Assim sendo, se o Cristianismo é uma Religião, e dizemos Religião Cristã, uma vez que é a base do Espiritismo, este não perde a sua essência de Religião e podemos dizer Religião Espírita, ou, para sermos mais consentâneos, Religião Espírita Cristã, ou, mais propriamente, Espiritismo Cristão.

                Mas, a essa altura, Você estará se perguntando : Mas como ? Uns dizem uma coisa, outros dizem outra coisa, em quem acreditar ? Onde está o norte do Espiritismo ? É evidente que Carlos Imbassy é um estudioso e muitos de seus ensinamentos são louváveis e devem ser assimilados. Mas de tudo, temos que usar o raciocínio e não a fé cega, que tudo assimila sem nada questionar. É provável que Ele tenha querido dizer que o Cristianismo, moldado pelas religiões tradicionais, como a Católica e Evangélica, por exemplo, não são perfeitamente adequados à Doutrina Espírita. Você há de convir que o Cristianismo original ( aquele oriundo diretamente de Jesus ) sofreu inúmeras alterações, feitas pelos homens, ao longo dos 2 mil anos que nos separam de Cristo. Afinal, quando foi que Jesus nos ensinou o que se segue :


1) Infalibilidade do Papa ;
2) O valor da vida contemplativa e ascética nos conventos e seminários ;
3) Sacramentos ;
4) Confissão a religiosos ;
5) Purgatório e outras afirmações do gênero ;
6) Adoração de Imagens ;
7) Santíssima Trindade ( Esse item será detalhado posteriormente )
8) Adão e Eva ; ( refiro-me ao novo Testamento )
9) Pecado Original, maçã, serpente ??? etc, etc, etc ???


                Agora, a base fundamental do Cristianismo, essa é perfeitamente assimilada pelo Espiritismo. Chico Xavier bem lembrava o maior Ensinamento de Cristo : “Amai-vos uns aos outros, como Eu vos amei”. Essas palavras estão no coração e na mente de cada Espírita, Você pode estar certo disso !!! E por falar em Chico Xavier ( desencarnado em finais de junho/02 ), tenho reparado nas minhas conversas com Católicos e Evangélicos que, quando cito o nome desse Eminente Espírita, QUASE NINGUÉM QUER TOCAR NO ASSUNTO. POR QUE SERÁ ???   Chico Xavier sempre pautou sua vida pela honestidade, caridade, abnegação e amor ao próximo. Por que as outras Religiões, praticamente, nunca tocam no assunto : Chico Xavier ?   Será que têm receio de ter que admitir o seu alto grau de evolução Espiritual, sua ilibada conduta moral e seus exemplos de solidariedade e práticas da verdadeira caridade moral e material ???   Certa vez, recebi um e-mail de um Católico que dizia :

                Amigo, gostaria de saber quais são as confrontações entre Bíblia e o espiritismo. Onde está na Bíblia esses contrastes ? Eu digo isso pois eu sou catolico e catequista e quando as crianças me perguntam sobre Chico Xavier, um espírita, digo que a Bíblia condena o Espiritismo, mas digo sem conhecimento, e às vezes até me escondendo em fatos que não sei. Como posso condenar um homem que em toda a sua vida só fez o bem e ajudou a tanta gente ? O que você pode me aconselhar ?

                Agora, gostaria de saber a SUA opinião : Sendo Chico Xavier Espírita, Você acha que Deus o condenaria ao "inferno" por isso ???

                Mudando de assunto, Você cita paralelos da Umbanda com o Kardecismo. Muito bem. Mas Você já havia entrado numa Sociedade Espírita Kardecista ? Lá NÃO usamos paramentos, atabaques, imagens, charutos, bebidas, cantorias ( algumas Sociedades Kardecistas admitem um coro de Jovens ), danças, e não há "consultas" a médiuns. Só isso, já daria para estabelecer uma diferença crucial entre essas duas religiões.

                Volto a insistir : Não há “Consultas” a Espíritos para saber o número da Sena, ou se uma sociedade comercial será próspera, ou ainda se um relacionamento amoroso terá futuro, como existem em alguns ramos da Umbanda e suas vertentes. Os médiuns, na maioria das vezes, só recebem irmãos ( espíritos ) para que possam ser doutrinados, face à sua lamentável condição espiritual. Em outras ocasiões, os médiuns proferem mensagens de apoio, incentivos, etc. É verdade que Kardec recebeu a Doutrina dos Espíritos. Mas, temos que ter cuidado com o termo “Consulta”, o qual está relacionado, em se tratando de algumas Passagens da Bíblia, a curiosidades fúteis. Mas, Você poderá dizer que nada impede que o demônio se disfarce de espírito elevado, para iludir os incautos, não é mesmo ?

                Marcelo, os Espíritas não acreditam em demônios, satanás, seres eternamente voltados para o mal, como Vocês acreditam. Na minha opinião, o que existem, e que nos perturba, são espíritos que já viveram aqui, na carne. Muitos deles ainda não obtiveram evolução e, portanto, nos influenciam de maneira negativa, podendo prejudicar, e muito, nossas vidas. Assim, devemos manter nossos pensamentos em elevada sintonia com Jesus, para não dar guarida a espíritos impuros. E os Dirigentes Kardecistas estão bem instruídos para diferenciar o joio do trigo, e não serem enganados.

                Mas Você poderá dizer que na Bíblia, Cristo mencionava os termos “demônios”, “satanás”, etc. Muito bem. Nas Passagens que Jesus assim se referia, deve-se, como em muitas outras coisas, separar o que é apenas figura ou alegoria. Os homens com quem Jesus falava, ainda eram incapazes de compreender as questões puramente espirituais. Cristo tinha, então, de apresentar imagens materiais chocantes e próprias a impressionar. Para melhor apreenderem o que dizia, Jesus não se afastava muito das ideias correntes da época, quanto à forma das expressões literais e de impacto, reservando sempre ao porvir, a verdadeira interpretação de suas palavras e dos pontos sobre os quais não podia explicar-se claramente naqueles tempos. Se até hoje há divergências nos entendimentos das Palavras de Cristo, imagine naquela época !!!

                Além disso, a palavra Satan, em grego significa adversário. Diábolos, em latim, quer dizer opositor. A palavra demônio ( daimon ), na sua etimologia grega significa espíritos humanos ou almas, passando a ser, posteriormente, entendida como espíritos maus. Tanto que alguns autores do alvorecer do Cristianismo usavam a expressão "maus demônios", e um deles foi São Justino, martirizado em 165 D.C, e que escreveu a Obra "Apologia da Religião Cristã". Ora, como podem existir "maus demônios" ??? Isso significaria, por acaso, que também poderiam existir " bons demônios " ??? Daí se depreende que, na origem, a palavra demônio ( daimon, em grego ) tinha o significado claro de que era tão somente espíritos humanos E QUE POSTERIORMENTE, COM O PASSAR DOS SÉCULOS, os teólogos a transformaram exclusivamente em espíritos maus, perversos, de natureza diferente da humana.

                Logo, há que se interpretar as Passagens da Bíblia não em seu sentido literal e adaptado pelos teólogos, mas buscando a etimologia das palavras na origem. Tanto que Jesus disse ( João 8:44 ) : "Vós sois o diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio, e jamais se firmou na verdade..."

                Como se vê, o espírito maligno não era bom no início e depois se tornou mau pelo livre arbítrio ( Já havia comentado a etimologia grega e Latina das palavras satã, diabo e demônio ). Desde o princípio de sua existência nunca foram bons. Todos os espíritos começaram nas trevas da ignorância. O nosso ego, representando os nossos diabos, satãns, satanás, etc, sempre foi mau, desde o princípio, quando ele mesmo levou Caim a matar o seu irmão Abel, pois o seu ego não aceitava que Abel tivesse seus sacrifícios mais agradáveis a Deus. Seu orgulho e inveja do irmão ( adversário ) provenientes de seu ego ( Satan ) levaram-no ao fratricídio. E cremos que Jesus falou que o diabo é homicida desde o princípio. Jesus estava se referindo justamente ao ego ( satan ) de Caim, personagem que, na Bíblia, representa uma época do princípio da humanidade na Terra.

                E talvez Você se surpreenda com testemunhos de Teólogos eminentes, estudiosos do Cristianismo, respeitados até no mundo Científico, os quais dizem que satanás simplesmente não existe ! Os teólogos, COM BASE NA BÍBLIA, desmentem a existência de visões fantasiosas sobre o demônio.

                Note bem, por incrível que pareça, não são Espíritas que afirmam o que se segue. Peço que leia atentamente :


ABRE ASPAS :


                Objetam que Cristo, nos Evangelhos e a Bíblia em geral, falam muitas vezes dos demônios. É de fato, esse, o principal argumento em que se fundamenta a Teologia; e sem esta base, perderia muitíssimo do seu valor, a Tradição da existência do demônio.

                Mas será esta mesma a intenção de Cristo, ou seja, afirmar a existência do demônio tal como a Tradição e o Magistério Eclesiástico o entendem ? Os judeus e protestantes deixam muita liberdade na interpretação dessa tradição.

                Por sua vez, como porta-vozes e intérpretes dessa Tradição, estão os Concílios e o Magistério da Hierarquia Eclesiástica. Mas nem tudo quanto afirmam os Concílios ou os pronunciamentos da Hierarquia da Igreja é infalível. Para que um Concílio seja infalível deve ser ecumênico ; deve pretender definir com toda sua autoridade recebida de Cristo e diretamente aquela proposição. Isto suposto, o que se afirma é que não existe definição papal ex-cátedra ou de algum Concílio Ecumênico claramente pretendida e direta, a respeito da existência dos demônios ( com respeito a possessões, intervenções, etc, certamente não há nenhum dogma ).

                No texto do Concílio Lateranense IV, não há certeza nenhuma de que se pretenda dar alguma definição sobre a existência dos demônios. No texto Conciliar ("Os diabos foram criados por Deus bons por natureza ; eles, porém, fizeram-se maus pelo pecado") é realmente muito mais provável que se pretendesse condenar a teoria de que Deus fosse responsável pela criação de seres maus por natureza, como alguns pretendiam acerca dos demônios : tudo o que Deus criou é bom ; se alguém se torna mau é tão somente pelo uso indevido de sua liberdade.

                Afirmar que com esse texto clara e diretamente se pretenda definir a existência do demônio, é no mínimo, discutível. Portanto não é certo qualificar de herege a quem negar a existência dos demônios. Grandes teólogos negaram a possibilidade da possessão demoníaca. E o exorcismo não é uma lei disciplinar universal da Igreja. A bula que o proclamou tem apenas um sentido de exortação e não o obriga dogmaticamente em termos de fé, nem sequer como ordem disciplinar universal. Ela foi publicada no tempo das bruxarias e das superstições, quando a ciência não tinha condições de interpretar fatos de fundo parapsicológico e os atribuía ao diabo. A possessão de uma pessoa pelo demônio é filosoficamente e psicologicamente impossível.

                Nunca vi uma pessoa emocionalmente equilibrada ficar possuída pelo "demônio". Só os histéricos, epilépticos e outros doentes acreditam estar possuídos. As mulheres parecem acreditar mais que os homens e a puberdade é a idade mais vulnerável a essas ilusões. Trata-se sempre de distúrbios psicofisiológicos. É a ciência, e não a Igreja, que cabe dizer se um fato pertence ou não aos fenômenos naturais deste mundo.

Lúcifer ??!!!

Lúcifer é o príncipe dos diabos ???! De onde tiraram isso, queridos cristãos ?

Anglicanos, luteranos, evangélicos, metodistas, católicos... de onde vocês tiraram isso ?

                Lúcifer só está uma única vez, em todo o Antigo Testamento (A.T) ., e Isaías (Is 14,12) compara a queda de Nabucodonosor, um rei muito brilhante, com a queda de Lúcifer, ( "que leva a luz, a estrela da manhã, o mais brilhante, o planeta Vênus, que desaparece de repente no céu ) . " Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva ! Como foste lançado por terra tu que prostravas as nações!" (Is 14,12)

                Então Isaías compara a queda do rei Nabucodonosor a Lúcifer ! ( A queda do rei seria semelhante a queda da estrela da manhã, ou seja, planeta Vênus no céu ). E nós cristãos, sem estudar, convertemos Lúcifer, " caiu ? ", em um anjo rebelde. O chefe dos anjos rebeldes ! Teria havido uma guerra dos anjos ? os anjos bons capitaneados por São Miguel contra os anjos maus, capitaneados por Lúcifer e, como em todo filme, ganharam os bons e perderam os maus !

                Cristãos, de onde vocês tiraram isso ? Onde isso está na Bíblia ? Onde está a guerra de anjos na Bíblia ?

                Alguém pode dizer: " No apocalipse de São João ! " Realmente está ! São João compara, tudo metafórico ! Compara o dragão " com sete cabeças, com sete diademas... com sua calda derruba 1/3 das estrelas do firmamento, o antigo satã... da boca do dragão saem os maus profetas que ensinam doutrinas erradas ". O apocalipse é um livro de profecia, está descrevendo uma profecia para os cristãos ; não está descrevendo uma guerra de anjos, que teria havido antes da criação do mundo ( lenda ! ) Está se referindo a uma lenda do século II A.C., o livro de Enoc, um livro de lendas ; os judeus tinham muitas lendas e os primeiros cristãos, sem estudar pensaram que o livro de Enoc era um livro da Bíblia. Não é ! É um livro de lendas. Então os judeus diziam que todos os povos pagãos faziam guerras de deuses e pensaram : "Como é que pode haver guerras de deuses se só há um Deus ? ". Então, os cristãos converteram guerra de deuses em guerra de anjos, os bons capitaneados por São Miguel e os maus por Lúcifer. Isso é uma lenda !!!

                Sabem quem São João compara à estrela da Manhã (Lúcifer) ?

                São João no Apocalipse diz de Jesus ( Apocalipse 22, 16 ): " Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas a favor das igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã." Comparando Jesus ressuscitado com o brilho da estrela da manhã (Lúcifer).

                Concluindo : Lúcifer não tem nada a ver com anjo rebelde e nem com Príncipe dos Demônios. A palavra Lúcifer significava a estrela da manhã, a estrela que mais brilha no céu a noite, e hoje sabemos que é o planeta Vênus. E foi comparado por Isaias à queda do rei Nabucodonosor ( por sua rápida queda ) e comparado à Jesus Ressuscitado, por São João no Apocalipse por seu brilho intenso.

Quem é Satã no Antigo Testamento ?

                É provável que haja relação da palavra hebraica satã com a posterior palavra árabe shaitan, que originalmente – ao que opinam alguns – significava serpente. Alguns povos vizinhos de Israel representavam seus ídolos sob a forma de serpente. Satã, serpente, ídolo seriam sinônimos. A serpente do paraíso seria assim compreendida de outro ângulo : representação de um ídolo, uma divindade.

                A palavra satã nada tem a ver com os anjos caídos, ou demônios no conceito clássico cristão.

                Em 15 oportunidades – dependendo das versões – aparece o termo satã no Antigo Testamento :

A) Com referência a Davi, diziam os príncipes filisteus : " Não se volte contra nós no combate ". De acordo com o original hebraico seria: " Não se torne satã (inimigo) nosso no combate " (1Sm 29,4)

B) Davi aplica o termo satã aos homens que se opõem à vontade de Deus tentando o rei para que mate o benjaminita que o injuriou. Satã significa a oposição humana a Deus. A Bíblia de Jerusalém traduz por adversários do próprio Davi, no sentido de tentadores : " Davi disse : Que tenho eu convosco filhos de Sarvia, para que vos torneis hoje meus adversários ? Poderia ser alguém condenado à morte hoje em Israel ? " (2Sm 19,23)

C) A Bíblia de Jerusalém traduz simplesmente por adversário onde o original hebraico diz satã ; Salomão afirma que " agora não tenho satã nem infortúnio " ( 1Rs 5,18 ou 5,4 da Vulgata )

D) Pouco depois, já há dois satãs para Salomão. A palavra satã aparece três vezes. A Bíblia de Jerusalém volta a substituir satãs pelas palavras adversário e inimigo (1Rs 11,14.23.25)

E) No primeiro livro dos Reis (21,13) o termo satã qualifica duas falsas testemunhas. A Bíblia de Jerusalém traduz sua atitude em satã, por inescrupulosos. O salmo 108 (ou 107, 12-13) chama de satã os inimigos em geral e o acusador no julgamento. A Bíblia de Jerusalém emprega as palavras rejeição e opressão.

F) Igualmente satã é para o salmista, mais uma vez, um acusador no julgamento: "Designa um ímpio contra ele, que um acusador (satã) se poste à sua direita" (Sl 109,6)

G) Depois do exílio, satã personifica o promotor que no tribunal divino é encarregado de acusar. Iahweh " me fez ver Josué, sumo sacerdote, que estava de pé diante do Anjo de Iahweh e satã que estava de pé à sua direita para acusá-lo..." (Zc 3,1s). Imagina-se o Supremo Juiz como um rei terreno rodeado de sua corte. Dentre os servidores, um deles tem o cargo de satã, de acusador. Satã é um cargo, não uma pessoa. Não é um nome próprio, é um título.

H) O livro de Jó (1,6) refere que um dos filhos de Deus se apresenta diante do trono de Iahweh. O nome que lhe é dado é satã. O nome comum representa o cargo de acusar, e também a adversidade, a inimizade, a oposição que é permitida ou sancionada por Iahweh.

I) No Eclesiástico, emprega-se a palavra satã no sentido de alguma espécie de inimigo. Trata-se provavelmente do próprio instinto mau interior: "Quando o ímpio maldiz Satã, ele maldiz a si próprio" (Eclo 21, 27)

J) Em Habacuc (2,5), satã designa a peste. Na Bíblia de Jerusalém é traduzido por Xeol, o lugar da morte.

L) No primeiro livro dos Macabeus, designa-se com o termo satã, a "gente ímpia" e os "homens perversos" (1Mc 1,34). A Bíblia de Jerusalém traduz o termo satã por adversário maléfico : "Aquilo era uma emboscada para o lugar santo, um adversário maléfico para Israel constantemente " (1Mc 1,36).

M) O termo satã é aplicado a um ser sobrenatural no Livro dos Números: é a oposição feita por Iahweh. O texto diz que o anjo de Iahweh, mensageiro de Iahweh, isto é, o próprio Iahweh, se interpõe no caminho de Balaão. " Sou Eu que vim barrar-te a passagem ", segundo a Bíblia de Jerusalém. No original em hebraico é : " Sou eu quem vim contra ti em satã" = em oposição (Nm 22,32).

N) Como em Jó e em Números, o satã das crônicas (1Cor21,1) é representante de Deus.

O) O Livro da Sabedoria foi escrito em grego, ignoramos qual seria a palavra escolhida pelo autor sagrado se escrevesse em hebraico. O autor utiliza a palavra grega diábolos ( termo com a qual os setenta Estudiosos traduziram o Antigo Testamento antes de Cristo ) normalmente traduzem a palavra hebraica satã : " É por inveja do Diabo que a morte entrou no mundo " (Sb 2,24). Como Paulo (Rm5,12) ensina que pelo pecado de Adão entrou a morte no mundo e o pecado pela tentação da serpente, o termo satã designaria aqui a serpente do Paraíso.

                Portanto, no Antigo Testamento, satã não representa um ser que possamos considerar um demônio no sentido cultural cristão de um ser sobre-humano e perverso. O nome Satã, ou Satanás, no Antigo Testamento personifica a inimizade, dificuldade, contradição.

                A palavra satã, na sua forma verbal, stn em hebraico, aparece seis vezes no Antigo Testamento (Zc 3,1; Sl 38,21; Sl 71,13; Sl 109,4; Sl 120,29). Poderíamos traduzi-lo por "satanizar" . Os Setenta ( Estudiosos que traduziram o Antigo Testamento antes de Cristo ) geralmente traduzem o verbo stn por endiabállo, em grego. Caluniar nas línguas vernáculas e o substantivo satã, os Setenta geralmente o traduzem por diábolos, que significa caluniador. A Bíblia de Jerusalém geralmente traduz por acusar. ”


FECHA ASPAS.


                Outro assunto : Você justifica a substituição, nos Textos traduzidos das Bíblias, da Palavra necromante pelas palavras Espírita e Médium, as quais Você considera de mesmo significado. Ocorre que a palavra necromante, segundo a definição ortodoxa das Religiões, significa, literalmente, ADIVINHAÇÃO pela invocação dos espíritos, e não simplesmente : aquele que invoca mortos, que entra em contato com espíritos de mortos, como Você disse. E para que não haja mais dúvidas, vou dissecar a palavra necromancia.

                Veja bem o significado detalhado da Palavra Necromancia, segundo o mais conceituado Dicionário deste País, o Dicionário Aurélio, Séc. XXI, o qual leva em consideração a origem e morfologia das palavras, independentes de épocas e costumes. Confira no seu Dicionário :

Necro : Do gr. nekro- < gr. nekrós, oû >. O que significa 'morte' ; 'cadáver' ; 'extinto'.

Mancia : Do gr. -manteía. O que significa 'adivinhação',   'predição'. ( o grifo é meu ).

                Necromancia tem a mesma formação das palavras Cartomancia, que significa Adivinhação por meio de cartas de jogar, ou então Quiromancia que é a Adivinhação pelo exame das linhas da palma da mão; quiroscopia.

                O termo Adivinhação, nesse caso, provoca uma diferença substancial. Logo essa Passagem de Deteronômio 18.10-12, pode se aplicar a Umbanda/vertentes, Kimbanda, ou a quem Você quiser, MENOS AOS KARDECISTAS, pois insisto e que fique bem claro : Os Kardecistas JAMAIS se comunicam com os Espíritos visando adivinhação ( Nº da Sena ; Prosperidade ou não nos negócios ; Quem será o próximo Presidente, Quem ganhará torneios, disputas, etc ). Isto é totalmente reprovável dentro da nossa Doutrina.

                Ademais, relativamente à palavra necromante, se formos nos ater somente no sentido de contato com os mortos, os Católicos do Vaticano, estão se tornando necromantes, coisa que Eles condenam no Espiritismo. Contraditório, Não ? Para não me alongar muito neste assunto, convido-o a visitar novamente o Site : http://jefferson.freetzi.com e verificar no Acesso TEXTOS – Texto 3, uma reportagem, inclusive com um filme, que mostra que o Teólogo mais competente da Cúria Romana, Gino Concetti, admite a “comunicação com os mortos” e até, aprova !

                Até mesmo o Papa João Paulo II, perante mais de 20.000 pessoas na Basílica de São Pedro, em 2 de Novembro de 1983, disse :


"O diálogo com os mortos não deve ser interrompido, pois, na realidade, a vida não está limitada pelos horizontes do mundo".


                Será que devemos considerar o Papa e os Católicos, ou seja, a Religião Cristã mais antiga do mundo, simplesmente como NECROMANTES, sem uma análise mais profunda ????   É claro que Eles não estão incentivando a adivinhação pela invocação dos Espíritos. É só analisar a reportagem com cuidado... Porém, se generalizarmos tudo, e segundo a sua concepção, a mais antiga Religião Cristã, da qual o Protestantismo se originou, agora apoia a necromancia !!!   Interessante, Não ???

                É claro que muitos Padres reacionários não aceitam esse fato, relacionado ao Papa, ao Vaticano e a Gino Concetti. Porém me refiro a uma reportagem da Globo. Essa aceitação, pelo Vaticano, da comunicação com os mortos, é relativamente recente.

                Em minha última mensagem, expus meu entendimento sobre a Passagem de Hebreus, capítulo 9, versículo 27, tida por Você como condenação à Reencarnação e cujo teor, segundo “A Bíblia Sagrada”, Edição revista e atualizada no Brasil, da SBB – Sociedade Bíblica do Brasil, é o seguinte, literalmente :


“E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez e, depois disto, o juízo”.



                Se me permite, gostaria de externar aqui, a minha opinião a respeito dessa Passagem de Hebreus 9, 27, a qual é citada inúmeras vezes, como argumento contra a Reencarnação. Bem, se Paulo estivesse querendo dizer que temos uma só vida aqui na Terra, por que Ele então, não disse assim : Ao homem está determinado VIVER uma só vez ?

                No Novo Testamento é narrada a ressurreição da filha de Jairo, do filho da viúva de Naim e de Lázaro. Se de fato houve essas ressurreições, vale dizer que Eles morreram DUAS vezes !!!   E aí, como ficamos diante da afirmativa citada ???

                E se eles não morreram duas vezes, temos que procurá-los para colocar esses indivíduos no Guinness, o Livro dos Records, pois a essas alturas, eles teriam mais de 2.000 anos !!!


                Já tinha ouvido o comentário, de um detrator do Espiritismo, de que essas foram as exceções à Carta de Paulo aos Hebreus ...

                Exceções ??? Ora, não são só três. Essas são só as mais conhecidas. Como se não bastasse, há na Bíblia a narrativa de 8 (oito) casos de ressurreição ( retorno do espírito ao corpo que jazia morto ).

                3 (três) ocorreram no Velho Testamento : O primeiro está no I livro dos Reis, no capítulo 17, versículos 21 e 22 ; o segundo, no II livro dos Reis, no capítulo 4, versículos 32-37 ; e o terceiro, também no II livro dos Reis, no capítulo 13, versículos 20 e 21.

                Os outros 5 (cinco) casos são narrados no Novo Testamento. Três deles foram realizados por Jesus, e os outros 2 foram realizados por Pedro e por Paulo, respectivamente, narrados nos Atos dos Apóstolos, capítulo 9, versículos 36-42, e capítulo 20, versículos 7-12. Os realizados por Cristo são citados em Mateus, capítulo 9, versículos 18-25; Lucas, capítulo 7, versículos 11-17 e João, capítulo 11, versículos 1-43.

                Não restam dúvidas de que esses oito casos de ressurreição contrariam a passagem de Hebreus 9,27. Todavia, a Reencarnação não vai de encontro ao referido versículo, que é a pura expressão de uma Lei Divina irrevogável : A morte do corpo físico dá-se uma única vez e é um fenômeno irreversível.

                Pode-se, então, concluir que Deus abriu oito exceções a uma de Suas Leis ??? Ora, não é a verdade, porque a concessão de privilégios é atitude própria dos seres imperfeitos, como nós, os homens, mas não dos seres perfeitos, como Deus. É uma questão simples, de raciocínio lógico. Deus é imutável porque é perfeito, pois a onisciência é um de Seus atributos. Portanto, se Ele abre exceções, deixa de ser imutável. E se privilegia somente 8 seres humanos com uma segunda vida, no mesmo corpo de carne e no mesmo período terreno, está agindo com parcialidade, quando sabemos muito bem que Deus é um Ser imparcial, porque trata a todos igualmente. As desigualdades que existem no mundo são consequências dos atos e ignorâncias humanas.

                Com isso, Paulo não estava, de forma alguma, combatendo a Reencarnação, pois não é o contexto dessa narrativa. Mas, por outro lado, não deixa de ser uma verdade, já que o corpo que possuímos em cada Reencarnação, realmente morre somente uma vez.

                Além disso, esse versículo ( " Aos homens está ordenado morrerem uma só vez " - Heb. IX, 27 )   tem sido uma pedra de tropeço para todos os que desconhecem o que realmente é a Reencarnação, limitando-se a ler a letra que mata e não percebendo o Espírito que vivifica. Não há contradição nenhuma entre o que diz Paulo nesse versículo e a teoria da Reencarnação. Mas vamos por partes :

A) Inicialmente, ninguém precisa acreditar na Reencarnação como dogma, pois que ela existe, creiam os homens nela ou não. Da mesma maneira, não é pelo fato de alguns homens não crerem em DEUS que Ele deixará de existir.

B) Um Espírito necessita conhecer e praticar o Bem, progredir, evoluir e subir tanto, tanto, que chegue, como diz Paulo na Epístola aos Efésios, a ser igual a JESUS. Eis suas palavras : " Até que todos cheguem à unidade da Fé, ao pleno conhecimento do FILHO DE DEUS, ao estado de homem feito à medida da estatura da plenitude do CRISTO “ (Efésios, 4: 13).

C) Ora, haverá homem sobre a face da Terra que tenha a pretensão de poder chegar até essa altitude numa só vida humana ? Percorrendo a história da Humanidade, APONTEM-NOS QUEM JÁ CHEGOU LÁ, EXCETO O PRÓPRIO JESUS ? No entanto Paulo diz : "...até que TODOS cheguemos..." TODOS ...

D) Então se o Espírito necessita evoluir até esse ponto, evidentemente o fará por intermédio de muitas vidas no corpo, neste tabernáculo no qual habitamos temporariamente, no dizer de São Pedro (II Pedro, 1: 13 e 14).

E) Ora, é fora de qualquer dúvida que cada homem só pode morrer uma vez...e depois disso vem o juízo que determinará para onde irá o Espírito : Para as zonas de luz ou para as zonas de trevas. Só morreram "duas vezes", segundo a interpretação comum, aqueles que foram ressuscitados, como Lázaro... ninguém mais. Cada homem (conjunto de Espírito e corpo) só pode morrer uma vez. Porque, separado que esteja do corpo, não mais poderá a ele se unir, a não ser por outro nascimento.

F) Então qual a dificuldade de compreender-se, dentro da teoria da Reencarnação, a frase de Paulo ? Nenhuma. Está certíssima : "É ordenado aos homens que morram uma só vez, e depois disso vem o juízo".

G) Entretanto é inegável que o homem morre, ou seja, que a personalidade deixa de existir, naquela sua união terrena. E isso logicamente só pode OCORRER UMA VEZ em cada personalidade, em cada homem."

H) Desaparece, então, a personalidade daquela vida terrena. Mas prossegue, em forma ainda invisível aos sentidos da maioria dos seres humanos, a parte eterna de todos nós : O Espírito imortal, a Individualidade. Diz o CRISTO que o Espírito sopra onde quer, isto é, manifesta-se onde for necessário à sua evolução, até integrar-se no Amor Universal, em DEUS. E isto, na Terra, se dá por meio das Reencarnações.

                Além de tudo isso ( e por outro lado ), se formos analisar tudo ao pé da letra, ficaremos diante de uma contradição, senão vejamos : Se LOGO EM SEGUIDA à nossa morte, virá o juízo ( pressupõem-se que cada um terá um juízo após a sua morte ), qual a necessidade do JUÍZO FINAL, tão apregoado pelas Religiões Ortodoxas, se anteriormente já fomos julgados ? Será que se formos condenados ao "inferno" no primeiro juízo poderemos de lá sair quando do juízo final ? Ficam aí estas perguntas para quem quiser responder. ”


                Em outra oportunidade Você diz que os Ensinos Espíritas não calcam seus ensinamentos nas Sagradas Escrituras. Muito bem. É preciso que se faça uma distinção entre o que foi inspiração de Deus e o que foi intervenção do homem nos Textos Sagrados. O que não aceitamos é a segunda assertiva, ou seja, a intervenção do homem nos Textos. Sinceramente, Você acredita que tudo o que está na Bíblia foi exclusiva inspiração de Deus ? Você acredita que o homem, sendo pretensioso, orgulhoso, aventureiro, vaidoso e dominador, não tenha inserido seus sentimentos, humanos e falhos, nas Escrituras Sagradas, em nenhum momento ???

                Peço desculpas pelo o que vai escrito abaixo, mas está na Bíblia, seja ela Católica, Evangélica, Testemunhas, etc. Confira na sua. Algumas passagens são incompatíveis com a infinita bondade de Deus, sua sabedoria e sua inatingível visão moral, senão vejamos :

1) Deuteronômio 23, 1: “Aquele a quem forem trilhados os testículos, ou cortado o membro viril, não entrará na assembleia do Senhor”.

2) Gn 6, 6: “...então se arrependeu o Senhor de ter feito o homem na terra...”.

3) Ex 32, 14: “Então se arrependeu o Senhor do mal que dissera havia de fazer ao povo”.

4) Sl 103, 8-9 : “O Senhor é misericordioso e compassivo; longânimo e assaz benigno. Não repreende perpetuamente, nem conserva para sempre a sua ira”.

5) Sl 94, 1 : “O senhor, Deus das vinganças, Ó Deus das vinganças, resplandece.”

6) Sl 105,24-25 : “Deus fez sobremodo fecundo o seu Povo e o tornou mais forte do que os seus opressores. Mudou-lhes o coração para que odiassem o seu Povo...”

7) Sl 105, 36 : “Também feriu de morte a todos os Primogênitos da sua Terra, as primícias do seu vigor”.

8) Sl 110, 5-6 : “O Senhor à tua direita, no dia da sua ira, esmagará os Reis. Ele julga entre as Nações ; enche-as de cadáveres ; esmagará as cabeças por toda a terra.”


Sinceramente, Marcelo, responda do fundo do seu coração :

Repare bem :


1) Testículo ???!!! membro viril ???!!! - Esses termos viriam mesmo de Deus ???

2 e 3) "... se arrependeu o Senhor ... ???!!! - Ora, se Deus é perfeito, Ele não pode errar. Só se arrepende de alguma coisa aquele que fez algo que considera errado. Então como Deus pode ter feito algo errado se Ele é perfeito ???

4) "... para sempre a sua ira ..." - Deus sentiria ira, raiva, ódio ??? Se Deus é todo amor e bondade, como pode sentir essas coisas ??? Como pode Deus se rebaixar a esses sentimentos humanos ???

5) "... Deus das vinganças, Ó Deus das vinganças ..." - Deus seria vingativo ??? Novamente : Se Deus é a perfeição máxima, como Ele poderia pensar em Vinganças, que é um sentimento ruim e baixo do Ser Humano ???

6) "... Mudou-lhes o coração para que odiassem o seu Povo ..." - Deus, com sua infinita bondade e amor, poderia provocar ódio nos corações das pessoas ???

7) "Também feriu de morte a todos os Primogênitos da sua Terra ..." - Deus, que é TODO amor, iria FERIR DE MORTE OS PRIMOGÊNITOS ????

8) "... esmagará os Reis ..." "... enche-as de cadáveres ; esmagará as cabeças por toda a terra ..." - Será que Deus desceria a esse nível ???

                Sabemos que Deus é todo bondade, infinitamente perfeito, mas também é justo, não deixando sem corretivos aquilo que considera errado. MAS, o Senhor acha realmente que, o acima descrito, poderia vir realmente de Deus ??? Ou é intervenção do sentimento do homem, por exemplo, Davi, um Soldado Guerreiro acostumado a Batalhas e mortes ???

                Com isso, posso concluir que os Espíritas se apoiam em boa parte, nos escritos da Bíblia SIM, mas somente naqueles ensinos que não sofreram intervenção humana. Ler a Bíblia "cegamente", isto é, ao pé da letra, sem ter discernimento do que é divino e o que é humano, é renunciar a um dos maiores presentes que Deus nos legou : O raciocínio e o livre arbítrio. Agir assim é deixar que pessoas, como aquela que foi citada no início dessa mensagem e que disse que OVNI significa "Ouvi, Jesus está chegando dos Céus", interpretem a Bíblia por nós, e aí Você pode calcular as consequências ...


***********************


                Marcelo, existem muitas passagens na Bíblia que mencionam a volta à carne ( é evidente que a palavra Reencarnação não poderia aparecer nos Textos antigos, pois a mesma teve origem Francesa, no Séc. XVII ). Não vou detalhar aqui, as famosas Passagens de S. Mateus, cap. XVII, vv. 10 a 13; - S. Marcos, cap. IX, vv. 11 a 13 ( Elias como a Reencarnação de João Batista ) e S. João, cap. III, v. de 1 a 12 ( Renascimento do Homem ). Já conheço bem as interpretações dos Católicos e Evangélicos a esse respeito, embora, na visão Espírita, não restem dúvidas de que Jesus falava acerca da volta do espírito à carne. Apenas para citar UM outro exemplo, peço que observe :

                Paulo, em sua Epístola a Tito 3:4-5, interpreta bem esta citação do Cristo : ... mas segundo sua misericórdia nos salvou pelo lavatório regenerador e renovador do espírito santo ”.

                Aqui, Paulo deixa bem claro que Deus nos salvou servindo-se de um “lavatório” (de água) e um “renascimento do espírito”. Porém, a palavra grega do texto a que se refere Paulo é ... (a palavra está em grego que não temos condições de reproduzir) “Palingenesia” – isto é, “Renascimento”, “Novo Nascimento”, REENCARNAÇÃO”. Esta palavra – Palingenesia - também foi comodamente substituída por “regenerador”. É incrível como houve tantas modificações, substituições de palavras justamente quando o assunto é Reencarnação, não é mesmo ???



                Na passagem de Ezequiel 37 : 11 – 14, Você demonstra a interpretação Evangélica, o que é digno de respeito. Mas, interpretação é por essência, subjetiva, por mais que tentemos justificá-la. Cada segmento tem a sua, e a nossa é, se me permite, também digna de respeito, na qual vemos um sentido muito claro, relacionado à volta de um estado morto ( sepulturas ) para um estado vivo ( terra de Israel ), revivendo um espírito de volta para sua terra ( volta à carne ). Não estou aqui dizendo que essas passagens PROVAM definitivamente a Reencarnação. Por favor entenda, o que eu às vezes quero dizer é que existem passagens na Bíblia que se referem à volta do Espírito à carne. Prova mesmo, não é, admito. Acredito que seja mais uma questão de Fé, assim como a sua Fé ( e também seus argumentos com base na sua Religião ) negam tais coisas.

                Por oportuno, quanto às modificações que fizeram os Homens nas Bíblias, através de “traduções”, de acordo com interesses outros, cito aqui, como ilustração, a passagem de Cristo sobre a Terra, quando Ele disse, em S. João, cap. III, v. de 1 a 12 : “Em verdade, em verdade, eu vos digo : Se um homem não renascer da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus”. Não vou entrar no mérito dessa Passagem, cito-a apenas para fundamentar o raciocínio que se segue :

                Essas palavras foram interpretadas ( e escritas nos atuais Evangelhos ) no sentido da regeneração pela água do Batismo, mas o texto primitivo trazia simplesmente : Não renascer da água e do espírito, ao passo que em certas traduções, a expressão   "DO ESPÍRITO"   se substituiu por :   "DO SANTO ESPÍRITO",   o que não corresponde ao mesmo pensamento. A tradução de Osterwald está conforme o texto primitivo, ela traz : Não renascer da água e do Espírito. A tradução de Sacy diz :   "DO SANTO ESPÍRITO". A tradução de Lamennais diz :   "DO ESPÍRITO SANTO".

                Ora,   "ESPÍRITO",   para a Igreja Evangélica ou Católica, quer dizer uma coisa,   "ESPÍRITO-SANTO",   quer dizer outra coisa. Isso posto dessa forma, serviu apenas para citar algumas discrepâncias dos textos Bíblicos.

                Podemos hoje acrescentar que as modernas traduções já restituíram o texto primitivo, pois que só imprimem   "Espírito"   e não   "Espírito-Santo".   Examinando a tradução brasileira, a inglesa, a em esperanto, a de Ferreira de Almeida, e em todas elas encontramos somente o termo   "Espírito"   ( nas mais recentes edições ). Além dessas modernas traduções, encontramos a confirmação numa latina de Theodoro de Beza, de 1642, que diz: "...genitus ex aqua et Spiritu..." "...et quod genitum est ex Spiritu, spiritus est".

                É fora de dúvida que a palavra   "Santo"   foi interpolada, ou seja, ela foi inserida deliberadamente, pois NÃO constava do original.

                Repito : Para a Igreja Evangélica / Católica,   "ESPÍRITO",   quer dizer uma coisa,   "ESPÍRITO-SANTO",   quer dizer outra coisa !

                Como se vê, Marcelo, uma pessoa hoje, teria que ser pouco precavida se pensasse que a Bíblia atual ( Seja Ela qual for, Católica, Evangélica, Testemunhas de Jeová, etc) é uma reprodução FIEL das palavras ditas por Jesus. Os Textos Evangélicos foram sendo modificados paulatinamente durante 20 séculos, de acordo com a vontade dos líderes religiosos, para que as pessoas acreditassem apenas nos princípios que fossem mais convenientes àqueles que “ditavam” o comportamento religioso de cada época.


                Suas Palavras : " De acordo com o que você sugeriu, a salvação acontece com o esforço de cada indivíduo. Tal sugestão não subsiste diante da afirmação do apóstolo Paulo, quando diz :

                Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie” (Ef 2.8-9 - grifo meu) ".

                Muito bem. Na Bíblia encontramos Passagens que agradam a Gregos e Troianos. E Você se restringiu àquela que mais se encaixa nos entendimentos Evangélicos. Mas será que Você se esqueceu da tão famosa Passagem de Tiago 2:26 – “Assim como o corpo sem Espírito é morto, assim também a fé sem obras é morta” ?   ( Destaque meu )

                Você citou UMA passagem que diz que não somos salvos pelo esforço individual. Nós Espíritas, adotamos o esforço individual e principalmente o amor a Cristo, como nosso Salvador SIM. Agora vou citar não só UMA passagem que apoia o esforço individual, observe :


1) Jeremias 31 : 29 e 30 – “Naqueles dias já não dirão : Os Pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos é que se embotaram. Cada um, porém, será morto pela sua iniquidade; de todo homem que comer uvas verdes os dentes se embotarão.

2) Ezequiel 14 : 14 – 16 - “...Ainda que estivessem no meio dela, estes três homens, Noé, Daniel, e Jó, Eles pela sua justiça salvariam apenas a sua própria vida, diz o Senhor Deus... Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, ainda que esses três homens estivessem no meio dela, não salvariam nem a seus filhos nem a suas filhas; só eles seriam salvos.”

3) Jó 34 : 11 - “ Pois retribuirá ao homem segundo as suas obras, e faz que a cada um toque segundo o seu caminho.”

4) Salmos 28 : 4 – “ Paga-lhes segundo as suas Obras, segundo a malícia dos seus atos; dá-lhes conforme a obra de suas mãos, retribui-lhes o que merecem.”

5) Provérbios 12 : 14 – “Cada um se farta de bem pelo fruto da sua boca, e o que as mãos do homem fizerem ser-lhe-á retribuído.”

6) Eclesiástico 16 : 15 – “Todo aquele que dá esmola terá uma recompensa, e cada um será tratado segundo as próprias ações.”


                Marcelo, Pergunto-lhe pela segunda vez : Quem foi que disse que os Espíritas não reconhecem Cristo como Salvador ???   Já tinha dito isso antes. Jesus é o caminho e a verdade que Ele mesmo se proclamou. Ele é exemplificação e modelo, mas compete a cada criatura seguir o caminho indicado por Jesus, com esforço, com amor, com dedicação e não ficar de braços cruzados, uma vez que já estaria salvo pelo sacrifício de Cristo no Calvário. Afinal que mal há em acreditar em Cristo e amá-Lo de todo o coração e ainda por cima praticar obras em benefício do Próximo ???   Será que Jesus só quer que O amemos sem mais nada fazer ?   Será que se eu amá-Lo e ao mesmo tempo, obrar, serei condenado ???


***********************


                Se o os fatos registrados na Imprensa e na História, o Espiritismo, como Terceira Revelação, só revelou até agora as obras do Maligno, não é por culpa da Doutrina Espírita, e sim dos homens. Jesus sempre ensinava o Bem. E a humanidade hoje, como um todo, é fruto dos Seus Ensinamentos ??? É claro que não. E que culpa tem Jesus ? Nenhuma. A culpa é exclusivamente do orgulho dos homens que se julgam donos da verdade absoluta.

                E se Allan Kardec serviria aos desígnios do “Pai da Mentira”, como Você mesmo disse, o que poderíamos dizer do Bispo Macedo quando incentiva o apego aos bens materiais e à riqueza, de acordo com o anteriormente citado ? ( perdoe-me, mas foi a própria rede de TV, pertencente ao Bispo, que fez essa apologia ). Cristo ensinou algo parecido com isso ? O Bispo Macedo seria o que, neste caso ?   O Pai da Verdade ????

                Quanto aos princípios elaborados por Mesmer, Hydesville, irmãs Fox, etc, já havia tratado desse assunto no Site : http://jefferson.freetzi.com, no acesso TEXTOS – Texto 5, onde troco correspondências com os assessores do Padre Quevedo. Não vou reproduzir tudo aqui, pois essa mensagem já vai longe. Somente faço um adendo quanto ao fato das Irmãs Fox terem passado depoimentos contra o Espiritismo.

                Explicação obtida no G.E.A.E – Grupo de Estudos Avançados Espíritas :


ABRE ASPAS :

                A frase dita por uma das Irmãs Fox : "O espiritismo é fraude do princípio ao fim, é a maior impostura do século", não traz a informação de que o termo "Espiritismo" é usado aqui em sentido próprio. A história é a mesma do uso do termo "médium" nos livros do velho testamento, que você pode encontrar em algumas versões protestantes da Bíblia. O "Espiritismo" a que se refere a irmã Fox, em 1847, não é o Espiritismo tal qual entendemos hoje. É preciso lembrarmos que o termo "Spiritism" não existia em inglês do século XIX. Da mesma forma, em alemão "Spiritismus" está longe de significar a doutrina codificada por Kardec. Na versão do jornal, o que aparece é "Spiritualism", ou Espiritualismo que é versão em português designando o movimento de médiuns americanos quando do início dos fenômenos.

                Por outro lado, é preciso, também, esclarecer em que contexto a irmã Fox disse isso, porque todos os que conhecem a história do Espiritualismo e do Espiritismo sabem o quão massacrados e explorados foram os primeiros médiuns. É sabido (de acordo com C. Doyle, ver "History of Spiritualism"), que uma das Fox tornou-se alcoólatra no final de suas existências por causa dessa exploração. Detalhes do trágico destino de muitos médiuns do século XIX podem ser encontrados na referida obra de Doyle. Temos, porém, que investigar se a frase foi dita realmente por ela ou se foi um boato ligado a ela como muitos que ocorreram com esses médiuns. A falha moral dos médiuns é perfeitamente justificável, tendo em vista que a mediunidade em si não carrega consigo nenhuma exigência de bondade e retidão, é uma faculdade neutra, não tendo nada a ver com a ética.

FECHA ASPAS.


**********


Nota : Para aqueles que quiserem obter mais detalhes sobre os verdadeiros acontecimentos relacionados às Irmãs Fox e que não foram divulgados pelos Religiosos da época, esclarecendo assim, definitivamente as pancadas misteriosas e os fatos ocorridos em Hydesville, clique aqui.



                E sinceramente, será que por causa de “meia dúzia" de pessoas deveremos condenar TODO o Espiritismo ? E será por causa de um ou outro Pastor ou até mesmo um Líder Protestante que não correspondem ao verdadeiro Ensino Cristão, deveremos condenar TODA A RELIGIÃO EVANGÉLICA ???   O raciocínio parece elementar ...

                Você menciona que o Espiritismo Kardecista nada apresenta de prático que possa provar suas teorias. Pergunto-lhe : E quem está interessado em provar teorias que, por vezes, passam pela questão da Fé ???   Por acaso, os Evangélicos já provaram a existência da Santíssima Trindade ? Note bem : Eu disse “Provaram”. Esse tipo de coisa, não se prova. É uma questão de fé. E fé não se discute. Se acreditamos na Reencarnação e não podemos prová-la cientificamente, o mesmo ocorre com a Trindade, tão defendida por Católicos e Protestantes. Nada impede dizer que a Reencarnação é questão de Fé. E neste caso, as coisas param por aí. Ninguém pode pedir provas de princípios de uma Religião se não há como provar os princípios da sua própria Religião.

                Mas se Você insiste, com relação à comunicação com os Espíritos, já há uma corrente ligada à Ciência que está cuidando dessas Provas. Você sabia ???   Existem Cientistas da mais alta respeitabilidade no Brasil e no mundo que estão tentando provar CIENTIFICAMENTE a possibilidade de comunicação com os Espíritos ( o que é um dos princípios básicos da Doutrina de Kardec ) através de aparelhos eletrônicos de última geração. Podemos citar a A.N.T - Associação Nacional dos Transcomunicadores, a qual é DESVINCULADA DE QUAISQUER RELIGIÕES, reunindo Cientistas do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas, de São Paulo, participações em Congressos de Psicotrônica, Laudos Científicos emitido por especialistas da USP, convênios com a IONS - Institute of Noetic Sciences, da California - USA, etc :

A.N.T :
http://www.ipati.org


                E não é só isso. Há no meu Site, uma reportagem ( Seção TEXTOS – Texto 10 ) que fala de experiências realizadas por Cientistas Ingleses e Holandeses em 10 Hospitais dos Países Baixos, a qual analisou 1500 pessoas no leito de morte. Pelo menos 63 delas voltaram para contar o que viram. É a primeira vez que a Ciência assina esse tipo de experiência. Neste caso, não é uma questão de crença ou Fé. Trata-se da Ciência comprovando a comunicação dos Espíritos com o mundo material. Veja a reportagem no meu Site. Existe um Filme que registra os depoimentos das pessoas envolvidas e os locais das experiências. Não há a menor possibilidade de fraude.

                Com relação à Santíssima Trindade, essa envolve a Divindade de Jesus :

                A Divindade, tão apregoada pelo Catolicismo e suas vertentes, resume-se, em poucas palavras, na crença de que Jesus é Deus ( o fato é ligado aos mistérios da “Santíssima Trindade”, a qual é mais detalhada posteriormente ). Mas afinal, será mesmo que Jesus disse, inequivocamente, que Ele era o próprio Deus ? Bem, vejamos as palavras do próprio Cristo, descrita por seus Apóstolos :

* Lucas 13, 33 : "Entretanto devo continuar meu caminho hoje, amanhã e no dia seguinte, porque não convém que um PROFETA morra fora de Jerusalém".

* João 8, 40 : "Procurais tirar-me a vida a mim que SOU HOMEM, que vos digo a verdade que de Deus ouvi".

* Marcos 6, 4-5 : "Mas Jesus lhes dizia : "Um PROFETA só deixa de ser honrado em sua pátria, em sua casa e entre seus parentes. E não podia ali fazer milagre algum". (Argumento que utilizou para justificar porque Ele não conseguia fazer milagres em Nazaré).

                Observamos, assim, o que o próprio Jesus dizia sobre sua pessoa. Facilmente, também, concluímos que Jesus não era Deus E SIM FILHO DE DEUS, pois em diversas Passagens vemos Cristo se referindo a Deus com PAI !!!   Observe :

1) João 14, 12-13, Ele diz : "Eu vos afirmo e esta é a verdade : Quem crê em mim fará as obras que eu faço. E fará até maiores, porque vou AO PAI, e o que pedirdes AO PAI em meu nome eu farei, para que O PAI seja glorificado no filho".

2) João 4, 34 : Jesus afirmou : "Meu alimento é fazer a vontade DAQUELE QUE ME ENVIOU a levar a cabo a sua obra".

3) João 5, 19 : "Eu vos afirmo e esta é a verdade : O Filho nada pode fazer por si mesmo, a não ser o que vê O PAI fazer".

4) E finalmente, uma Passagem das palavras de Jesus e que não deixa dúvida : João 7, 28 : "Se me amásseis, vos alegraríeis de que eu vá AO PAI, porque O PAI é maior do que eu".

                Com relação à Passagem Nº 4, podemos inferir : Ora, como alguém pode ser maior do que Jesus, SE Jesus fosse o próprio Deus ? Acaso haveria sentido nas Palavras de Cristo, se Ele dissesse que Ele era maior do que ELE PRÓPRIO ???

                É lógico que tudo é uma questão de interpretação. Por mais claro e evidente que sejam as Palavras de Jesus, os Católicos que adaptaram a teoria da Trindade e posteriormente os Evangélicos que adotaram integralmente esse raciocínio dos Católicos, sempre procuram outras Passagens que mais lhes interessam para justificar suas crenças, “esquecendo-se” dessas que eu aqui citei e também “enxergam” coisas estranhas nas Palavras de Cristo, para dar respaldo às suas respectivas interpretações. Evidentemente, essa é a MINHA opinião pessoal sobre esse assunto, o que, é claro, diverge da opinião de outras Religiões.

                Além disso, a questão da Divindade de Jesus, FOI REJEITADA POR TRÊS CONCÍLIOS, dos quais o mais importante foi o de Antioquia ( 269 D.C. ) e somente foi aprovada no Concílio de Nicéia ( 325 D.C ) POR UM VOTO APENAS, de diferença, mesmo havendo a pressão do Imperador Constantino, com ameaças de punições, como o exílio no deserto, para aqueles que votassem contra a proclamação da Divindade de Jesus, que, até então, só era aceita por uma minoria da Igreja. O famoso e respeitado teólogo Ário era o líder dos contrários à instituição do Dogma da Divindade de Jesus, o qual contava com o apoio de mais de 300 Bispos do mundo até então Cristão.

                Como se vê, a Divindade de Jesus foi promulgada por uma espécie de “DECRETO”, e não por fundamentos e estudos teológicos. Interessante, não ???

                Além disso, Constantino queria um Império unido e forte, sem dissensões. Para manter o seu domínio sobre os homens e estabelecer a autoridade humana, as autoridades eclesiásticas romanas deviam manter a ignorância sobre as filosofias e escrituras. A mesma Bíblia devia ser diferente. Devia exaltar Deus e os Patriarcas mas, também, um Deus forte, para se opor ao próprio Jeová dos Hebreus, ao Buda, aos poderosos deuses do Olimpo. Era necessário trazer a Divindade Arcaica Oriental, misturada às fábulas com as antigas histórias de Moisés, Elias, Isaías, etc, onde colocaram Jesus, não mais como Messias ou Cristo, mas, maliciosamente, colocaram Jesus parafraseado de divindade no lugar de Jezeu Cristna, a segunda pessoa da trindade arcaica do Hinduísmo.

                Nesse quadro de ambições e privilégios, não havia lugar para uma doutrina que exalta a responsabilidade individual e ensina que o nosso futuro está condicionado ao empenho da renovação interior e não à simples adesão e submissão incondicional aos Dogmas de uma Igreja, os quais, para uma perfeita assimilação, era necessário admitir a quintessência da teologia : "Credo quia absurdum", ou seja, "Acredito mesmo que seja absurdo", criada por Tertuliano ( 155-220 ), apologista Cristão.

                Disso tudo deveria nascer uma religião forte como servia ao império romano. Vieram ainda a ser criados os mitos da Sagrada Família e de todos os Santos, mas as verdades do real cânone do Novo Testamento e parte das Sagradas Escrituras deviam ser suprimidas ou ocultadas, inclusive as obras de Sócrates e outras Filosofias contrárias aos interesses da Igreja que nascia.

                Esta lógica foi adotada pelas forças clericais mancomunadas com a política romana, que precisava desta religião, forte o bastante, para impor-se aos povos dominados por Roma, para assegurar-se nos domínios conquistados, onde dominava as terras, mas não o espírito dos povos ocupados. Em troca, o Cristianismo ganhava a Universalidade, pois queria se tornar "A Religião Imperial Católica Apostólica Romana", a Toda Poderosa, que vinha a ser sustentada pela força da espada, nominalmente remissiva, recomendando o perdão, mas que na prática, derrotava os inimigos à força.

                Então não era da tolerância pregada pelo Cristianismo que Constantino precisava, mas de uma religião autoritária, rígida, sem evasivas, de longo alcance, com raízes profundas no passado e uma promessa inflexível no futuro, estabelecida mediante poderes, leis e costumes terrenos.

                Para isso, Constantino devia adaptar a Religião do Carpiteiro, dando-lhes origens divinas e assim impressionaria mais o povo o qual sabendo que Jesus era reconhecido como o próprio Deus na nova religião que nascia, haveria facilidade de impor a sua estrutura hierárquica, seu regime monárquico imperial, e assim os seus poderes ganhariam amplos limites quase inatingíveis.

                Quando Constantino morreu, em 337, foi batizado e enterrado na consideração de que ele se tornara um décimo terceiro Apóstolo, e na iconografia eclesiástica veio a ser representado recebendo a coroa das mãos de Deus.

Fonte : “UMA HISTÓRIA DA LEITURA”, de Alberto Manguel, COMPANHIA DAS LETRAS – SP, 1997 ( páginas 228 a 237 ) da "LEITURA DO FUTURO" - Editora Schwarcz Ltda.


**********


                Historicamente, segundo os melhores pesquisadores teólogos, a “Santíssima Trindade”, tão apregoada pelo Catolicismo, teve origem na Trindade da Índia ou na concepção caldáica da própria Divindade. Ou seja, esta “Trindade” nada mais foi que uma cópia da base fundamental de outras Religiões, bem mais antigas do que o Cristianismo. Essas outras Religiões tinham por base a MITOLOGIA para justificar a “Trindade”. Muitos deuses, nessas antigas Religiões, são reconhecidos, mas todos são manifestações de Brahma. Junto com Vishnu e Shiva, constitui a “ Santíssima Trindade ” Hindu : O Trimurti, ou os Três Poderes, termo que foi antecedente da “Santíssima Trindade” do Catolicismo, e bem à sua semelhança.   Você sabia disso ???

                Portanto, a Divindade de Jesus, relacionada com a “Santíssima Trindade” tão apregoada pelo Catolicismo e adotada pelo Protestantismo, tem por base histórica MITOLOGIAS e IMPOSIÇÕES DE TIRANOS, COMO FOI O CASO DO IMPERADOR CONSTANTINO, EM 325 D.C. E os fiéis da Igreja aceitam tudo, sem questionar ... Na verdade, os fiéis Católicos e Evangélicos das Igrejas, de um modo geral, nem sabem o porquê das coisas, e saem por aí proclamando “verdades” à sua maneira. Basta o Padre ou o Pastor falar que é “verdade”, dizer que existe alguma Passagem na Bíblia ( convenientemente interpretada por suas respectivas Religiões ), E TODOS ACEITAM CALADOS E RESIGNADOS !!!


                Além disso, observem as citações relativas ao Dogma da Trindade, feitas por Instituições e Estudiosos de várias partes do mundo :


The New Encyclopaedia Britannica diz : "Nem a palavra Trindade, nem a doutrina explícita, como tal, aparecem no Novo Testamento, e nem Jesus ou seus seguidores tencionaram contradizer o Shema do Velho Testamento: 'Ouve, ó Israel: O Senhor, nosso Deus, é um só Senhor' (Deut. 6:4). A doutrina desenvolveu-se gradualmente com o decorrer dos séculos, enfrentando muitas controvérsias. Por volta do fim do 4.° século. a doutrina da Trindade tomou substancialmente a forma que desde então tem conservado." - (1976), Micropædia, Vol. X, p. 126.

The New Catholic Encyclopaedia diz : "A formulação de 'um só Deus em três Pessoas' não foi solidamente estabelecida, de certo não plenamente assimilada na vida cristã e na sua profissão de fé, antes do fim do 4.° século. Mas, é precisamente esta formulação que tem a primeira reivindicação ao título o dogma da Trindade. Entre os Pais Apostólicos, não havia nada, nem mesmo remotamente, que se aproximasse de tal mentalidade ou perspectiva." - (1967), Vol. XIV, p. 299.

The Encyclopedia ( Americana ) : O Cristianismo derivou-se do judaísmo, e o judaísmo era estritamente unitário [cria que Deus é uma só pessoa]. O caminho que levou de Jerusalém a Nicéia dificilmente foi em linha reta. O trinitarismo do quarto século de forma alguma refletiu com exatidão o primitivo ensino cristão sobre a natureza de Deus; foi, ao contrário, um desvio deste ensinamento." - (1956), Vol. XXVII, p. 294L.

Segundo o Nouveau Dictionnaire Universel : "A trindade platônica, que em si é meramente um rearranjo de trindades mais antigas, que remontam aos povos anteriores, parece ser a trindade filosófica racional de atributos que deram origem às três hipóstases ou pessoas divinas ensinadas pelas igrejas cristãs. O conceito deste filósofo grego ( Platão, do 4.° século AEC ) sobre a trindade divina pode ser encontrado em todas as religiões pagãs antigas." - ( Paris, 1865-1870 ), editado por M. Lachâtre, Vol. 2, p. 1467.

The Dictionary of the Bible, diz : "A trindade de pessoas dentro da unidade de natureza é definida em termos de 'pessoa' e de 'natureza', que são termos filosóficos gregos ; na realidade, esses termos não aparecem na Bíblia. As definições trinitárias surgiram em resultado de longas controvérsias, em que estes termos e outros, tais como 'essência' e 'substância', foram erroneamente aplicados a Deus por alguns teólogos." - (Nova Iorque, 1965), p. 899.

The New Catholic Encyclopaedia admite : "A maioria dos textos do Novo Testamento revela o espírito de Deus como sendo algo, não alguém; isto se vê especialmente no paralelismo entre o espírito e o poder de Deus. ( 1967, Vol. XIII, p. 575 ) Diz também : "Os apologistas ( escritores cristãos gregos do segundo século ) falavam com demasiada hesitação do Espírito; pode-se adiantar até certo ponto que o fizeram de modo impessoal demais." - Vol. XIV, p. 296.

The Dictionary of Religious Knowledge ( Dicionário de Conhecimento Religioso ), de Abbott, chama a Trindade de característica "deveras marcante" da religião hinduísta, sendo "discernível" nas antigas religiões pré-cristãs da Pérsia, do Egito, de Roma, do Japão, da Índia e da Grécia. O Professor Hopkins responde: "A doutrina da trindade era evidentemente desconhecida de Jesus e de Paulo; de qualquer modo, eles nada dizem sobre ela." - Origin and Evolution of Religion ( Origem e Evolução da Religião ).

Newman em The Development of Christian Doctrine ( O Desenvolvimento da Doutrina Cristã ), página 15, escreveu que os credos antes do tempo de Constantino não faziam qualquer menção dela. "Fazem deveras menção de Três; mas, nunca se declara, e jamais se poderia deduzir deles que haja qualquer mistério na doutrina, que os Três são Um, que Eles sejam coiguais, coeternos, todos incriados, todos onipotentes, todos incompreensíveis".

Reconhece a New Catholic Encyclopedia ( Nova Enciclopédia Católica ) : "Há o reconhecimento, por parte de teólogos bíblicos, inclusive um número constantemente crescente de católicos-romanos, de que não se deve falar de Trinitarismo no Novo Testamento sem séria qualificação. Há também o reconhecimento intimamente paralelo, por parte dos historiadores de dogmas e dos teólogos sistemáticos de que, quando se fala deveras de Trinitarismo inqualificado, já se passou do período das origens cristãs para, digamos, o último quadrante do 4.° século. Foi somente então que aquilo que se poderia chamar de dogma trinitário definitivo, 'Um Deus em três Pessoas' tornou-se cabalmente assimilado na vida e no pensamento cristãos."

The Catholic Encyclopedia for School and Home ( Enciclopédia Católica Para a Escola e o Lar ) admite : "A Trindade era desconhecida das pessoas antes do tempo de Nosso Senhor".

The New Schaff-Herzog Encyclopedia of Religious Knowledge ( Nova Enciclopédia de Conhecimento Religioso de Schaff-Herzog ) indica : "Muitos dos cristãos primitivos, por sua vez, sentiam peculiar atração pelas doutrinas de Platão, e as empregavam quais armas para a defesa e extensão do Cristianismo, ou colocavam as verdades do Cristianismo numa moldura platônica. As doutrinas do Logos ("a Palavra" em grego ) e da Trindade obtiveram seu formato dos Padres gregos que, se não educados nas escolas, foram muito influenciados, direta ou indiretamente pela filosofia platônica, em especial em sua forma judaico-alexandrina.

The Illustrated Bible Dictionary (Dicionário Bíblico Ilustrado - Protestante ) declara : "A palavra Trindade não é encontrada na Bíblia. Não achou um lugar formal na teologia da igreja até o 4.° século. Embora não nos forneça uma doutrina formulada da Trindade, contém todos os elementos com os quais a teologia formulou a doutrina."

The New International Dictionary of the New Testament Theology declara : "Tudo isto sublinha o ponto de que o Cristianismo primitivo não dispunha de uma doutrina explícita da Trindade, tal como foi subsequentemente formulada nos credos da igreja primitiva".

No prefácio do livro History of Christianity ( História do Cristianismo ), de Edward Gibbon, lemos : "Se o paganismo foi conquistado pelo cristianismo, é igualmente verdade que o cristianismo foi corrompido pelo paganismo. O puro deísmo dos primeiros cristãos foi mudado, pela Igreja de Roma, para o incompreensível dogma da trindade. Muitos dos dogmas pagãos, inventados pelos egípcios e idealizados por Platão, foram retidos como sendo dignos de crença."

O Dicionário do Conhecimento Religioso menciona que muitos dizem que a Trindade "é a corrupção emprestada de religiões pagãs e enxertada na fé cristã". E o Paganismo no Nosso Cristianismo declara : "A origem da Trindade é inteiramente pagã".

Na Enciclopédia de Religião e Ética, James Hastings escreveu : "Na religião indiana, p.ex., temos o grupo trinitário de Brama, Xiva e Vixenu; e na religião egípcia, com o grupo trinitário de Osíris, Ísis e Hórus. Tampouco é apenas em religiões históricas que encontramos Deus sendo considerado como uma Trindade. Vem-nos à mente em especial o conceito neoplatônico da Suprema e Derradeira Realidade", que é "representada triadicamente".

The New Schaff-Herzog Encyclopedia of Religious Knowledge ( Nova Enciclopédia de Conhecimento Religioso, de Schaff-Herzog ) mostra a influência dessa filosofia grega: "As doutrinas do Logos e da Trindade receberam a sua forma de Pais Gregos, que foram muito influenciados, direta ou indiretamente, pela filosofia platônica. Que dessa fonte se infiltraram erros e corrupções na Igreja, não pode ser negado."

No livro A Statement of Reasons ( Declaração de Razões ), Andrews Norton diz sobre a Trindade : "Podemos traçar a história dessa doutrina e descobrir a sua origem, não na revelação cristã, mas sim na filosofia platônica. A Trindade não é uma doutrina de Cristo e de seus Apóstolos, mas sim uma ficção da escola de posteriores platonistas."

A Igreja dos Primeiros Três Séculos diz: "A doutrina da Trindade foi formada de maneira gradual e comparativamente tardia e teve a sua origem numa fonte inteiramente estranha à das Escrituras Judaicas e Cristãs. Cresceu, e foi enxertada no cristianismo, pelas mãos de Pais platônicos."



***********************


                Li, com tristeza, uma de suas afirmativas : “ A grande realidade é que o Espiritismo, nas suas diversas denominações ou filosofias, é uma grande farsa. ”   Ora, Marcelo, não queria mais tocar nesse assunto, mas diante do exposto ...   Certa vez, minha Esposa estava em um dos cultos da Assembleia, no Flamengo – Rio, quando, lá pelas tantas, o Pastor disse às pessoas que assistiam :


" Vamos irmãos, vamos iniciar as Ofertas :


Quem pode dar R$ 1.000,00 ?"   Silêncio geral. " E R$ 800,00 ? " Novamente silêncio. O Pastor retruca : " Vejam Irmãos, quanto maior a oferta, maior a Graça de Deus !!! "



                Marcelo : Será que Deus dá a Sua Graça em plenitude, àqueles que podem pagar mais ??? Isso não lhe parece um comércio, um Leilão da Graça Divina de Deus ???

                Isso me lembra práticas usadas pelo catolicismo medieval, onde se vendiam indulgências aos que podiam pagar para o perdão dos pecados. Desculpe-me, MAS ISSO SIM É UMA GRANDE FARSA !!!

                Não me refiro à sua pessoa, de forma nenhuma. Pois Você pareceu-me íntegro, honesto e puro de coração. Mas o relatado acima não acontece só na Assembleia, do Bairro Flamengo, onde minha esposa frequentava ( Hoje Ela frequenta outra Igreja ). Isso ocorre em todo o Brasil.

                Palavras suas : “Se a reencarnação de fato existe, não há nenhum inconveniente em se pertencer a outra religião, uma vez que não incorreremos ao risco da perdição e todos teremos uma outra chance. Nisto não há perigo! Por outro lado, caso realmente aquilo em que os cristãos evangélicos creem seja correto, os adeptos da reencarnação estão incorrendo em enorme perigo, uma vez que tal crença contraria a Palavra de Deus e sujeita os praticantes do espiritismo a uma flagrante rebelião contra a vontade de Deus. O juízo para tal é a perdição eterna”.

                Perdoe-me, mas isso teve para mim uma forte conotação de preconceito, uma vez que os Espíritas não excluem ninguém da Salvação, mas já os Crentes, segundo os entendimentos dos mesmos, apontam os Espíritas para o "inferno", uma vez que esses não seguem cegamente os princípios Evangélicos. Mas certamente Você dirá que o que os Espíritas não seguem é a Bíblia. Porém, já mencionei esse fato. O que não seguimos é a intervenção puramente humana contida na Bíblia. E seguimos SIM, os ensinamentos genuínos de Cristo contidos nas Sagradas Escrituras.

                Você diz que Hitler, segundo o Espiritismo, pode mesmo estar a serviço de Deus, quando assassinou 6 milhões de judeus, pois assim o fez executando um favor, já que os judeus mortos, segundo o Espiritismo, estavam pagando por erros cometidos em vidas anteriores.

                Marcelo, a Lei do carma utiliza, em certos casos, da escória da Sociedade, para que cada um salde seus débitos. Se existem estupradores, assassinos, criminosos, etc, é porque ainda vivemos num mundo atrasado, cheio de pessoas ignorantes e pouco evoluídas moral e intelectualmente. Porém, essa “escória” deverá resgatar tudo o que fizer. Passarão por todas as atrocidades que cometeram. Se um indivíduo é vítima de criminosos, é um sinal que, em alguma vida passada, essa pessoa teve ligação com esse tipo de comportamento. Quanto a Nero e Hitler, será que alguém sabe o que aconteceu com Eles nas encarnações seguintes ?   Será que podemos esquecer do enorme resgate que esses indivíduos terão ( ou tiveram ) que suportar nas vidas que viriam ?

                Mas, por outro lado, perguntarão os incrédulos : “Mas, isso não tem fim ?”   É evidente que sim !   À medida que vamos progredindo, à medida que a Sociedade vai adquirindo novos valores morais, os resgates serão outros. A Terra ainda é um mundo de expiação e provas !

                Para finalizar, digo-lhe que alguns membros da Igreja Católica e também Evangélica são plenamente favoráveis à comunicação com os Espíritos e a Reencarnação.   Quer exemplos ?

                Nehemias Marien, Pastor Presbiteriano, da Igreja Bethesda, zona sul do Rio de Janeiro, professor de Teologia Bíblica e de Ciências Bíblicas, escreveu livros sobre a Reencarnação e a imortalidade da alma em termos muito favoráveis ao Espiritismo, como por exemplo : Jesus, A Luz da Nova Era, um Livro polêmico, em função das posicões assumidas pelo Pastor que revela uma imagem liberal e humana de Jesus de Nazaré. Para ele, "O Espiritismo é o mais caudaloso afluente do Cristianismo, a Bíblia o mais antigo Livro de psicografia e mediunidade, Cristo é o médium perfeito, e a mentalidade Kardecista, todos nós a temos ". Nehemias Marien consegue o respeito de sua Comunidade, de mais de 350 congregados, onde é Pastor da Igreja Presbiteriania Bethesda, há 26 anos. Ele é conhecido nacionalmente, inclusive já participou do Programa Jota Silvestre, respondendo sobre as Sagradas Escrituras, quando foi considerado um profundo conhecedor do assunto. Veja uma de suas respostas, dadas em entrevista a uma Revista :

Repórter : “Como o Senhor encara os sucessivos ataques de Pastores ao Espiritismo ? ”

Pastor Nehemias Marien : “ Bom, como eu diria, nossos amados irmãos são aliados. Estamos todos no mesmo barco, mas eles fazem parte da artilharia. O artilheiro é o soldado, que vem lá atrás. A infantaria somos nós, a Doutrina Espírita, aqueles que vão lá para frente. A artilharia, ao abrir espaço à frente, solta as bombas, mas são muito ruins de cálculos matemáticos, erram os cálculos e acabam dizimando os próprios aliados. É o que acontece, criticando o Espiritismo, que está na mesma dimensão espiritual. Eu os chamo, vamos dizer assim, de bonsais espirituais, aquela plantinha que não cresce. Lá em Tóquio, vi todo um horto só de bonsai, bonitos, mas não se desenvolveram, espiritualmente. Estes que atacam nossos irmãos Espíritas e outras tradições, com as quais não concordam, é uma espécie de pitibus. Eu acho que os ventos contrários firmam raízes da árvore, e o avião sobe mais alto. Acho que é como burilando um diamante, que vira brilhante. ”

                Pergunto-lhe : Seria um Pastor, desse Quilate, um necromante ???


                Por outro lado, O Padre Católico François Brune, pesquisador do Vaticano, de expressiva formação Acadêmica, bacharelou-se em latim pela Universidade de Sobornne, diplomou-se em Grego e Filosofia, cursou o Instituto Católico de Paris e a Universidade Tubingen, na Alemanha, licenciando-se em Teologia e Escrituras Sagradas. Entre outras especializações o Padre François estudou também Hieroglíficos Egípcios, Assírios, Babilônicos e Hebraico. Em 1983 o Padre François Brune publicou o livro “Os Mortos nos falam” onde relata suas vivências na época das pesquisas da Transcomunicação em Luxemburgo. Transcomunicação é o sistema que permite o contato com Espíritos, através de aparelhos eletrônicos ( isso foi mencionado por mim, anteriormente, relativamente à A.N.T – Associação Nacional dos Transcomunicadores ) e também é autor do Livro "Linha Direta do Além", o qual explica e defende a comunicação com Espíritos.

                Pergunto-lhe novamente : Seria um Padre Católico, desse Quilate, um necromante ???


                Como se vê, o Espiritismo não está tão isolado, como podia parecer à primeira vista. Muitos, de outras Religiões já assumem os princípios Espíritas. E digo mais : Além de tudo o que foi dito sobre Nehemias Marien e François Brune, sabemos que alguns Padres e Pastores, mesmo que intimamente acreditem na Reencarnação, acabam se calando, com medo do repúdio dos seus superiores reacionários e da sociedade acomodada em tradições arcaicas e submissa aos desígnios e desmandos de muitos outros Padres e Pastores arraigados em preconceitos, que não admitem o menor questionamento sobre aquilo que dizem, impondo a todos uma Fé cega, ou seja, aquela Fé que exige a renúncia de uma das maiores prerrogativas do Homem : O Raciocínio e o Livre-Arbítrio.

                Marcelo, peço-lhe para não levar para o lado pessoal, tudo o que foi dito, pois reitero : Acredito que Você é puro de coração e íntegro nas suas atitudes. E que Deus o mantenha sempre unido às suas crenças, pois não tive a menor intenção de demovê-lo, e nem poderia, pois Você possui convicções religiosas dignas de todo o respeito.

Abraços e Muita Paz

Jefferson





NOVA RESPOSTA DE MARCELO MOLINA, EM 21.08.02


Caro Jefferson,


                Espero que esteja tudo muito bem com você e sua família.

                Tendo em vista algumas questões que ficaram em aberta na última carta que lhe enviei, através desta procuro esclarecer um pouco mais. Admito que o teor desta carta é um pouco mais audacioso que as demais que lhe mandei anteriormente. Mas, mesmo assim peço que você veja com bons olhos. Pensei bastante antes de lhe enviar este e-mail, mas senti no meu coração que deveria lhe enviar sim. Assim o fiz.

                Como as demais cartas, respeito sua opinião e lhe advirto: se for desagradável não há a menor necessidade de você prosseguir com estas linhas. Devo lhe dizer que não mais lhe estarei escrevendo, devido a inclinação a qual este assunto, o qual já se prolongou bastante, poderia tomar. Visto também que tenho minhas convicções e você as suas e não é muito edificante ficar você puxando a corda de um lado e eu de outro. Também, devo lhe dizer que fiquei muito preocupado com o tema da sua home page, a saber, “POLÊMICA RELIGIOSA”, quando eu estive visitando. Percebo que muitos outros cristãos já lhe escreveram e não adiantou absolutamente em nada, e que pouco vai fazer diferença eu lhe escrever ou não.

                Desejo a você e sua família os mais sinceros votos de paz, prosperidade, saúde e felicidade, e acima de tudo, que Deus possa a cada dia lhe esclarecer sobre toda verdade e lhe abençoar muitíssimo.

Seguem-se os assuntos:


É Cristão o Espiritismo?


                Você afirma que o espiritismo é cristão. Será, Jefferson? Vamos analisar algumas coisas primeiro antes de afirmarmos que de fato isto é assim. O espiritismo....


...não crê na autoridade das escrituras.

                O maioral do espiritismo, Allan Kardec, acredita que a Bíblia está cheia de erros, assim com você, Jefferson, veja: “A Bíblia, evidentemente, encerra fatos que a razão, desenvolvida pela ciência, não poderia hoje aceitar e outros que parecem estranhos e derivam de costumes que já não são os nossos”, diz arrogantemente em A Gênese, p. 87.

                Muitas vezes, durante suas enganosas argumentações, os doutrinadores espíritas, numa linguagem “mansa” e “reverente”, citam os textos bíblicos que, aparentemente, apóiam seus errôneos ensinamentos, mas são capazes de desconhecer imediatamente a Bíblia como um livro infalível, autêntico e divinamente inspirado, de rotulá-la como velha e ultrapassada e de negar, furiosos, que ela seja a Palavra de Deus, quando um evangélico cita um ou alguns dos muitos versículos ou passagens bíblicas que condenam as práticas e as doutrinas espíritas.

                No livro Pseudos-Sábios ou Falsos Profetas (1947, p.34), o espírita Rangel Veloso diz ter ouvido em um centro espírita a seguinte definição de Deus, panteísta e afrontadora como costumam ser as opiniões espíritas sobre o Criador: “Deus é uma folha de papel, rasgadinha em milhões, bilhões e não sei quantas mais divisões. Lançados esses pedacinhos de papel no Universo, cada pedacinho de papel representa um homem e um ser existente, e todos reunidos, formando o todo, é Deus.”

                Sabemos que Adão foi o primeiro homem criado por Deus, e que, por ele ter pecado, os homens incorreram todos na condenação (Romanos 5.18). Mas não é assim que o espiritismo ensina. Na página 70 do livro citado, a resposta que os “espíritos” deram à pergunta de número 50 – “A espécie humana começou por um só homem?”, foi: “Não; aquele a quem chamais Adão não foi o primeiro nem o único a povoar a Terra.” E, dessa forma blasfematória, os “espíritos” do espiritismo e Kardec prosseguem ao longo da 1018 questões contidas no livro que os espíritas consideram sua bíblia – O Livro dos Espíritos – , negando tudo o que Deus ensinou à humanidade através dos profetas, e sendo contrários a tudo o que Jesus e os apóstolos pregaram.

                O curioso é que na página 60 do livro A Gênese (que tem como subtítulo: os milagres e as predições segundo o espiritismo, FEB, 28º Ed., Rio de Janeiro, 1985) Allan Kardec assina a sentença de condenação desse sistema anti-humano, antilógico, antibíblico que é o Espiritismo, ao definir os atributos de Deus: “Deus é, pois, a inteligência suprema e soberanamente justo e bom, eterno, imutável, onipotente, soberanamente justo e bom, infinito em todas as perfeições, e não pode ser diverso disso.” Como? E apesar de possuir todos esses atributos, Deus criou-nos como espíritos atrasados, sujeitos a tantos vexames e aspectos ridículos no caminho da perfeição.

                Após ler isto, coloco diante dos espíritas o seguinte problema: Apesar de reconhecer que um dos atributos de Deus é ser “infinito em todas as suas perfeições”, e que “a providencial sabedoria das leis divinas se revela nas mais pequeninas coisas, como nas maiores, não permitindo essa sabedoria que se duvide da sua justiça, da sua bondade”, Kardec (ou os tais espíritos que teriam ditado as doutrinas espíritas) afirma que Deus, esse Ser justo, bom e infinito em suas perfeições, criou os espíritos “simples, ignorantes, sem conhecimento. (Os espíritos e não o ser humano, observe-se este detalhe, pois o homem, segundo Kardec, surgiu muito depois, como produto da união desses “espíritos” com os macacos, que habitavam em épocas passadas o mundo).

                Kardec, afirmando que Deus, com todos os seus atributos positivos, criou o ser humano como um espírito atrasado, imperfeito, sendo este obrigado a peregrinar, em busca da perfeição, dos mundos atrasados aos mundo mais adiantados, na condição de pedra bruta, plantas, insetos, quadrúpedes, até chegar à condição de ser humano, é inegável que o espiritismo se enquadra plenamente nessas condições de falsidade e erro.
Sabe o que diz a Bíblia acerca disso?

R: Romanos 3.23-31.
O Apóstolo Paulo não concorda com o espiritismo!


...não admite a existência de anjos

                Para o espiritismo não existem anjos nem demônios, conforme nos ensinam as Sagradas Escrituras. Segundo o Livro dos Espíritos, questões 128 a 131, os anjos seriam espíritos evoluídos, puros, ou seja: Deus os criou inicialmente ignorantes e rudes, e no difícil caminho do aperfeiçoamento, passaram no corpo de macacos, evoluíram até chegarem ao estado de seres humanos, e depois de reencarnarem inúmeras vezes, tornaram-se espíritos de luz. Isto significa que Nero, Hitler, Lampião e outros terríveis homens sanguinários um dia serão anjos... E até o Diabo e seus auxiliares terão também a sua chancezinha, como cortesia da “bondade” do espiritismo!

                Portanto, os anjos foram criados, e não são produto da evolução reencarnacionista pregada pelo espiritismo.

Sabe o que a Bíblia diz acerca disso?
R: Lucas 22.43; Mateus 26.51-53.

Jesus discorda com a teoria espírita.


...não crê que existe Céu nem Inferno

                Muito esforço empreendeu Kardec para negar a existência do Céu e do Inferno. Além das dezenas de páginas ocupadas no Livro dos Espíritos com as costumeiras e diabólicas alegações de que as referências de Jesus e dos apóstolos sobre a existência de um lugar de suplício eterno e um lugar de felicidade eterna não passam de alegorias (fantasias, coisas irreais, figuradas), Kardec escreveu um livro, destinado a negar a existência do Céu e do Inferno, cujo título não poderia ser outro O Céu e o Inferno, sob a perspectiva espírita.

                Em uma discussão com um pastor sobre a existência do Inferno, assim se expressou o polemista Carlos Imbassay na página 158 do livro À Margem do Espiritismo: “Convença-se o nosso irmão pastor de que a Bíblia não refere ao sofrimento eterno do condenado. Se conseguissem convencer-nos de que é isso que a Bíblia afirma, nós a renegaríamos como falsa; e se nos provassem que ela é autêntica, nós renegaríamos o próprio Deus, porque não podemos adorar uma entidade cujos sentimentos de amor, justiça e misericórdia sejam inferiores aos nossos. E se há um Deus capaz de condenar uma de suas criaturas a sofrer eternos horrores por uma falta momentânea, cometida seja contra quem for, então este Deus está muito abaixo da sola dos nossos sapatos. Nós nos julgaremos, por isso, muito superiores a um tal Deus”! É muita blasfêmia para uma só ocasião! Isto nos mostra claramente qual é a verdadeira natureza do espiritismo.


...não reconhece a obra expiatória de Jesus

                Ensinando que cada um é responsável pela sua própria salvação (“Cada qual deve resgatar-se a si mesmo; resgatar-se da ignorância e do mal. Nada exterior a nós poderia fazê-lo”, afirma taxativamente Leon Denis no livro Cristianismo e Espiritismo, FEB, Rio de Janeiro, p.88), o espiritismo não reconhece em Jesus o Salvador da humanidade, aquele que morreu na cruz para nos redimir dos nossos pecados: “...Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o Justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus...” (1 Pedro 3.18). É em Cristo que “temos a redenção pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça” (Efésios 1.7).

                Porém, confirmando sua natureza anticristã e diabólica, o espiritismo afirma que cada um deve remir-se a si mesmo, por suas próprias obras. Enquanto a Palavra de Deus afirma: “...e pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2.8,9), o órgão oficial da FEB, o Reformador, certa vez publicou o seguinte: “A salvação não se obtém por graça nem pelo sangue derramado por Jesus no madeiro”, porém “a salvação é ponto de esforço individual que cada um emprega, na medida de suas forças”. Ainda haverá dúvida de que o espiritismo é a negação total do cristianismo???

               Diante de tantas blasfêmias, é importante que isto fique estabelecido aqui: ou Kardec ou Jesus. Ou fica-se com Allan Kardec e as blasfematórias doutrinas espíritas, ou fica-se com Jesus Cristo e as doutrinas evangélicas, os ensinamentos daquele que afirmou: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14.6). Fazer esta distinção é importante, pois milhões de pessoas estão envolvidas com práticas espíritas pensando estar seguindo a Jesus e sendo orientadas por ensinamentos bíblicos.

               Leon Denis, Talvez competindo com Allan Kardec em quantidade de blasfêmias e ensinamentos enganosos, diz, na página 81 do livro Cristianismo e Espiritismo, que “Jesus era um divino missionário, dotado de poderosas faculdades, um médium incomparável”, e, na página 81 do livro Depois da Morte (6º edição), Leon Denis mostra o que é que o espiritismo que dizer quando hipocritamente trata Cristo de “o divino Jesus”: “Nele vemos o homem que ascendeu à eminência final da evolução, e neste sentido é que o podermos chamar de deus”. Em outras palavras: Jesus seria tão-somente um homem que evoluiu mediunicamente! E ainda há pessoas que acreditam nas “boas intenções” do espiritismo, desse conjunto de doutrinas inspiradas por Satanás!

                Eu não poderia deixar de desmascarar aqui, aos próprios espíritas (muitos deles não estão ainda plenamente conscientizados da malignidade e blasfêmias das doutrinas espíritas) as palavras hipócritas de Kardec, sobretudo as que ele deixou registradas na seção VIII (conclusão) do Livro dos Espíritos: “Os espíritos – perguntam algumas pessoas – nos ensinam uma nova moral, quaquer coisa de superior ao que Cristo ensinou? (...) Não, o espiritismo não encerra uma moral diferente daquela de Jesus”. Eis o mais fiel retrato da hipocrisia!

               Mediante isso Jefferson, como você quer que eu engula que o espiritismo é cristão? É necessário ser míope ou fazer um esforço sobrenatural para acreditar nessa afirmação espírita: “Somos cristãos”. De fato, afirmar que o espiritismo é cristão é subestimar minha capacidade racional e a de muitas outras pessoas.


Idolatria


                O âmago da questão é: mentalizamos e criamos nossos próprios deuses, segundo o que nos parece melhor e raramente admitimos a imagem do verdadeiro Deus. Deus, por si só, subsiste e jamais assumirá a imagem que acharíamos que Ele deveria ter. Quando dizemos que Deus é assim ou assado, estabelecendo nossa própria justiça, não admitindo a justiça proveniente de Deus. Logo, entramos num estado de idolatria e contaminamos nosso entendimento com a imagem que criamos. Assim, a glória que é devida a Deus, tributamos a falsos deuses. Isso é o que vem fazendo diversas religiões que introduzem um pensamento diferente daquele que é revelado na Palavra de Deus. Uns, por desconhecerem a autoridade da Palavra, outros, por invalidarem e negarem tal autoridade.

                O que você afirma, Jefferson, se reflete num descontentamento com o que ensinam as Escrituras. Certamente este fato se dá pelo fato de haver uma precipitação em suas conclusões a esse respeito.

                Você diz:

                “Sinceramente, Marcelo, responda do fundo do seu coração :

Repare bem :

Testículo ; membro viril ; arrependimento e ira de Deus (??!!) ; Deus das vinganças (??!!) ; Deus mudou-lhes o coração para que ODIASSEM o seu Povo ; Deus feriu de morte a todos os Primogênitos ; Deus esmagará os Reis e ENCHE AS NAÇÕES DE CADÁVERES ; ESMAGARÁ CABEÇAS ... !!! Você acha realmente que isso poderia vir de Deus ??? Ou é intervenção do sentimento do homem, por exemplo, Davi, um Soldado Guerreiro acostumado a Guerras e mortes ???


                Medite também no seguinte:

                Quais foram as atrocidades que cometera Hitler diante da humanidade, em especial, com os judeus? E os povos que vivem em estreita desvantagem com relação ao nosso estado social-econômico? E os governos corruptos? A violência? A miséria humana em geral? Isso sem perder tempo enumerando as atrocidades cometidas no decorrer dessa imensa odisséia humana na terra. Coisas que superariam em muito ao que Hitler fez ao mundo. Já meditou nisso? Segundo o espiritismo, essa foi a forma que Deus encontrou para que a humanidade se purificasse. Que Deus bonzinho, você não acha?

                Veja agora o episódio de Gênesis 18.27,33, um diálogo feito pelo próprio Deus (incrível, Deus fala com homens!!! O espiritismo não admite isso, por que, segundo afirmam os espíritas, somos apenas meros espíritos atrasados, necessitados de um outro espírito num grau superior ao nosso para estabelecer a ponte; e Deus um ser intangível e inatingível ao ser humano!!!). Devo lembrar que você citou este episódio como uma forma de afirmar que cada um se salva por suas próprias obras. Já que você considerou o texto legítimo e de autoridade autêntica para afirmar tal coisa, também terá de admitir que Deus realmente falou face a face com Abraão. Isso não só valida este texto, como também o seu contexto. Caso contrário, eu diria que há de sua parte desonestidade, me desculpe!

                E o que dizer do Êxodo do povo israelita do Egito? Deus chamou Moisés (Êxodo 3.4-8) e lhe disse que havia de livrar os judeus da escravidão no Egito. Disse que Moisés deveria apresentar-se ao Faraó e anunciasse seu desejo – de Deus (Êxodo 5.1). Se Faraó deixasse o povo partir livremente nenhum mal sobreviria ao Egito. Mas Faraó endureceu seu coração contra Deus e respondeu-lhe duramente (Êxodo 5.2) e, como castigo, afligiu mais ainda os israelitas. Várias vezes se prolongaram as misericórdias de Deus sobre aquele povo (os egípcios) e tornou a falar a Faraó outras vezes, dando-lhe oportunidade de arrepender-se.

                Entretanto, Faraó permaneceu obstinado e preferiu não atender as ordens divinas (Êxodo 7.14). Deus anunciou o juízo contra o povo egípcio que se tornara obstinado (Êxodo 7.16-18). E o que aconteceu? Exatamente como Deus havia anunciado! Isso, porque Faraó permaneceu duro em seu pensamento e não quis ceder ao pedido de Deus. Outras pragas também foram anunciadas com o intuito de sensibilizar o coração de Faraó, despertando a reverência, pois Deus é longânimo e jamais desejava chegar ao ponto em que chegou. E só chegou ao que chegou, ou seja, a morte dos primogênitos, devido ao mau exercício do livre arbítrio por parte de Faraó.

                A misericórdia sobre aquele povo baseava-se na justiça de Abraão e não na justiça deles. Isso porque Deus havia prometido multiplicar sobremaneira a descendência de Abraão quando este lhe agradou (Gênesis 15.5-7,13,14,18). Isso é confirmado em Êxodo 20, v. 5 e 6, quando diz “ ...que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia em milhares aos que me amam e guardam meu mandamentos.” Infelizmente os espíritas conseguem enxergar nestas palavras – eu não sei como – a reencarnação. É uma pena!

                No demais, Jefferson, você acha desagradável a ideia de Testículo ; membro viril. Pense no seguinte, isso não difere muito da idéia de espírito atrasado. Deus assim o fazia não por aversão a essas pessoas. Deus é perfeito e não pode coabitar com a imperfeição, uma vez que Ele se manifestava pessoalmente na tenda da congregação, local onde Deus era adorado, idéia essa absurda para os espíritas. Se bem que os judeus também não tinham acesso ao templo, senão ao átrio. Somente os levitas. Diferentemente, hoje Deus se manifesta dentro do nosso coração e não há mais restrições ao homem. Veja Hebreus 10.19-25. Essa concessão foi dada por causa da condição decaída do homem, o que já não impera mais na vida daqueles que creem em Cristo como seu único e suficiente salvador.

                Também, quando a Bíblia diz que Deus se arrependeu, isso está demonstrando a personalidade de Deus e como somos semelhantes a Ele. Bem diferente da personalidade que o espiritismo prega. Apesar de ser perfeito, Deus se ira, se arrepende (não como o arrependimento humano, mas no sentido de “mudar de parecer”), sente compaixão, se alegra, sorri, pensa, fala, ouve, descansa, e está sempre buscando a criatura decaída. Deus é um Deus pessoal e que ama aos homens e está desejoso de manter comunhão com ele.

                Analisando a doutrina da reencarnação chega-se à conclusão de que o Deus em quem os espíritas creem, poderia conversar com eles nos seguintes termos:

                “Muitos outros andaram fazendo certas coisinhas, como estuprar crianças, matar mulheres indefesas, jogar bebês para cima e apará-los na ponta de uma lança, mas tudo isso são coisas de meninos mal educados e ‘atrasados’, que não se comportaram direito na encarnação anterior. Mas ainda bem que vocês aí do espiritismo andam ensinando a reencarnação. Aliás, aproveito nossa conversa para confessar que estou com um probleminha aqui. Talvez vocês, como espíritas inteligentes que são, possam ajudar-me a resolvê-lo. Estou aqui com uma turma de garotos que merecem um bom puxão de orelhas, umas palmadas e uns bons conselhos. Trata-se de Hitler e sua turma de meninos rebeldes: Eichman, Himmler, Hydrich e outros. Andaram assassinando aí uns 6.000.000 de judeus, e praticando certas coisas que nem é bom serem mencionados aqui.

                “O que é que faço com eles? Estive pensando em reencarná-los e torná-los lavadores de pratos, jardineiros, ou faxineiros de restaurante judeus. Aí eles ajustariam contas comigo! Ah! como eu ia gostar de ver Hitler, Joseph Mengele e toda aquela turma pagar-me, com uma vassoura ou um cortador de gramas na mão, as traquinagens que fizeram na Segunda Guerra Mundial!”

                Quanto ao seu pensamento sobre Davi, “Ou é intervenção do sentimento do homem, por exemplo, Davi, um Soldado Guerreiro acostumado a Guerras e mortes ???”, parece que Jesus e seus discípulos, e os profetas não concordam com esse pensamento, Jefferson. Veja Apocalipse 22.16; Salmos 78.70; Mateus 12.3; Lucas 1.32; Atos 2.25; Romanos 1.3; Apocalipse 5.5; Jeremias 23.5; Ezequiel 34.23. Levando em conta tudo isso, você ao menos deveria levar em consideração as palavras de Cristo, uma vez que diz reverenciá-lo. Já imaginou Jesus tomando como exemplo um criminoso? Não tem muito a ver com o caráter santo do Cristo. É exatamente isso que você está sugerindo.



Opiniões suspeitas


                Concernente às suas respostas e fundamentos baseando-se em doutrinas católicas, não as considero como válidas e sequer considero aceitável a autoridade papal. Em muitos aspectos poderia dar as mãos a você no que diz respeito aos ensinamentos católicos. E devo dizer que eles não são suficientes para que você possa compreender o que pregam os evangélicos. De fato, entre a igreja católica e os evangélicos existe um abismo imensurável que nos separam. Não temos praticamente nada em comum, apesar do catolicismo ter exercido forte influência, dizendo-se cristão. Eu lhe afirmo que não é cristão, pois toda religião que se diz cristã e não se detém ao pensamento predominante na igreja primitiva, fundamentada pelos apóstolos (1 Coríntios 3.10-14), não poderá ser considerada cristã, ainda que reivindique tal título para si. O mesmo poderia dizer com a comprometida autoridade teológica da Igreja Presbiteriana. Os teólogos dessa denominação, em muitos casos aceitam o divórcio, casamento de homossexuais, abortos e outras aberrações, tudo com muita base nas Escrituras!!! Seria isso uma opinião segura? Fica sob sua decisão agarrar-se ao que esses homens dizem.

                Se você afirma que católicos estão tornando-se necromantes, para mim isso não implica em nenhuma novidade, tampouco, quando esta posição é proveniente dos mais elevados líderes deste segmento religioso. Pouco não seria se eu relatasse a relação entre as igrejas católicas da Bahia com o candomblé e outras práticas espíritas, sem falar que 70% dos católicos são adeptos ou simpatizantes de alguma vertente espírita. Tal posição adotada por líderes católicos seria mesmo até questão de sobrevivência.

                Quanto ao fato dos espíritas não dirigirem-se aos espíritos na intenção de “fazer consultas” em nada altera o fato de que eles mantém contato com mortos. A expressão “guia” sugere no mínimo um orientador, ou aquele que irá dar a direção. Sim, releia o que escrevi a respeito, pois não considerei uma resposta plausível sua colocação a esse respeito. Não estou exigindo uma segunda resposta, apenas estou sugerindo que você torne a avaliar seus pensamentos. É inegável o fato do envolvimento dos espíritas com atividades necromantes. Ainda que tentem esforçar-se para evitar tal impressão, é exatamente nesta categoria que se enquadram os espíritas de todas as espécies. Sei que os ritos do baixo espiritismo é divergente em vários aspectos do Espiritismo Kardecista, mas no fundo, a essência é a mesma. Não tem como negar isso, Jefferson. Se você insistir nisso, razoavelmente transparecerá fraqueza.

                De fato, Jefferson, o mais coerente, ainda que você diga o contrário, é a explicação a qual citei de Carlos Imbassay, quando ele diz que o Espiritismo não calca sua base nas Escrituras. Ele foi inteligente ao perceber que nesse território é muito fácil os Cristãos derrubarem qualquer tese espírita. Quanto a ser uma religião à parte, ele sabe que encontrará um território muito mais amplo e menos contraditório. De outra forma, a única solução seria apelar para métodos ilegítimos de se interpretar as Escrituras, sob a justificativa “mas interpretação é por essência, subjetiva, por mais que tentemos justificá-la” transparecendo assim uma extrema inflexibilidade e fuga pela tangente.



Hebreus 9.27


                1º - Você já parou para analisar que a pergunta a qual você me faz acerca desse texto juntamente com sua refutação põe à perigo a doutrina da reencarnação? Você diz que Lázaro e o filho da viúva de Naim ressuscitaram, o que não é admissível na doutrina espírita, visto a mesma não crer em ressurreição. Desta forma, você mesmo estaria contradizendo-se, ao usar este texto como forma de refutar o pensamento exercido pelos evangélicos sobre Hebreus 9.27 - Ou os espíritas têm conhecimento da ressurreição e não querem admiti-la?!!! De fato, a doutrina da ressurreição – algo tão claro e espalhado por toda a Bíblia Sagrada.

                Também você sugere o seguinte: "Além de tudo isso ( e por outro lado ), se formos analisar tudo ao pé da letra, ficaremos diante de uma contradição, senão vejamos : Se LOGO EM SEGUIDA à nossa morte, virá o juízo ( pressupõem-se que cada um terá um juízo após a sua morte ), qual a necessidade do JUÍZO FINAL, tão apregoado pelas Religiões Ortodoxas, se anteriormente já fomos julgados ? Será que se formos condenados ao "inferno" no primeiro juízo poderemos de lá sair quando do juízo final ?."

                Quanto a isso, mais uma vez uma tremenda precipitação e um flagrante despreparo. Se isso, Jefferson, é o que leva você a tomar uma posição tão contrastante ao evangelho, saiba que isso é tão elementar e básico que sequer valeria tanto esforço. Coisa que só se confundiria quem só tem um estudo superficial das Escrituras. Alguém que conhece bem a Palavra de Deus jamais criaria dúvidas quanto a este tópico, muito menos usaria esse pensamento.

                Veja bem, quando diz “segue-se o juízo” refere-se ao fato de não restar mais nenhuma obra para aquela alma. Refere-se à partida definitiva desta vida. Primeiro, Jefferson, resta-nos saber que tipo de juízo se trata. Uma vez que a Bíblia trata de juízos específicos e distintos. Não significa necessariamente que seja instantâneo o juízo final. A própria Bíblia esclarece tal com muita facilidade. É só questão de querer entender. O que está implícito ali é o fato de que estará selado nosso destino, não havendo segunda chance tal como afirmam os espíritas (2 Coríntios 6.2). Generalizar certas doutrinas e achar que já sabemos tudo a respeito do que se afirma é complicado e nos levará a erros grosseiros. Você precisará entender o Juízo Final e saber a que classe de pessoas ele será aplicado. Expor aqui esta doutrina será um pouco enfadonho, mas lhe aconselho a estudar mais a respeito e você saberá claramente do que se trata.



Salvação pelas obras


                Jefferson, você citou muitos versículos bíblicos que fazem referência às obras. De fato, nenhum deles aplica-se ao que você pretendia. Quando você encontra um versículo bíblico falando acerca de obras, isso não ocorre para efeito de salvação. Em especial, os versículos que você citou fazem algumas referências à salvação, mas não é a salvação da alma, e sim um livramento momentâneo de uma situação adversa. Que isso fique bastante claro!

                Não fazemos obras para nos salvarmos. A salvação é um dom gratuito e não poderá ser alcançado por obras. Por outro lado, aquele que se considera salvo deverá necessariamente praticar boas obras. É simples: não praticamos boas obras para sermos salvos, e sim porque somos salvos! Em nenhum momento aprovamos aqueles que se dizem salvos e permanecem de braços cruzados. Uma das características dos salvos é a caridade e um coração convertido ao amor ao próximo e a Deus acima de todas as coisas.

                Existe também um outro aspecto embutido neste princípio, o qual faz referência às atitudes correspondentes. Assim, pois, aquele que afirma ter fé deverá ter atitudes correspondentes àquilo ao qual está exercitando sua fé ( a fé sem obras é morta). Se digo “tenho fé que estou curado” mas no íntimo continuo temendo o risco da doença, isso por si só compromete a fé que afirmo ter. Entende – as obras é que vão testificar a respeito do que creio. Simples mesmo!

                Estamos diante de duas soteriologias totalmente opostas: a cristã e a reencarnacionista. Uma defende a heteroredenção; a outra, a auto-redenção. Uma extingue a outra, sendo impossível sua coexistência. O homem deve decidir-se: contra ou a favor de Cristo? A decisão é livre, um ato próprio e pessoal. Podemos aceitar ou rejeitar a mensagem do evangelho, como disse o apóstolo João: "Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus." (Jo 3:18). Deus nos dá o direito de decisão: "Eis que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição. A bênção, quando cumprirdes os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que hoje vos mando. Porém a maldição, se não cumprirdes os mandamentos do SENHOR vosso Deus, e vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes." (Dt 11:26-28).

                Quanto a Chico Xavier, eu lhe pergunto, você conviveu com ele? Eu não! Assim, como eu poderia falar acerca dele, se é bom ou não. Meus comentários não estão baseando-se na pessoa de ninguém em particular. No demais, a Bíblia diz que por melhor que pareça nossa justiça ela não passa de trapo de imundícia diante de Deus, e se tentarmos estabelecer nossa própria justiça pereceremos. Se Chico Xavier foi salvo ou não, a mim não cabe dizê-lo ou julgá-lo. Há quem faça isso. Vai que ele na última hora se arrependeu de seus pecados !!!


João Batista e Elias

...

......

.........

............

                Perguntaram-lhe [a João Batista]: Então quem és? És tu Elias? Ele disse: Não sou. És tu o profeta? Não”. E como insistissem para saber quem ele era, respondeu com as palavras do profeta Isaías: “Eu sou a voz do que clama no deserto. Endireitai o caminho do Senhor. Perguntaram-lhe: Então por que batizas, se não és o Cristo, nem Elias, nem o profeta? João respondeu: Eu batizo com água, mas no meio de vós está alguém que não conheceis. Este é aquele que vem após mim, do qual eu não sou digno de desatar as correias das sandálias” (João 1.21-27). João responde aos kardecistas: EU NÃO SOU ELIAS. João era bastante sincero e firme em suas declarações. Se ele realmente tivesse dúvidas ou não soubesse, certamente responderia: EU NÃO SEI SE SOU ELIAS. Ora, um profeta que anuncia a vinda de um Salvador até então desconhecido (“alguém que não conheceis”); que teve a humildade de sair de cena no momento em que Jesus iniciou seu ministério (Jo 3.30); que conhecia a missão que lhe fora confiada, a de preparar os corações para receber as Boas Novas (Is 40.3), um profeta assim cheio do Espírito Santo (Lc 1.15) só poderia responder com absoluta convicção. Devemos crer nas suas palavras, ou seja, ele não era nem nunca foi Elias. Poderíamos parar por aqui, mas vamos prosseguir.

                Por ocasião da transfiguração de Jesus, quando apareceram Moisés e Elias (Mt 17.3) João Batista já havia morrido, pois fora decapitado por ordem de Herodes (Mt 14.10). Ora, João era quem deveria aparecer ali, e não Elias, segundo a tese reencarnacionista. Na questão 150 do Livro dos Espíritos lê-se que a alma “tem um fluído que lhe é próprio, colhido na atmosfera de seu planeta, e que REPRESENTA A APARÊNCIA DE SUA ÚLTIMA REENCARNAÇÃO” (o realce é meu). Então, a última aparência daquela alma, que em determinado momento recebeu um corpo humano e se chamou Elias, seria a de João Batista. O que significa dizer que os próprios “espíritos” de Kardec fazem coro com João Batista: ele não era Elias. Eu concordo.

                A teoria da reencarnação fundamenta-se no ciclo “morrer-renascer-morrer”, ou seja, sucessivas mortes e sucessivos renascimentos. No monumento sobre o túmulo de Allan Kardec, no cemitério de Pére Lachaise, em Paris, está escrito: “Nascer, morrer, renascer ainda é progredir sempre: esta é a lei”. Para um espírito retornar à vida corpórea, é preciso que tenha desencarnado, isto é, que o corpo haja descido ao pó, exceção somente admitida no caso da primeira encarnação, no estado em que a alma é “simples e ignorante” – tudo isso conforme a doutrina kardecista. Como Elias não morreu, mas foi trasladado ao céu (2 Rs 2.11), não há como os kardecistas admitirem que ele tenha reencarnado em João Batista. Seria um contra-senso. Alegar que a história da trasladação de Elias não merece crédito, não convence, porquanto o kardecismo usa a Bíblia na busca de apoio às suas doutrinas. Seria outro contra-senso.

...

......

.........





MINHA RESPOSTA ENVIADA AO PRESBÍTERO MARCELO MOLINA, EM 30.08.02


Prezado Marcelo Molina


                Sempre tive em mente que o diálogo nos eleva o Espírito e a forma de ver a vida. Mesmo e principalmente quando dialogamos com correntes contrárias. Bem, basta que saibamos entender e respeitar o ponto de vista alheio. Sempre aprendo um pouco, mesmo discordando, pois tenho a humildade de reconhecer alguns pontos que desconhecia. E, às vezes, e pretensiosamente, acredito que o mesmo deve acontecer com o outro lado que dialoga comigo, se também houver humildade.

                Se a minha Home Page tem esse nome – Polêmica Religiosa, significa que é somente através de trocas de ideias com pessoas que acreditam naquilo que fazem e defendem seus pontos de vista através da Fé, do estudo, pesquisa e trabalhos sérios, é que conseguiremos vislumbrar o equilíbrio. São as divergências de opiniões que edificam nossa personalidade. E o que importa mesmo é aprender, corrigir erros, refletir e caminhar sempre na direção que Deus traçou para nós.

                Se ficarmos restritos aquilo que “julgamos” ser a verdade, NUNCA teremos parâmetros para realmente nos convencer de que estamos certos. Se o seu parâmetro é a Bíblia, outras Religiões também dizem a mesma coisa e discordam frontalmente entre si. Com isso, apenas se cultiva um pequeno mundo que julgamos único. É como se a formiga achasse que a “verdade inquestionável” restringe-se ao plano bidimensional ( pois é assim que ela percebe tudo ). Para a formiga, o mundo tridimensional no qual os seres mais desenvolvidos vivem, simplesmente contraria as “verdades” que formiga conhece. Mesmo quando ela se desloca verticalmente, sua percepção é sempre em duas dimensões.

                As trocas de mensagens entre mim e outros Cristãos, expostas no meu Site, adiantou sim, e muito, pois tive que me aprofundar mais ainda nos ensinamentos Bíblicos e trocar ideias com Espíritas mais capacitados do que Eu, para poder respaldar minhas respostas. Tive muita ajuda de Paulo Neto Sobrinho, autor do Livro : “A Bíblia à moda da Casa” e o Escritor José Reis Chaves, autor dos Livros “A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência”   e   “O lado oculto das Religiões”. Por oportuno, recomendo a Você, Marcelo, a leitura desses Livros, os quais são pautados pela racionalidade e religiosidade, cujas essências possuem visão aberta a todos os fatores que influenciaram a humanidade, não se restringindo a imposições de Líderes Religiosos e interesses outros, revestidos pela suposta “inspiração divina” que os HOMENS insistem em se camuflar, para dar um tom de divindade aos seus próprios interesses, humanos e falhos, que só as pessoas ingênuas teimam em acreditar.

                Quanto aos fatos ocorridos na Igreja da Assembleia-Rio, Programas do Bispo Macedo e outros, não houve comentários de sua parte. Às vezes, fazemos “vista grossa” para as imperfeições da nossa própria Religião e só procuramos atacar, atacar, atacar e atacar as outras Religiões. Se, na sua opinião, o Espiritismo é condenado por Jesus, o que o mesmo Jesus diria se visse o Seu Santo Nome sendo usado para obter “ofertas em dinheiro”, num verdadeiro Leilão de Sua Graça ???   O que Jesus sentiria quando o Bispo Macedo usa o Santo Nome de Deus para incentivar o apego aos bens materiais ???   Você já parou para pensar nisso ???   Será que Jesus aprovaria uma Religião que se utiliza desses meios ???   O raciocínio parece elementar ...


                Lembremo-nos das Palavras de Cristo, em Mateus 7:3-5 :


                “ Como é que vedes um cisco no olho do vosso irmão, quando não vedes uma trave no vosso olho? - Ou, como é que dizeis ao vosso irmão: Deixa-me tirar um cisco ao teu olho, Vós que tendes no vosso uma trave ? - Hipócritas, tirai primeiro a trave ao vosso olho e depois, então, vede como podereis tirar o argueiro do olho do vosso irmão.”




                Concluí que nada lhe adiantou nossas trocas de mensagens. Mas por outro lado, talvez Você tenha razão, quando disse que não mais me enviaria suas respostas, pois não me parece produtivo corresponder com aqueles que acham que a sua Religião é pura e imaculada e a dos outros não tem o menor valor. Bem, quando eu era Católico, não admitia, de forma orgulhosa, que outras pessoas viessem me dizer quaisquer coisas que fossem diferentes daquilo que EU achava verdadeiro.

                E olhe que Eu sempre me baseava na Bíblia, só acreditava nas pregações dos “enviados do Senhor” e dizia que era um servo fiel de Deus, como hoje Você, insistentemente, diz. Mas, Eu não sabia que a Bíblia tivesse sido tão modificada pelos Exegetas Católicos / Protestantes que a traduziram, ao seu modo, as Edições Paulinas, Loyola, Bíblia de Jerusalém, SBB, etc e também ignorava, até de forma ingênua, que os Homens que transmitem a Palavra de Deus, não são perfeitos e nem são isentos de falhas.

                Marcelo, há diversas categorias de opositores do Espiritismo, e há uma infinidade de nuanças, dentre as quais, cito os incrédulos por pusilanimidade : A coragem lhes virá quando perceberem que os outros não se prejudicaram perante à sociedade ; Os incrédulos por escrúpulos religiosos : Um estudo esclarecido lhes ensinará que o Espiritismo se apoia sobre as bases fundamentais da Religião e respeita todas as crenças, que um dos seus efeitos é dar sentimentos Religiosos aos que não os têm, e fortalecê-los naqueles que estão vacilantes ; Depois vêm os incrédulos por orgulho, por espírito de contradição, por negligência, por leviandade, etc, etc.   Você já parou para pensar se algum desses não é o seu caso ?

                Se Você me proporcionou a honra de visitar meu Site, talvez Você não tenha visto o Livro de Visitas, o qual possui em sua maioria ( mais de 90% ) elogios e incentivos não só de Espíritas, mas de outras Religiões. Houve, é claro, aqueles que criticaram e Eu até gosto de críticas que sejam construtivas. Hoje, já não sou tão orgulhoso como antigamente. Acatei todas as censuras de forma resignada e procurei refletir. Para concluir essa parte, destaco aqui, uma mensagem deixada no meu Livro de Visitas, extensa por sinal, de um Ex-Evangélico, o qual me surpreendeu pela sua sinceridade :


ABRE ASPAS :

Nome do Visitante : Sandro Alberto

Sua Cidade : Rio de Janeiro

                Comentários : Os artigos e assuntos tratados são muito bons e interessantes. Os seus argumentos são excelentes e esclarecedores. Fui Evangélico durante muito tempo e depois que comecei a estudar a codificação Kardequiana, passei a ver tudo de forma diferente e hoje entendo melhor a Bíblia do que quando eu era Evangélico. Muitas passagens se tornam obscuras sem a base do Espiritismo e a Reencarnação. No começo foi difícil de aceitar, mas Sites como o seu e Artigos do Paulo da Silva Neto Sobrinho localizados no Site www.redevisão.net e www.espirito.com.br foram cruciais para o entendimento do Espiritismo e contra os argumentos de detratores como o Site do Cícero, que eu tive a infelicidade de encontrar justamente na época em que estava estudando e que quase acreditei.

                Você já leu os artigos do Paulo ? São muito bons. Eu estou estudando um Livro que Ele lançou recentemente que se chama "A Bíblia a Moda da Casa". Você já ouviu falar ? Ele conhece muito a bíblia e seus argumentos são muito bons e coerentes. Na minha Família Eu só tive apoio da minha Esposa que é Espirita convicta mas eu era intolerante devido a minha criação Católica e Evangélica. Discutia com minha Esposa mas Ela não tinha base doutrinária e como muitos, achava que Espiritismo era tudo igual, inclusive as seitas afro e foi assim também que eu aprendi na Igreja. Mas comecei a estudar e com a ajuda dos artigos do Paulo Neto e o seu Site, consegui entender melhor que não podemos levar tudo ao pé da letra o que está escrito na Bíblia e também não podemos achar que tudo o que está ali é a palavra de Deus, inclusive os absurdos. Bem que Jesus em muitas passagens nos advertia que deveríamos ter "Olhos de ver", "Ouvidos para ouvir" e nosso ilustre Prof. Pastorino acrescenta "Coração para sentir".

                Depois de estudar bastante eu conversei com alguns Evangélicos pessoalmente e Eles não tiveram contra-argumentos face a alguns trechos polêmicos da Bíblia e até mudaram suas opiniões em relação ao Espiritismo. Minha Mãe é Evangélica, porém, hoje Ela lê o Evangelho Segundo o Espiritismo e Livros do nosso querido Chico Xavier. Eu acho engraçado que sempre é a mesma história : No início, para todos os que combatem o Espiritismo, existem argumentos lógicos, mas depois Eles não retornam mais pois ficam sem contra-argumentos. Você falou que tem pouco tempo de Espiritismo, mas isso não importa pq vc respondeu a todos os ataques em alto nível e com base, e principalmente respeitando as pessoas com quem dialogava. Isso mostra dedicação. Um grande abraço e que Jesus continue lhe ajudando.

Sign Time: July 14 at 15:26:20

FECHA ASPAS.


                Antes de começar a responder a sua última mensagem, e para justificar minhas palavras, que, por vezes, e reconheço, possam parecer um pouco ásperas, lembro aqui, Mt 7, 1 :


"Não julgueis os outros, para não serdes julgados, porque com o julgamento com que julgardes, sereis julgados, e com a medida que medirdes sereis medidos".




                Bem, vamos aos Tópicos :



O ESPIRITISMO É CRISTÃO ?


Começo minha resposta com uma afirmação :


Só pode existir Espiritismo com Jesus, e sem Ele, a doutrina que O excluir deverá se dar um nome qualquer, menos o de Espiritismo !


                Acredito que já havia comentado, EXAUSTIVAMENTE, essa parte, inclusive citando e explicando os pronunciamentos de Carlos Imbassy, quando Ele disse que o Espiritismo não é um ramo do Cristianismo como as demais seitas Cristãs, as quais moldaram, à sua maneira, os Ensinamentos de Jesus. Mas parece que não fui suficientemente claro para Você.



DE UMA VEZ POR TODAS : POR QUE O ESPIRITISMO É CRISTÃO ?



                Ao que Nós sabemos, ainda não existe nenhuma Instituição ( Nacional ou Internacional ? ) encarregada de distribuir “carteirinha de cristão” a quem quer que seja. E necessariamente não temos que pensar de maneira igual, pois cada um de nós é uma individualidade distinta que possui grau de evolução diferente dos demais.

                Entretanto, iremos recorrer ao Evangelho para tirarmos a prova. Primeiramente citaremos o próprio Jesus que diz : "Porque, onde estão dois ou três reunidos em meu nome, eu estou entre Eles" (Mateus 18, 20). Veja que a única condição para Ele estar junto com alguém é que se esteja reunido, SINCERAMENTE, em Seu nome. Fora disso, só se alguém estiver querendo ser maior que Jesus. Agora podemos citar Paulo que em sua carta aos Coríntios fala : "Julgais as coisas só pelas aparências. Se alguém tem a certeza de pertencer a Cristo, considere que Nós somos de Cristo como Ele" (2 Coríntios 10, 7).

                Também fazemos uma diferença entre ser Cristão e seguir a Cristo. Os que atualmente se dizem Cristãos, nada mais são que pessoas que poderíamos dizer judeu-cristãos, já que para eles a fonte de suas verdades se apoia na Bíblia, mal traduzida, em quaisquer de suas variações. Seguir a Cristo para nós seria esforçarmos para colocar Seus Ensinamentos, contidos no Novo Testamento, em prática no nosso dia-a-dia. Não O vemos em momento algum criticando a Religião de ninguém, nem O vemos tentando, a qualquer custo, converter alguém a segui-Lo. A única coisa que Ele disse foi : "Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim" (João 14, 6), entretanto isto significa que sem praticar Seus Ensinamentos, não há como chegar ao Pai. E disse Jesus : "Portanto, o que falo é justamente aquilo que o Pai me mandou anunciar" (João 12, 50), ou seja, estava transmitindo-nos as orientações de Deus.

                E para os menos avisados, Kardec estudando a moral do Cristo publicou o Livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo – E.S.E”, onde analisa, sob a ótica da Doutrina Espírita, os Ensinamentos de Jesus, entre os quais citamos o Sermão da Montanha. E para ressaltar a importância dele, vejamos os dados abaixo :

1 – No E.S.E. existem 28 capítulos, dos quais 18 contêm passagens dele, corresponde, portanto, a 64% dos capítulos ;

2 – Em Mateus, ele está inserido nos capítulos 5, 6 e 7, num total de 111 versículos, destes 92 foram estudados por Kardec, ou seja, 83% dos versículos ;

3 – Em Mateus, existem 28 capítulos, esse episódio está narrado em 3, o que equivale a 11% dos capítulos.


                Assim, no aspecto Religioso, o Espiritismo abraça, sem dúvida alguma, os Ensinamentos de Cristo, mas não os daqueles que se julgam donos da verdade. A nossa Máxima é : “FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO”, que cumprida, significa : Amar ao próximo como a nós mesmos, mandamento básico da mensagem de Deus vinda aos homens por intermédio de Jesus.

                Os Espíritas não podem ficar sujeitos às interpretações e dogmas impostos por qualquer pessoa. E nisso o Espiritismo é ímpar entre as Religiões, pois, muito ao contrário, diz justamente que devemos criticar tudo, não aceitar nada sem uma análise feita utilizando a razão e a lógica, e que podemos questionar tudo, mas tudo mesmo, porque   INFALÍVEL, SÓ DEUS !!!

                Com absoluta certeza, o verdadeiro Cristianismo não é o que se encontra em boa parte das Religiões, o qual serve mais aos interesses dos homens do que os de Deus. Não seguimos a esse "cristianismo" mercantilista que explora a fé das pessoas, para obter dízimos, 10% do salário, pedidos de "ofertas" vultosas nos Templos, dentre outras coisas.


                Enfim, observe :


"Esta é a vontade de Deus : Fazer calar, pela prática do bem, a ignorância dos homens insensatos   (1 Pedro 2, 15). ( Destaque meu ).

Será que me tornei vosso inimigo por dizer-vos a verdade ?   (Gálatas 4, 16).




Mas os Espíritas não acreditam na criação do Mundo em seis dias, há seis mil anos ?


                E nem poderíamos acreditar num absurdo desse. Vejamos o que a Ciência afirma sobre a idade do Planeta Terra : A datação radiométrica permitiu aos Cientistas calcular a idade da Terra em 4 bilhões e 650 milhões de anos. Assim, não há como contrariar a Ciência por causa da Bíblia. Uma coisa que normalmente os bibliólatras não conseguem enxergar é que tudo o que a Ciência vier a descobrir ou desvendar estará certamente descobrindo ou desvendando Leis Naturais, cuja origem é Deus, assim, via de consequência, são inegavelmente Leis Divinas.

                É bom lembrar que, não há muito tempo atrás, os que se apegavam à Bíblia, quiseram contestar a tese de Galileu, que afirmava não ser a Terra o centro do Universo, e quase o queimaram vivo por isso. Mas, hoje em dia, nem se discute mais que Ele estava coberto de razão.

                Sabemos que um véu foi lançado propositadamente sobre algumas partes dos Ensinamentos da Bíblia. Este véu deve ser levantado para que a Ciência, deixando de ser exclusivamente materialista, possa inteirar-se do elemento espiritual e para que a Religião PARE de menosprezar as Leis Orgânicas e imutáveis da matéria. Essas duas forças, apoiando-se uma sobre a outra, e andando juntas, se prestarão um mútuo apoio. Então a Religião, não recebendo mais o desmentido da Ciência, adquirirá uma força inabalável, porque estará de acordo com a razão, e não se lhe poderá opor a irresistível lógica dos fatos.



Creem em 3 Pessoas fazendo o Papel de 1 Deus?


                Se fosse Ensino inequívoco e inquestionável de Jesus, creríamos. Entretanto, não O vemos em momento algum dizer, inequivocamente, que Ele era o próprio Deus. Ao contrário, inúmeras vezes se dizia Filho do Homem ( Mateus 30 vezes, Marcos 13 vezes, Lucas 26 vezes e João 11 vezes ) e, pouquíssimas vezes Filho de Deus (João 3 vezes). Ser Filho de Deus, não quer dizer que era o próprio Deus, existe uma diferença inconfundível nisso. Desculpe-nos, falamos inconfundível somente para pessoas de mente aberta, não para alguns fanáticos.

                Jesus nunca se proclamou ser Deus, mas, tão-somente, Filho de Deus. E a prova de que Jesus não é mesmo Deus, é que a Bíblia nos apresenta Jesus, várias vezes, orando a Deus, ao Pai, mas nunca ela nos apresenta o Pai orando para Jesus.

                Sobre o Espírito Santo, poucas pessoas sabem que, no original grego, fala-se em "UM Espírito Santo" (Pneuma Hagion). Como no Grego não há artigo indefinido "um", traduzindo-se essa expressão "Pneuma Hagion" para outras línguas que possuem o artigo indefinido, como o Português, ele deve aparecer na tradução, sob pena de a mesma ficar errada. Só se poderia colocar nas traduções o artigo definido "O" (ho, em Grego), se ele tivesse sido empregado pelos autores no texto original sagrado, o qual ficaria assim : "ho Pneuma Hagion".

                Por outro lado, o Velho Testamento não fala em Santíssima Trindade nem em Espírito Santo, a não ser quando se refere ao espírito santificado de alguém, só nos ensinando que havia um Deus único.

                Isso explica porque os Cristãos, dos primórdios do Cristianismo, não conheciam a Santíssima Trindade, o Espírito Santo nem a Divindade de Jesus. O Espírito Santo, sim, era conhecido, mas, como vimos, sob a forma de "um" Espírito Santo, ou seja, o espírito encarnado ou desencarnado, mas jamais como sendo a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, de que nem sequer se ouvia falar. Foi por isso que São Paulo disse que somos templos de UM Espírito Santo (como está no original grego).

                Mas, para que não paire dúvida alguma, faremos uma pesquisa no Novo Testamento, para resolvermos esta questão. Vejamos estas Passagens :

Marcos 12, 29 e 32 : "...o SENHOR nosso Deus é o único Senhor. E o escriba lhe disse: Muito bem, Mestre, e com verdade disseste que há um só Deus, e que não há outro além dele" ;

Romanos 3, 30 : "Visto que Deus é um só..." ;

1 Coríntios 8, 4 e 6 : "...o ídolo nada é no mundo, e que não há outro Deus, senão um só. Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo ..." ;

Gálatas 3, 20 : "Ora, o medianeiro não o é de um só, mas Deus é um" ;

Efésios 4, 5-6 : "Um só SENHOR, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós" ;

1 Timóteo 2, 5 : "Porque há um só Deus, e um só Mediador..."


                Por outro lado, os Discípulos nunca O tiveram como a um Deus, e sempre diziam que era apenas um Homem, vejamos :

Atos 2, 22 : Homens israelitas, escutai estas palavras : A Jesus Nazareno, Homem aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais...;

Romanos 5, 15 : ...muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só Homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos ;

1 Timóteo 2, 5 : ...e um só Mediador entre Deus e os Homens, Jesus Cristo Homem.


                Cristo sempre se colocou como enviado de Deus, nunca como o próprio Deus. Além de que, as profecias sobre Ele, sempre diziam da vinda de um Messias (Mensageiro) e não que o próprio Deus iria vir.

                Se aceitarmos Jesus como sendo Deus, ficaremos diante de algo inexplicável, vejamos : Deus (Jesus) encarna na Terra, se imola na Cruz em oferta a Deus (Ele mesmo) para tirar os nossos pecados. Pode uma coisa dessa ? Também, quando Jesus morre na Cruz, diz : Pai ( =Deus, ou seja, Ele mesmo ), em tuas mãos entrego meu Espírito. Como explicar Ele entregando Seu espírito a Ele mesmo ?

                Outra :    João 7, 28 : "Se me amásseis, vos alegraríeis de que eu vá AO PAI, porque O PAI é maior do que eu".

                Com relação a essa Passagem, podemos inferir : Ora, como alguém pode ser maior do que Jesus, SE Jesus fosse o próprio Deus ? Acaso haveria sentido nas palavras de Cristo se Ele dissesse que Ele era maior do que ELE PRÓPRIO ???

                Temos ainda a Passagem relativa à Transfiguração de Jesus. Mais ao final, é dito :

Lucas 9,28-36 / Mateus 17,2 / Marcos 9,2 : "...Pedro tomou a palavra e disse a Jesus : "Mestre, é bom estarmos aqui ! Vamos levantar três tendas : Uma para ti, uma para Moisés e uma para Elias", sem saber o que dizia, pois estava com muito medo. Enquanto falava isso, apareceu uma nuvem, que os envolveu (...) E da nuvem uma voz se fez ouvir, que dizia : "Este é o meu Filho, o Eleito, escutai-o". Enquanto a voz ressoava, Jesus ficou sozinho. Eles guardaram segredo e naqueles dias não disseram a ninguém coisa alguma do que tinham visto." ( Destaque meu ).

                Ora, então Jesus estava na Terra e uma voz veio do Céu e proclamava : "Este é o meu Filho, o Eleito, escutai-o".

                Se Jesus fosse Deus, como uma voz viria do Céu dizendo aos discípulos que, Aquele que estava na Terra com Eles, ou seja, Jesus, era seu Filho, Eleito ???!!!

                Logo Jesus é filho de Deus, e não o próprio Deus.

                Mas se alguém quiser saber o porquê do dogma da Trindade, imposta aos Católicos e aceita pelos Protestantes, é só pesquisar a cultura de todos os povos que dominaram o Povo Hebreu e encontrará a explicação. Como já foi dito na mensagem anterior, não fizeram nada mais que copiar o que desses povos tinham a respeito de suas divindades, que eram sempre compostas de três pessoas. E o Catolicismo, em meio a várias Religiões, não possuía mais que um Deus. Assim, para se igualar às correntes religiosas, diga-se de passagem, todas ditas pagãs, resolveu juntar aos seus dogmas, mais este.



Creem na infalibilidade da Bíblia ?


                Os Católicos acreditam na infalibilidade do Papa, os Protestantes na infalibilidade da Bíblia e nós, os Espíritas, preferimos aceitar e acreditar somente na INFALIBILIDADE DE DEUS. E é por isso que não podemos, por razões de lógica e bom senso, aceitar que Deus, sendo infalível, justo e de infinita bondade, possa produzir algo assim :


Em Êxodo 21, 12: Quem ferir mortalmente um homem, será punido de morte;

Êxodo 21, 15: Quem ferir o pai ou a mãe, será punido de morte.

                Isso entre outras tantas cujo desfecho é a morte, ao passo que temos em Êxodo 20, 13 : Não matarás. Bem, ficamos na dúvida : É para matar ou não?



Creem que estão salvos pelo Sangue de Cristo derramado na Cruz, para remir nossos pecados ?



                Preferimos ficar com Jesus, quando Ele diz : "Porque o Filho do homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos, e retribuirá a cada um conforme suas obras" (Mateus 16, 27). A retribuição é conforme as nossas obras. Portanto, ficamos com as obras, porém, sem jamais esquecer de Cristo, que é a luz do Mundo.

                Ao estudarmos o Novo Testamento, percebemos que no princípio, essa ideia de sangue resgatar os pecados foi introduzida somente para que o Cristianismo nascente se propagasse sem grandes dificuldades de aceitação. Foi o que os Apóstolos fizeram, talvez também fruto das Leis Mosaicas, já que é nelas que o sangue dos touros resgatava os pecados, pelo sacrifício da expiação.



AINDA NÃO ENTENDI. COMO O ESPIRITISMO PODE SER CRISTÃO ?


                Ninguém nega que hoje se sabe mais sobre a Bíblia do que nos tempos passados. E é por isso que a Doutrina de Kardec, com a ajuda de Espíritos mais evoluídos, descobriu as verdades do Cristianismo Primitivo, as quais se identificam plenamente com a essência dos Evangelhos, pois eram os primeiros Cristãos que mais ligados estavam aos autênticos Ensinamentos de Jesus, Ensinamentos esses que lhes chegaram por intermédio dos próprios Apóstolos e primeiros Discípulos de Jesus.

                Dissemos que o Cristianismo Primitivo era autêntico porque ele ainda não havia sido adulterado pelos teólogos, os quais acabaram por dividi-lo, ao longo dos séculos, em várias Igrejas. Isso sem contar os "assassinatos em nome de Deus", praticados por aqueles que se diziam Cristãos, resultando em vítimas que foram sacrificadas impiedosamente, incluindo mortes com requintes de crueldade, de que são exemplos as que ocorreram nas chamas da intolerância da Santa (???!!!)   Inquisição Católica e Protestante, como foi o caso de Miguel Servet, natural de Villanueva de Aragón, Espanha, assassinado em 27 de outubro de 1553 em Champel, perto de Genebra, onde a lenha úmida fez com que seu suplício durasse cerca de duas horas. Conta-se que algumas pessoas, por piedade, colocaram lenha seca para abreviar seu martírio.

                Os Espíritas seguem uma interpretação moderna, racional, da Bíblia. E é por isso que estão mais ligados ao Cristianismo Primitivo que é, como vimos, o verdadeiro Cristianismo. E porque não aceitamos todos os Dogmas da Igreja, somos considerados "hereges". Mas sempre houve Cristãos "hereges", pois bastava não aceitar as imposições de tiranos "religiosos", para ser classificado como "herege". Além disso, Jesus não criou nenhum dogma. Disse-nos que seus Discípulos seriam conhecidos pelo que eles fizerem, isto é, pela prática do amor, conforme o Novo Mandamento que Ele nos trouxe do Pai, ou seja, para que nos amássemos uns aos outros como Ele nos amou.

                Foi também Jesus quem disse que ninguém deixará de pagar até o último ceitil ( Mt.5:26 ), o que quer dizer que somos nós mesmos que temos de pagar os nossos pecados. Mas isso quer dizer mais, ou seja, que pago o último ceitil, o pecador estará quite, não tendo nada mais a pagar, mesmo porque isso seria injusto, e Deus jamais cometeria uma injustiça.

                Mas, um dia, todos chegaremos ao Pai, pois Ele quer que todos nos salvemos, e quem e o que poderão contra a Sua Vontade ? Por isso Ele fez nossos Espíritos imortais, e para fazer funcionarem a Sua Misericórdia e o Seu Amor, deu-nos a eternidade, um tempo sem fim, para que todos possamos nos voltar para Ele !

                Temos todo o respeito para com o Sangue derramado de Jesus, o que não foi em vão, já que Ele se sujeitou a isso para nos trazer a Boa Nova, a Mensagem de Amor do Pai para nós. Por outro lado, Cristo afirmou que a cada um será dado segundo suas obras. E, por obras, devemos entender as boas e as más. Estas últimas, com peso maior, nos levarão à condenação. Mas, se pesarem mais as boas, estaremos salvos. Essa explicação dispensa mais comentários.

                Enfim, é evidente que o Cristo de Deus é o Salvador da Humanidade, oferecendo sua Mensagem de vida eterna como roteiro, como o caminho e a verdade que Ele mesmo se proclamou. Ele é exemplificação e modelo, mas compete a cada criatura seguir o caminho indicado, com esforço, com amor, com dedicação, e não ficar de braços cruzados, uma vez que já estaria salvo pelo sacrifício de Jesus no Calvário. Pregar que a redenção da criatura se faz simplesmente pela Cruz e não pelo esforço de cada um, é incentivar a indiferença pela vida, igualando bons e maus. É, igualmente, desprezar a Justiça Divina, na sua função de dar a cada um segundo suas obras, como ensinou Cristo, em Mt. 16,27. Repito : COMO ENSINOU CRISTO !!! Afinal que mal há em acreditar em Cristo e amá-Lo de todo o coração e ainda por cima praticar obras em benefício do Próximo ??? Será que Jesus só quer que O amemos sem mais nada fazer ? Será que se eu amá-Lo e ao mesmo tempo, obrar, serei condenado ???

                E, por outro lado, teríamos até que aplaudir os judeus e os romanos que O crucificaram, pois seria graças a esse assassinato que ganharíamos a felicidade eterna. E será que Deus exigiu esse monstruoso crime para nos perdoar ? Um pecado maior redime outro pecado menor ? A grande missão de Jesus foi, antes de tudo, mostrar o caminho da Salvação e não nos dar a perfeição, sem que nada tivéssemos feito para merecê-la. Não parece meio estranho sermos salvos porque algumas pessoas usaram de violência e mataram um Inocente ???   Foi esse o prêmio que Jesus nos deu por O termos matado ???   Prefiro crer que serei salvo porque Jesus viveu e não porque O matamos. E que não venham com a lenga-lenga dizendo que se trata de um mistério de Deus, pois é mistério criado pelos teólogos.

                Acrescente-se a tudo isso o fato de que, enquanto os Líderes das Igrejas Cristãs vivem da sua Religião, os Líderes Espíritas vivem para a sua Religião !

                Enfim, se ser Cristão e ter que aceitar as imposições absurdas das outras Religiões só porque constam nas mal traduzidas Bíblias, é melhor dizer que não seguimos a esse Cristianismo moderno, tolhido e moldado de acordo com interesses humanos. Preferimos dizer, simplesmente que seguimos a Cristo. Se, atualmente, ser Cristão é não acreditar nos avanços da Ciência, preferimos descartar essa denominação, e dizer : Seguimos a Cristo ! Se ser Cristão é ficar preocupado com o que os outros pensam para nos atacar, diremos : Seguimos a Cristo !

                E para não sermos confundidos com os que se dizem Cristãos e não seguem a Cristo, até mesmo suplicamos por outro nome para identificar a nós que nos esforçamos para seguir plenamente Seus ensinamentos. E diante de tantos absurdos que fizeram e ainda fazem os que se dizem Cristãos, preferimos somente ser chamados de : Seguidores de Cristo.


SERÁ QUE DESSA VEZ, FUI CLARO ????


***********************


                E Você diz :

O espiritismo.......não crê na autoridade das escrituras.


                Repito aqui, uma parte que considero irrefutável. Embora Você tenha comentado o que se segue, fiz uma nova análise nesta parte e também mais ao final dessa minha mensagem. E acrescentei mais uma ( Números 31 : 17-18 ). Bem, como uma pessoa esclarecida pode acreditar que as passagens abaixo são de EXCLUSIVA INSPIRAÇÃO DE DEUS ???


1) Gn 6, 6 : "...então se arrependeu o Senhor de ter feito o homem na terra..."

1.1) Análise : "... se arrependeu o Senhor ... ???!!! - Ora, se Deus é perfeito, Ele não pode errar. Só se arrepende de alguma coisa aquele que fez algo que considera errado. Então, como Deus pôde ter feito algo errado se Ele é perfeito ???


2) Deuteronômio 23, 1 : "Aquele a quem forem trilhados os testículos, ou cortado o membro viril, não entrará na assembleia do Senhor".

2.1) Análise : Testículo ???!!! membro viril ???!!! - Esses termos viriam mesmo de Deus ???


3) Sl 103, 8-9 : "O Senhor é misericordioso e compassivo; longânimo e assaz benigno. Não repreende perpetuamente, nem conserva para sempre a sua ira".

3.1) Análise : "... para sempre a sua ira ..." - Deus sentiria ira, raiva, ódio ??? Se Deus é todo amor e bondade, como pode sentir essas coisas ??? Como pode Deus se rebaixar a esses sentimentos humanos ???


4) Sl 94, 1 : "O senhor, Deus das vinganças, Ó Deus das vinganças, resplandece"

4.1) Análise : "... Deus das vinganças, Ó Deus das vinganças ..." - Deus seria vingativo ??? Novamente : Se Deus é a perfeição máxima, como Ele poderia pensar em vinganças, que é um sentimento ruim e baixo do Ser Humano ???


5) Sl 105,24-25 : "Deus fez sobremodo fecundo o seu Povo e o tornou mais forte do que os seus opressores. Mudou-lhes o coração para que odiassem o seu Povo..."

5.1) Análise : "... Mudou-lhes o coração para que odiassem o seu Povo ..." - Deus, com sua infinita bondade e amor, poderia provocar ódio nos corações das pessoas ???


6) Sl 105, 36 : "Também feriu de morte a todos os Primogênitos da sua Terra, as primícias do seu vigor".

6.1) Análise : "...feriu de morte a todos os Primogênitos da sua Terra ..." - Deus, que é TODO amor, iria FERIR DE MORTE OS PRIMOGÊNITOS ????


7) Em Êxodo 21, 12 : Quem ferir mortalmente um homem, será punido de morte ;


8) Êxodo 21, 15 : Quem ferir o pai ou a mãe, será punido de morte.


7.1 e 8.1) Análise : "...será punido de morte."   - Será que Deus instituiu a pena de morte, para que os homens a executassem ?


9) Sl 110, 5-6 : "O Senhor à tua direita, no dia da sua ira, esmagará os Reis. Ele julga entre as Nações ; enche-as de cadáveres ; esmagará as cabeças por toda a terra."

9.1) Análise : "... esmagará os Reis ..." "... enche-as de cadáveres ; esmagará as cabeças por toda a terra ..." - Será que Deus desceria a esse nível ???


10) Números 31 : 17-18 : "Agora, pois, matai todos os meninos entre as crianças, e todas as mulheres que conheceram homem, deitando-se com ele". As meninas, porém, que não tiveram relações com homem, conservai-as vivas para vós."

10.1) Análise : "...matai todos os meninos entre as crianças..." ????!!!! “...conservai as meninas (puras) para Vós ????!!! - Está aí, uma nítida intervenção de ideias humanas, criminosas ( matai )   e   licenciosas ( conservai as meninas vivas para vós ). Conservai-as para vós ???   Com que intuito ... ???


                Sabemos que Deus é todo bondade, infinitamente perfeito, mas também é justo, não deixando sem corretivos aquilo que considera errado. MAS, Você acha realmente que, o acima descrito, poderia vir realmente de Deus ??? Ou é intervenção do sentimento do homem, por exemplo, Davi, um Soldado Guerreiro acostumado a Guerras e mortes ???


                Será que é tão difícil entender o que estou querendo dizer ????


***********************


                Você chegou a reproduzir segmentos das Passagens acima, na tentativa de responder a essa minha indagação. Mas, Você não explicou como Deus poderia ter inspirado tais coisas. Você começa o seu comentário a respeito : “Medite também no seguinte - Quais foram as atrocidades que cometera Hitler diante da humanidade, em especial, com os judeus? E os povos que vivem ....”

                Na tentativa de explicar alguns fatos relacionados a essas Passagens, Você diz : “...Deus é longânimo e jamais desejava chegar ao ponto em que chegou. E só chegou ao que chegou, ou seja, a morte dos primogênitos, devido ao mau exercício do livre arbítrio por parte de Faraó.”

                Ora, será que Deus precisaria lançar mão de recursos humanos para realizar as Suas Obras ??? Você acha que Deus não teria poder de dominar os Faraós, libertar os Israelitas do cativeiro, sem ter que ferir de morte os Primogênitos ? Achar que Deus não teria poder para tanto é querer subestimar o mais elementar raciocínio daqueles que estudam a Bíblia.


                Fico imaginando como seriam, hipoteticamente, as Santas Escrituras, digamos, no ano 4.000. Os Exegetas do futuro, talvez tivessem a mesma dificuldade que têm hoje, os intérpretes da Bíblia, para discernir o que é humano e divino. E muito provavelmente, poderiam se deparar com um acontecimento bem típico das barbáries humanas, que os homens teimam em atribuir a Deus :

                Apocalipse 11-9 : Naquela trágica manhã do terceiro alvorecer da semana, as trombetas soaram para anunciar a VINGANÇA que Deus havia preparado para o povo infiel. Sua sede de justiça seria saciada com a MORTE de milhares de inocentes. Dois aéreos impiedosos que se lançaram, ao sul da ilha, nas edificações de pedra, construídas pelo gênio do mal, símbolos de um povo frio e dissoluto, transformaram em escombros e cobriram de nuvens o orgulho de uma Nação ... E no centro do poder, a terceira maldição rompeu a quinta parte da muralha que protegia os líderes guerreiros, debilitando seu poder e glória. Mas Deus, ARREPENDIDO de ver a imolação de 3.025 de seus filhos, impediu que a última maldição atingisse o Palácio do Soberano, fazendo-a cair, num gesto de misericórdia, próprio do Senhor do Universo.

                E Eu não teria dúvidas de que mais esse absurdo, cometido pelo fanatismo religioso dos homens, seria considerado como “Vontade do Senhor”, face à “rebeldia” de um povo, e os termos VINGANÇA, MORTE e ARREPENDIMENTO seriam atribuídos a Deus, em mais uma cínica transferência de responsabilidade dos sentimentos baixos e torpes, da criatura ao Criador. Afinal, tendo por base o seu entendimento, Deus só chegou ao que chegou, ou seja, a morte de milhares de inocentes na América, devido ao mau exercício do livre arbítrio por parte daqueles que governavam aquela Nação.


                Em outra tentativa de explicação, Você menciona os termos testículos, membro viril, relacionados ao atraso dos Espíritos... “Deus se manifestava pessoalmente na tenda da congregação, local onde Deus era adorado... atualmente Deus se manifesta diretamente no coração do homem ...” etc. Mas isso, em nada convenceria quem quer que fosse, pois não houve explicação formal, só divagações.

                E me surpreendi com uma de suas explicações : “...Apesar de ser perfeito, Deus se ira, se arrepende (não como o arrependimento humano, mas no sentido de “mudar de parecer”).

                Você está julgando Deus com base nos homens !!!   Deus está muito, mas MUITO acima das mazelas e sentimentos humanos. Discordo radicalmente de que Deus sentiria ira, arrependimento e poderia mudar de parecer, como se Deus não soubesse o que estava fazendo !!!   Realmente, está aí, uma grande contradição da sua parte : Ora, se Deus é perfeito, Ele não pode errar. Só se arrepende, ou muda de parecer sobre alguma coisa, aquele que fez algo que considera imperfeito. Então como Deus pode ter feito algo imperfeito se Ele é o símbolo da perfeição máxima ???

                Mais palavras suas : “...parece que Jesus e seus discípulos, e os profetas não concordam com esse pensamento, Jefferson. Veja Apocalipse 22.16; Salmos 78.70; Mateus 12.3; Lucas 1.32; Atos 2.25; Romanos 1.3; Apocalipse 5.5; Jeremias 23.5; Ezequiel 34.23....”

                O fato de Deus ter eleito Davi como seu servo, não muda o que Davi era. Afinal, Davi era ou não era um Soldado, um Guerreiro ??? E o que faziam os soldados durantes as guerras ??? Acariciavam seus inimigos ? Na própria história do Catolicismo, temos Joana D’Arc, a qual, aos 13 anos, declarou que podia ouvir a voz de Deus que a exortava a ser boa e a cumprir os deveres Cristãos. A mesma voz ordenou-lhe depois, que libertasse a cidade de Orleans do jugo inglês. Afirmou ainda ter visto o Arcanjo São Miguel, além de Santa Catarina e Santa Margarida, cujas vozes ouvia. Esqueça seu repúdio ao Catolicismo e pelas outras Religiões e concentre-se somente nos fatos históricos. Enfim, nesses dois casos, não há dúvidas que essas duas personagens eram guerreiras, e no entanto, Deus, segundo contam as Religiões, as escolheu como eleitas. Mas isso não muda em nada o fato da possibilidade de Davi ter interferido nas Escrituras, colocando ali, o seu modo belicoso de agir e pensar.

                Sinceramente, o que eu queria, era um esclarecimento sobre COMO Deus poderia inspirar o que está escrito nessas Passagens que revelam nítida intervenção do Homem. Desculpe-me, mas divagações não explicam nem justificam nada. Penso que faltou objetividade da sua parte, Marcelo.

                E observando uma contradição da sua parte, repito suas palavras : “..Levando em conta tudo isso, você ao menos deveria levar em consideração as palavras de Cristo, uma vez que diz reverenciá-lo. Já imaginou Jesus tomando como exemplo um criminoso? Não tem muito a ver com o caráter santo do Cristo. É exatamente isso que você está sugerindo.”

                Já que Você pensa assim, como Deus poderia ter dito o seguinte :

Números 31 : 17 : “Agora, pois, matai todos os meninos entre as crianças, e todas as mulheres que conheceram homem, deitando-se com ele.”

                Concordo com Você : Jesus jamais tomaria como exemplo um criminoso ( mas Davi era um guerreiro ... !!! ). E Você, acha que o dito acima (Números 31 : 17 ), incitando ao crime, poderia vir de Deus ???   Se Você acha que sim, estará demonstrando uma flagrante contradição sobre Deus e Jesus !!!

                Com isso, posso concluir que os Espíritas se apoiam em boa parte, nos ensinos da Bíblia SIM, mas somente naqueles ensinos que não sofreram intervenção humana. Ler a Bíblia "cegamente", isto é, ao pé da letra, sem ter discernimento do que é divino e o que é humano, é renunciar a um dos maiores presentes que Deus nos legou : O raciocínio e o livre arbítrio.


*******************


                Por oportuno, pelas suas palavras, Você diz que é um fiel cumpridor de todos os mandamentos da Bíblia.   Será, Marcelo ????   Bem, já que Você diz que a Bíblia não sofreu interferência humana e, que tudo o que lá está é exclusiva Palavra de Deus, então vejamos se Você e os Evangélicos, de um modo geral, cumprem, à risca, o que se segue :


Levítico 11, 21-22 : "Mas de todo o inseto que voa, que anda sobre quatro pés, cujas pernas traseiras são mais compridas, para saltar com elas sobre a terra, estes comereis. Deles comereis estes: a locusta segundo a sua espécie, o gafanhoto devorador segundo a sua espécie, o grilo segundo a sua espécie, e o gafanhoto segundo a sua espécie".

                Marcelo, Você come gafanhotos, grilos ???


Levítico 19, 27 : "Não cortareis o cabelo em redondo, nem danificareis as extremidades da barba".

                Você deixa de fazer a barba ??? Se fizer a barba, estará descumprindo um mandamento de Deus !!! Afinal, está na Bíblia. E segundo Você, não houve intervenção humana. Tudo é palavra de Deus, não é mesmo ???


1 Cor 14, 34-35 : "Conservem-se as mulheres caladas nas igrejas, porque não lhes é permitido falar; mas estejam submissas como também a lei o determina. Se porém, querem aprender alguma cousa, interroguem, em casa, a seus próprios maridos, porque para a mulher é vergonhoso falar na igreja".

                Mas o que vemos, são Pastoras pregando até na Televisão !!!   Será que as mulheres Evangélicas não leram a Bíblia direito ???


                Mas alguém poderia dizer : Ora, isso se aplicava naquela época, onde a fome rondava os povos nômades, não tinham as inovações que temos hoje e os costumes tinham que ser respeitados.

                Mas espere...!!!   Por acaso, a palavra de Deus varia com o tempo ???   Por acaso, a palavra de Deus varia com os costumes e a moda de cada época ???   Ora, a Palavra de Deus é eterna e imutável !!!


               E para aqueles que gostam de carne de porco, aí vai :


Levítico 11, 7-8 : "Também o porco, porque tem unhas fendidas, e o casco dividido, mas não rumina ; este vos será imundo, da sua carne não comereis, nem tocareis no seu cadáver; estes vos serão imundos". ( Destaque meu ).

                Certa vez, fui convidado, pela Família de minha esposa ( Todos são Evangélicos ) para um churrasco. Recusei, educadamente, pois só como carne branca. Disseram-me que não havia problema, pois fariam frango no espeto. Qual não foi minha surpresa, ao ver que havia, à farta, carne de porco, que era consumida, avidamente, por Todos os Evangélicos que lá estavam ...

                Das duas uma : Ou os Evangélicos não estão cumprindo a Palavra de Deus ou houve realmente intervenção humana nas Escrituras Sagradas !!!   Com qual Você fica ???

                Ah! Já sei, vão dizer que em algumas Passagens pegamos frases isoladas. Sim, fizemos isso para podermos usar da mesma “técnica” que usam quando o assunto é combater o Espiritismo. Assim estamos utilizando da mesma medida, pois “pesos diferentes são abomináveis ao Senhor” (Provérbios 20, 23).


*******************


                Suas palavras : Muitas vezes, durante suas enganosas argumentações, os doutrinadores espíritas, numa linguagem “mansa” e “reverente”, citam os textos bíblicos que, aparentemente, apoiam seus errôneos ensinamentos...” “...O Livro dos Espíritos – , negando tudo o que Deus ensinou à humanidade através dos profetas, e sendo contrários a tudo o que Jesus e os apóstolos pregaram...”

                Marcelo, sempre antes de criticar algo ou alguém, procuro ANTES olhar para mim e para aquilo em que Eu acredito, para DEPOIS então comentar os erros de outrem ( conforme Cristo nos ensinou em Mateus 7:3-5, anteriormente citado – Cisco no Olho ... ) e mesmo assim isso é raro, pois não me julgo o dono da verdade para ficar apontando os erros alheios, e erros todos tem. Mas às vezes, sinto-me obrigado a agir assim, para mostrar aos outros que a minha Religião pode ter falhas, mas para apontá-las, a parte que acusa deveria ter um Religião pura e exemplar ... Mas isso é simplesmente impossível !!! Afinal, não somos humanos ??? Pois bem, enganosas argumentações tem o maioral dos evangélicos, o Bispo Macedo, que induz as pessoas a se apegarem a bens materiais, nos Programas da Rede Record, como foi dito em minha última mensagem. Errôneos ensinamentos tem o Pastor da Igreja da Assembleia, Rio, que faz Leilões com a Graça de Deus. Repito para Você, parte do que minha Esposa, que é Evangélica, presenciou :


                “... lá pelas tantas, o Pastor disse às pessoas que assistiam :


Vamos irmãos, vamos iniciar as Ofertas :


" Quem   pode   dar   R$ 1.000,00 ? "   Silêncio   geral. "E R$ 800,00 ?" Novamente silêncio. O Pastor retruca : “ Vejam Irmãos, quanto maior a oferta, maior a Graça de Deus !!! ”



AGORA ME RESPONDA :


Quanto maior a oferta, maior a Graça de Deus ?

Deus comercializa a Sua Graça ???

Deus é um Comerciante ?????

Por acaso, Jesus e os Apóstolos viviam pedindo dinheiro para as pessoas que O seguiam ???????

Isso, por acaso, é exemplo de Cristianismo ????????

É isso que ensina a Religião Evangélica ?????????????




*******************



                Uma das partes que mais me surpreendeu, foi a sua afirmação de que os Espíritas possuem princípios Panteístas. Foi dito por Você : “...Isto é uma afrontosa tentativa de anular a pessoa de Deus; não passa de aberrante panteísmo, onde Deus não é visto como um ser pessoal, definido, e sim como “a soma de tudo quanto existe”. “ ...No livro Pseudos-Sábios ou Falsos Profetas (1947, p.34), o espírita Rangel Veloso diz ter ouvido em um centro espírita a seguinte definição de Deus, panteísta e afrontadora como costumam ser as opiniões espíritas sobre o Criador: “Deus é uma folha de papel, rasgadinha em milhões, bilhões e não sei quantas mais divisões. Lançados esses pedacinhos de papel no Universo, cada pedacinho de papel representa um homem e um ser existente, e todos reunidos, formando o todo, é Deus...”

                Quando digo que isso me surpreende, não me refiro ao fato de Leon Denis e Rangel Veloso terem dito o que foi acima reproduzido. O que me espanta é saber que certamente Você conhece bem o Fundador do Protestantismo, ou seja, Martinho ( ou Martim ) Lutero, o qual formulou os princípios da SUA Religião, sendo que um deles é a salvação pela Fé e Graça, e que Você tanto cita, não é mesmo ? Ora, SE Você se baseia praticamente em tudo o que Kardec disse para atacar o Espiritismo, uma vez que Ele é o Fundador da nossa Doutrina, nada me impede de me basear em Martinho ou Martim Lutero, para caracterizar os Evangélicos, já que Ele foi o Fundador da SUA Religião. Bem, esse blasfemador da Idade Média, influenciado pelo Renascimento, disse :


"Deus está presente em todas as criaturas, na menor folha, na menor parcela de graveto."

( Funk Brentano, Martim Lutero, Casa Editora Vecchi – 1956 ).



                Ora, ora, ora, quer mais Panteísmo do que isso ???   Sabendo Você de tal afirmação, isso me pareceu, desculpe-me, desonestidade da sua parte !

                Com relação Lutero, continuarei a falar um pouco mais adiante, para revelar o verdadeiro caráter desse Pai dos Protestantes.


*******************


                Você diz : “ Sabemos que Adão foi o primeiro homem criado por Deus, e que, por ele ter pecado, os homens incorreram todos na condenação”.

                Marcelo, veja o que diz um Cristão, estudioso da Bíblia, em resposta a perguntas de uma fiel :

Retirado do Site :
http://www.redemptor.com.br


156- Pergunta : Ouvi um padre dizer que a história de Adão e Eva, contada na Bíblia, não é verdadeira. A Bíblia não é a palavra de Deus ? Em que devo acreditar ?

156- Resposta : Você provavelmente não entendeu bem o que o padre disse. A história de Adão e Eva é verdadeira, sem dúvida, mas não deve ser compreendida ao pé da letra. Por exemplo, quando Você canta o hino nacional, diz que o Brasil está "deitado eternamente em berço esplêndido". Ninguém vai pensar que existe um berço enorme onde o Brasil está deitado. Mas, através dessa linguagem poética, o autor do hino exprime uma verdade: os brasileiros vivem dentro de um território magnífico, comparável ao berço onde se põe uma criança.

Assim também a Bíblia usa símbolos concretos para explicar coisas espirituais que não podemos ver. Ela diz que Deus formou o homem do pó da terra e insuflou em suas narinas um sopro de vida (Gen 2,7). Mas não pretende que se acredite que Deus tem mãos como nós para modelar uma imagem e que o sopro de sua boca deu vida a uma estátua de barro. É apenas um modo de dizer, utilizado na Bíblia, para revelar verdades muito profundas sobre a nossa vida.

Quer dizer em primeiro lugar que somos criados por Deus: nossa existência é um presente gratuito dele. Não existimos por acaso, nem somos donos da nossa vida, mas a recebemos de Deus. Ele nos criou à sua imagem e semelhança (Gen 1,27), num gesto de amor, para nos comunicar a sua vida e felicidade. O ser humano será feliz à medida que reconhece Deus como seu criador, i.e. colabora com o plano de Deus para que reine a justiça e a paz em toda a família humana.

A história bíblica da criação do mundo contém ainda muitas verdades importantes para nossa vida. Por exemplo. Tudo o que Deus fez é bom: o mal não vem de Deus. A pessoa humana é o ponto alto da criação: tudo o mais no céu e na terra foi criado para o nosso bem. O ser humano não é um espírito que está provisoriamente aprisionado na matéria: ele faz parte deste mundo e na sua totalidade, corpo e alma, foi criado por Deus, como sua imagem. Homem e mulher foram criados por Deus, para se ajudarem e completarem. O homem não é superior à mulher. Os dois merecem o mesmo respeito.

Este é o verdadeiro sentido da história de Adão e Eva. A Bíblia não é um livro científico nem uma história como qualquer outra. É um livro religioso. Só pode ser entendida quando Você procura nela a mensagem de Deus para sua vida. (João A. Mac Dowell S.J.)


157- Pergunta : Segundo a Bíblia, o primeiro homem e a primeira mulher foram criados por Deus. Mas a ciência diz que a espécie humana surgiu de outros animais através da evolução. No que devo acreditar ?

157- Resposta : Não existe contradição entre a verdadeira fé e a verdadeira ciência. Elas tratam da origem do ser humano sob aspectos diversos. Quando a Bíblia diz que o mundo foi criado em seis dias ou que Deus formou Adão do pó da terra e Eva de uma costela de Adão, está usando uma linguagem simbólica, como quando o marido chama sua mulher de "meu coração". O ensinamento da Bíblia não é uma explicação científica da origem da espécie humana, mas uma mensagem religiosa sobre o sentido de nossa vida. Nem por isso deixa de ser verdadeiro, como é verdadeira a declaração de amor do marido à mulher.

Portanto, não há nenhuma oposição entre a narração bíblica e a ciência, quando esta afirma que a evolução do universo desde a sua origem até o aparecimento da vida humana levou bilhões de anos. Nem é contrário à fé cristã admitir que o ser humano surgiu por evolução a partir duma série sempre mais perfeita de animais, chamados pelos cientistas primatas e antropoides. São teorias científicas hoje bastante aceitas. Você como cristão não é obrigado nem a aceitar nem a recusar a teoria da evolução. Também não precisa acreditar que o primeiro homem se chamou Adão e a primeira mulher Eva, porque não é isso que Deus nos quer ensinar através da Bíblia. Adão em hebraico significa simplesmente "homem" e Eva significa "mãe dos viventes".

O cristão pode aceitar a evolução, mas deve acrescentar que todo este universo em transformação, e especialmente o homem, foi criado por Deus. Se o corpo humano tem sua origem na matéria viva já existente, a alma espiritual é criada imediatamente por Deus. Portanto o homem, ao contrário dos outros animais, não deriva simplesmente do universo material: tem uma relação direta com Deus, do qual recebe a sua capacidade de compreender e amar, a sua inteligência e liberdade. A ciência não pode verificar se as afirmações da fé são verdadeiras ou não. Ela trata apenas do que pode observar através dos seus métodos. Mas a criação do mundo e do homem não são acessíveis à observação científica. Se o cientista nega que o mundo foi criado por Deus ou afirma que o ser humano é pura matéria, ele está saindo do seu campo e entrando no campo religioso. Como cientista, ele não tem competência para decidir esta questão, assim como a fé não pretende decidir se a evolução é uma explicação verdadeira ou falsa dos dados da realidade.

(João A. Mac Dowell S.J.)


PECADO ORIGINAL

158- Pergunta : Meus amigos gozaram de mim quando disse que todos os males da humanidade foram causados por Adão e Eva quando comeram do fruto proibido. Devo acreditar nessa história da Bíblia ?

158- Resposta : Os primeiros capítulos do livro do Gênese têm um estilo muito especial. Quem não sabe ler estas narrações como se deve, acha tudo ridículo. De fato, a cena da serpente tentando Eva a comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal emprega uma linguagem figurada, como a que se usa na poesia ou mesmo nas histórias para crianças. Ninguém deve pensar que uma serpente falou e que o pecado de Adão e Eva consistiu em comer uma fruta. Mas, através dessas imagens, a Bíblia nos oferece um ensinamento religioso muito profundo.

Por que existe tanto mal no mundo ? Por que o ser humano sente a tentação da ambição, da inveja, da violência ? Será que Deus é responsável de tudo isso ? No início do Gênesis já tinha ficado claro que tudo o que Deus criou é bom. Essa frase é repetida sete vezes, a respeito de cada tipo de criatura. Então donde vem a maldade humana com suas terríveis consequências ? A narração bíblica explica que a culpa é do próprio ser humano : Prefere seguir o seu desejo egoísta a obedecer à orientação de Deus. Em vez de comportar-se como uma criatura, pretende "ser como Deus", decidindo o que é bom e o que é mau, segundo o seu capricho.

Mas a Bíblia introduz outro personagem na história. O homem e a mulher não estão sozinhos diante de Deus. A serpente significa o tentador, o inimigo de Deus, que procura destruir o plano da criação e provocar a desgraça da humanidade. Ele quer nos enganar sobre o nosso verdadeiro bem. Todos nós sentimos esses pensamentos e desejos egoístas. Mas o ser humano pode resistir à tentação. Segundo o ensinamento da Bíblia, ele é livre para dizer não ao maligno e sim a Deus. Quando peca, vira às costas a Deus, fonte da vida, recusa a sua amizade e a felicidade que ele promete. Comer o fruto proibido é simplesmente ceder à tentação e desobedecer à ordem de Deus. Daí vem todo o sofrimento da humanidade.

É esta a grande lição da história do pecado de Adão e Eva. Confiar em Deus, seguindo o caminho que ele mostra, é fonte de bênção. Afastar-se de Deus para seguir os próprios caminhos, é a causa de toda a miséria da humanidade. Por causa do seu pecado, Adão e Eva são expulsos do paraíso, onde viviam felizes juntos de Deus. É uma imagem das consequências da recusa de Deus e do seu amor. Mas a bondade de Deus supera a nossa maldade. Ele promete a salvação por meio da descendência da mulher. Jesus esmagará a cabeça da serpente.

(João A. Mac Dowell S.J.)


161- Pergunta : Segundo a teoria da evolução, os primeiros seres humanos eram muito primitivos. Como isso se concilia com a história de Adão e Eva que viviam felizes no paraíso antes de pecarem ?

161- Resposta : Em primeiro lugar é preciso entender bem o que pretende dizer o livro do Gênese com a história de Adão e Eva no jardim do paraíso. Não se trata dum lugar em alguma parte da terra. Mas duma maneira simbólica de descrever uma situação ideal de felicidade do ser humano, resultado de sua amizade com Deus. A Bíblia quer dizer que Deus, ao criar o homem, ofereceu-lhe a oportunidade de se realizar através do amor.

Mas o primeiro homem, conforme a Bíblia, não aceitou a proposta de Deus. Por um ato livre de sua vontade, preferiu seguir os seus desejos egoístas. Por causa dessa desobediência afastou-se de Deus, perdendo todos os bens que ele lhe prometera. Portanto, a situação ideal, descrita com a imagem do paraíso, nunca se realizou. Com o seu pecado Adão não foi privado duma perfeição que já possuía, mas perdeu a oportunidade de entrar num estado superior de vida e felicidade, que lhe era oferecido.

Entendida dessa maneira a verdade religiosa do paraíso e do pecado de Adão não se opõe à explicação científica da origem da espécie humana através da evolução biológica. Como a situação paradisíaca era apenas uma oferta, recusada pelo primeiro homem, nunca foi uma realidade histórica. Portanto, não interferiu na evolução, nem modificou as condições de vida dos primeiros seres humanos, como são descritas pela investigação científica. Mas o pecado de Adão é um fato histórico. Apesar de não se manifestar externamente, teve conseqüências negativas. Se o dom de Deus tivesse sido acolhido pelo homem, a história da humanidade teria sido muito diferente.

Por outro lado, o fato de ser primitivo do ponto de vista tecnológico, mais ou menos como alguns povos indígenas que só conhecem instrumentos de pedra, não impediu o primeiro homem de tomar decisões livres. A qualidade moral duma pessoa e a intensidade de sua fé religiosa não dependem do grau de evolução cultural. De fato, conhecemos pessoas, consideradas altamente civilizadas, que não demonstram possuir nenhum sentimento moral. Ao contrário, existem pessoas culturalmente simples e atrasadas, que têm uma sensibilidade moral e religiosa muito fina: são plenamente capazes de distinguir entre o bem e o mal.

A teoria da evolução não deve abalar a sua fé na verdade cristã do pecado original.

(João A. Mac Dowell S.J.)


OBS : Os seguimentos em negrito acima, foram destaques feitos por mim.


                Além de tudo, há pouco tempo ( cerca de umas 3 semanas atrás ), na Rede CNT, o Missionário R.R. Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus, o qual Você deve conhecer ou, no mínimo, já ouviu falar, disse, baseando-se em leituras Bíblicas : “...Irmãos, faz 6 mil anos que Adão e Eva estiveram aqui na Terra...”

                Ora, 6 mil anos ???   Sabemos que as primeiras civilizações humanas são mais antigas ainda. Veja, apenas como exemplo, o que diz a Agência de Notícias EUROPA PRESS :

                – Uma civilização que remonta o ano 7.500 a.C. foi descoberta no fundo do mar, na costa ocidental da Índia, informou o governo indiano. Os vestígios mais antigos, de vida humana em sociedade, conhecidos até agora datavam de, aproximadamente, 4 mil anos antes de Cristo. Os arqueólogos encontraram, 40 metros abaixo do nível do mar, restos que indicam a presença de uma civilização humana. Os vestígios incluem dentes e ossos fossilizados, pedaços de esculturas, um aposento que seria um banheiro e uma construção que assemelha-se a um templo. As informações são do Ministro indiano de Recursos Humanos, Murli Manohar Joshi. Na Índia, os povos mais antigos que se tem notícia são os Harrapa e os Mohenjodaro. Ambos floresceram no Vale do Indo, no ano 2.500 a.C. - Trata-se de um tipo de civilização Harrapa, porém muito mais antiga – disse Joshi, a respeito das ruínas encontradas no fundo do mar. Os estudos arqueológicos foram realizados no Golfo de Cambay, no Mar da Arábia, em frente a costa do estado indiano de Gujarat.

                Além disso, a Ciência já demonstrou, de forma inequívoca e farta, que os vestígios da raça humanóide, em suas vertentes, datam de mais de 7 Milhões de anos. Por que Deus criaria seres com características humanóides, há milhões de anos atrás, para depois destruí-los e depois inventar Adão e Eva ? Será que Deus fez algo que julgou errado, e quis depois refazer sua obra ? Ora, isso seria impossível, porque Deus JAMAIS faz algo errado, pois Deus é perfeito e disso Você não pode discordar !!!

                Se devemos ler e aceitar "cegamente" tudo o que esta na Bíblia ( a qual foi alterada inúmeras vezes pelos homens, segundo os seus interesses ), como entender o que a Ciência revela de forma inquestionável ???   Será que os Cientistas são demônios que querem enganar a humanidade ???   SE fosse assim, estamos usando instrumentos do maligno para nos corresponder, pois a informática também é um produto da Ciência.

                E mesmo que as descobertas Científicas de milhões de anos atrás se relacionem a macacos, por que Deus criaria primeiro macacos e depois os seres humanos ???   Será que Deus achou mais importante fazer primeiro macacos e depois o Homem ???   Será que Deus estava treinando, ensaiando a criação para depois fazer seres à Sua Imagem e Semelhança ???   Quer absurdo maior do que esse ???

                Como os Evangélicos explicam a existência de seres humanos que viveram ANTES DE ADÃO E EVA, SE SEGUNDO VOCÊS, ADÃO E EVA FORAM OS PRIMEIROS SERES HUMANOS CRIADOS POR DEUS ???

                Acredito que a civilização Indu, acima citada pela Europa Press, não deixa dúvidas. Reitero : Se Adão e Eva foram os primeiros seres Humanos criados por Deus, como explicar a descoberta de outros seres humanos, que viveram em forma de sociedade e que existiram antes de Adão ???

               Vamos fazer “vista grossa” a esse Fato Científico e fingir que ele não existe   OU   vamos encarar a realidade de forma madura e racional ???

               Se o que o Missionário RR Soares disse é verdade, com base em Passagens Bíblicas ( as quais têm textos mal traduzidos ), então as investigações científicas levadas a cabo por Institutos de Pesquisa idôneos da Europa são blasfêmias proferidas contra os Ensinamentos Evangélicos ??? Ora, quem estaria blasfemando neste caso ???


*******************



                Palavras suas : “Allan Kardec assina a sentença de condenação desse sistema anti-humano, antilógico, antibíblico que é o Espiritismo...”

                Muito bem. Já que Você quer levar o diálogo nesses termos, veja bem o que é anti-humano, antilógico e até mesmo antibíblico :



Evangélicos pedem para eleitores assinarem compromisso de voto

Alessandra Mello



                Publicado no antigo Jornal do Brasil :

                BELO HORIZONTE - Oito candidatos evangélicos a câmaras municipais de Minas Gerais, ligados à Igreja Universal do Reino de Deus, estão cobrando que os eleitores assinem um documento intitulado "compromisso de fé".

                Nele, o eleitor é induzido a preencher seu nome, endereço completo, cidade, número, título de eleitor, seção e zona eleitoral. Abaixo deste formulário há a inscrição "comprometo-me a votar no candidato" e um espaço para a assinatura.

                Para coibir esta prática, o Ministério Público Eleitoral encaminhou uma representação à Comissão de Fiscalização da Propaganda Eleitoral (CFPE), pedindo o recolhimento imediato do material e a punição de todos os candidatos por crime de coação eleitoral, previsto no artigo 301 do Código Eleitoral.

                Na denúncia anônima, foram enviados ao ministério "blocos" de oito candidatos. Entre eles, está a vereadora mais votada da capital mineira nas eleições passadas, Maria Helena Soares (PFL).

                Entretanto, a maioria dos candidatos citados no caso é do PL: os pastores Edvan (Betim), João Lemos (Ribeirão das Neves), Edgar (Contagem), Rosevaldo (Governador Valadares), Carlos de Jesus (Uberaba), Leandro (Uberlândia) e a obreira Morgana (Santa Luzia).



Igreja não devolve dinheiro

Autor: Andréa Flores


                Desempregada ganha no bingo e marido doa o prêmio para Universal do Reino de Deus. Ela quer o dízimo de volta.

                Desempregada e com três filhos para criar, a telefonista V.S.M.S., 33 anos, apostou no bingo e tirou a sorte grande: ganhou R$ 5.156. No mesmo dia, pagou as contas atrasadas e depositou o restante, R$ 3 mil, no banco. Duas semanas depois, como precisou sacar R$ 200, descobriu que a conta estava negativa em R$ 259. Ao chegar em casa, o marido, o garçom Z.A.A., 32 anos, fiel da Igreja Universal do Reino de Deus, confessou que pegara o dinheiro para pagar o dízimo da instituição. Expliquei ao pastor a situação, mas ele disse que ofertas não são devolvidas.

                V. tem uma despesa mensal de R$ 1.200. Meu marido está sem emprego desde março. Meus pais estão sustentando minha casa. Recebi diversas cartas de cobrança do banco, mas não tenho como pagar, reclama ela. De acordo com a telefonista, o dízimo foi pago à Universal de São Cristovão, onde o marido freqüentava os cultos há um ano e quatro meses. Na terça-feira retrasada, quando soube do ocorrido, procurou o pastor Henrique: Ele disse que conhecia Z., mas não podia fazer nada. Nossa conversa ficou tensa. Quando vi, estava cercada por obreiros. Falei para não encostarem em mim. Então, o pastor Henrique gritou que eu estava endemoniada .

                Z. também pediu a devolução do dinheiro.

                Quatro dias depois, Z. foi à Universal para implorar a devolução dos R$ 3 mil, e recebeu a mesma reposta: nada feito. Depois disso, trocou de igreja. Agora, ele é fiel da Internacional da Graça. Vou processar a Universal. Ela induz os irmãos a darem tudo o que têm, mesmo sem poder. Meu marido está transformado. Não tenho nada contra os evangélicos, minha família toda é evangélica. No entanto, na igreja onde costumam ir, a política é bem diferente. Apesar da confusão, V. continua casada com Z, que garantiu que vai lhe devolver um dia o dinheiro.

                O pastor Henrique foi procurado pelo DIA, mas não retornou a ligação. A pessoa que atendeu ao telefone disse que desconhecia a história da telefonista, e que o pastor não estava. O reverendo Guilherme Cunha, da Igreja Presbiteriana, explicou que, se o fato tivesse acontecido na instituição dele, devolveria a oferta, se pudesse comprová-la. O pastor José Bezerra, da Assembleia de Deus, faria o mesmo.


Contribuição em nome de Deus !!!

                A tradição de dar dízimos, a décima parte dos rendimentos e ofertas às igrejas, é anterior ao cristianismo. O Antigo Testamento registra que, antes mesmo de ser instituída a Lei de Moisés, os povos costumavam levar aos sacerdotes a décima parte dos seus animais ou colheitas.

                Mas foi com o cristianismo que o hábito se intensificou, principalmente através do protestantismo, apesar de a Igreja Católica também ter instituído o dízimo como um preceito religioso. As igrejas evangélicas usam o Antigo Testamento como justificativa para a cobrança.


***********************


                Resumindo uma ideia sua, Você diz : “Deus é, pois, a inteligência suprema e soberanamente justo e bom, eterno, imutável, onipotente, soberanamente justo e bom, infinito em todas as perfeições, e não pode ser diverso disso.” Como ? E apesar de possuir todos esses atributos, Deus criou-nos como espíritos atrasados, sujeitos a tantos vexames e aspectos ridículos no caminho da perfeição.”

                Realmente, Eu não entendo que tanto medo e inquietação a evolução provoca nos Evangélicos !!!   Por que Vocês a temem dessa forma ???   Que mal há em dizer que os Espíritos evoluem ???   E o que há de errado em Deus, sendo perfeito, criar seres que necessitam evoluir ???

                Se Deus criasse seres perfeitos, esses seriam iguais a Deus e isso sim é uma blasfêmia !!!   Todo filho necessita aprender com o Pai e é isso que a humanidade vem fazendo há milênios. Na época da perseguição aos Cristãos, os crimes nas arenas era um espetáculo Institucionalizado pelas Autoridades locais. E hoje, fazemos a mesma coisa ?   Colocamos pessoas nos Estádios para serem devoradas por Leões ? Sabemos que os homens da era contemporânea ainda cometem atrocidades, mas aquelas práticas antigas e específicas, com Patrocínio Governamental, seriam inimagináveis na atualidade. Então, os espíritos encarnados que comandavam a Roma dissoluta são do mesmo nível dos espíritos que comandam hoje, o Brasil, por exemplo ??? Ora, é claro que não !!! Então, não precisa ser PhD em Harvard para concluir que houve evolução SIM, e que os Espíritos das Autoridades de hoje não cometem a mesma barbárie Institucionalizada, de antigamente.


                E Você complementa : "Sabe o que diz a Bíblia acerca disso?
R: Romanos 3.23-31.

O Apóstolo Paulo não concorda com o espiritismo!"


                Pergunto-lhe : A frase acima é uma conclusão sua ?   Está realmente na Bíblia ?

                Bem, vamos ver o que diz Romanos 3:23-31 :

23. Pois todos pecaram e todos estavam privados da glória de Deus.
24. Mas agora são gratuitamente justificados pela graça, pela redenção em Jesus Cristo.
25. Deus o destinou para sacrifício de expiação dos pecados mediante a fé em seu sangue. Assim queria manifestar a sua justiça. É que os pecados passados haviam ficado sem castigo no tempo de sua paciência.
26. Para se manifestar sua justiça no tempo presente, provando que ele é justo e que justifica quem tem fé em Jesus.
27. Onde está, pois, o motivo de se gloriar? Foi eliminado. Em virtude de que lei? Pela lei das obras? Não, mas pela lei da fé.
28. Pois julgamos que o homem é justificado pela fé, sem as obras da Lei.
29. Por acaso Deus só é Deus dos judeus? Não é também dos pagãos? Sem dúvida, também é dos pagãos.
30. Visto que não há senão um só Deus, que justifica a circuncisão pela fé e a incircuncisão pela fé.
31. Destruímos então a Lei com a fé? De modo algum. Pelo contrário, a confirmamos.


                Onde está literalmente dito que Paulo condena o Espiritismo ??? Mas será que Você está novamente se referindo a já tão discutida salvação pela fé ou pelas obras ? Aliás, essa norma Bíblica dos Evangélicos foi adotada como regra pétrea, baseada nos princípios do Pai do Protestantismo : Martinho ou Martim Lutero. E sobre Ele, como já disse antes, vou discorrer mais detalhadamente em momento oportuno...

                Se for assim, e parodiando o seu raciocínio, o Apóstolo Tiago, condena o Protestantismo, pois veja :

Tiago 2, 14-18 e 26 : “ Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras ? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo ? Se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa, e necessitados do alimento cotidiano, e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos, e fartai-vos, sem, contudo, lhes dardes o necessário para o corpo, qual é o proveito disso? Assim também a fé, se não tiver obras, por si só esta morta. Mas alguém dirá : Tu tens fé e eu tenho obras; mostra-me essa tua fé sem as obras, e eu, com as obras, te mostrarei a minha fé. Porque assim como o corpo sem espírito é morto, assim também a fé sem obras é morta.” ( Destaque meu ).

                Repito aqui, um destaque desta Passagem que é irrefutável :

                “Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo ?”

Novamente :   “Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo ?”

                As Obras são indispensáveis, como Ele relata logo em seguida.

                As palavras logo acima são absolutamente claras. Não é a fé, isoladamente, que salva. E não há como torcer as Palavras do Apostolo Tiago, para tentar justificar essa posição radical dos Protestantes.

                Mas se os Evangélicos gostam de malabarismos de interpretação, talvez Eles tenham que exercitar muito suas capacidades de torcer as palavras de Cristo em S. Mat. 25 : 35-41. Nesta Passagem, Jesus narra uma Parábola dizendo, de forma clara e sem meios termos, que algumas pessoas serão salvas por causa de suas ações e outras serão condenadas por sua inércia !!!

35. "Porque tive fome e me destes de comer ; tive sede e me destes de beber ; era forasteiro e me hospedastes ;

36. "Estava nu e me vestistes ; enfermo e me visitastes ; preso e fostes ver-me".

37. E então perguntarão os justos : "Senhor, quando foi que te vimos com fome, e te demos de comer ? Ou com sede e te demos de beber ?"

38. "E quando te vimos forasteiro e te hospedamos ? Ou nu e te vestimos ?"

39. "E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar ?"

40. O Rei, respondendo, lhes dirá : "Em verdade vos afirmo que sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes".

41. Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda : "Apartai- vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o Diabo e seus anjos" ;


                Vemos aí, ao final – versículo 41, uma clara conclusão sobre o destino daqueles que não praticaram obras em favor dos desvalidos.


                Certamente, os Evangélicos taparão ouvidos ( expressão já utilizada por Você ) e também os olhos para não terem que admitir algo contrário aos seus interesses e tirarão uma interpretação da cartola, formulada de última hora, para manter o seu orgulho e assim rebater um Ensinamento tão claro e objetivo sobre a salvação, como o acima citado ( e que não é livramento momentâneo de uma situação adversa !!! ).

                E aí Marcelo, Você vai continuar pondo em dúvidas o modo dos Espíritas entenderem os Ensinamentos de Jesus ???   Você acha que a palavra de Evangelistas e Apóstolos ( Efésios 2.8,9 – Salvação exclusiva pela Fé, e não pelas Obras )   têm mais valor do que as Palavras do Próprio Cristo ???

                Com relação a alguns termos ditos por Jesus, cabe uma explicação da minha parte. Devemos saber que o que Jesus dizia, não poderia fugir aos padrões de entendimento da época para que não chocasse os ignorantes. Jesus, ao falar em Anjos, demônios, fogo eterno, etc, estava usando de métodos análogos aos que Ele sempre utilizou nas tão famosas Parábolas, já difundida pelos os Essênios. Anjos, na realidade, são Espíritos de Escol, que sempre acompanham e protegem, obedecendo à determinação de Deus. Demônios são espíritos atrasados que teimam em continuar na prática do mal.

                Com relação ao “fogo eterno”, compreendo que é natural os Evangélicos e Católicos pensarem que existe um Inferno, com chamas impiedosas, capitaneado por Lúcifer e seus asseclas. Também pensava assim, quando Eu era Católico e não aceitava, teimosa e orgulhosamente, quaisquer outras explicações acerca desse assunto. Para nós Espíritas, existe sim, um lugar de “choro e ranger de dentes”, sombrio e desolador e que se chama Umbral. E este sempre existiu e existirá ( é eterno )   para receber os espíritos rebeldes e necessitados de corretivos. Através do sofrimento, esses mesmos espíritos enxergam, cada um a seu tempo, o mal que fizeram, e depois do sincero arrependimento, são resgatados de lá.

                Jesus disse que o Fogo é eterno, MAS NÃO DISSE QUE A PERMANÊNCIA NESSE LUGAR É ETERNA !!!

                Agora, por favor entenda : Não bastam só as obras. Pergunte a qualquer Kardecista se Ele pratica obras e se esquece de Jesus. Uma coisa não exclui a outra. Será que a prática das obras, exclui, NECESSARIAMENTE a Fé em Jesus ? Praticamos obras sim, MAS JAMAIS NOS ESQUECEMOS DE CRISTO, POIS ELE É A LUZ PARA AS NOSSAS VIDAS.


                Quando é que os Evangélicos vão entender isso ???



***********************

               

                Com relação a Nero, Hitler, Lampião e elementos dessa estirpe, digo, novamente :

               A Lei do carma utiliza, em certos casos, da escória da Sociedade, para que cada um salde seus débitos. Se existem estupradores, assassinos, criminosos, etc, é porque ainda vivemos num mundo atrasado, cheio de pessoas ignorantes e pouco evoluídas moral e intelectualmente. Porém, essa “escória” deverá resgatar tudo o que fizer. Passarão por todas as atrocidades que cometeram. Se um indivíduo é vítima de criminosos, é um sinal que, em alguma vida passada, essa pessoa teve ligação com esse tipo de comportamento. Quanto a Nero, Hitler e Lampião, será que alguém sabe o que aconteceu com Eles nas encarnações seguintes ? Será que podemos esquecer do enorme resgate que esses indivíduos tiveram ( ou ainda terão ) que suportar nas vidas posteriores ?

                E com muita tristeza li suas ironias quanto aos desígnios de Deus relativos às vidas expiatórias que essas pessoas teriam que suportar, como : “...O que é que faço com eles? Estive pensando em reencarná-los e torná-los lavadores de pratos, jardineiros, ou faxineiros de restaurante judeus. Aí eles ajustariam contas comigo! Ah! como eu ia gostar de ver Hitler, Joseph Mengele e toda aquela turma pagar-me, com uma vassoura ou um cortador de gramas na mão, as traquinagens que fizeram na Segunda Guerra Mundial...”

                Talvez Você desconheça que muitos daqueles que participaram da SS nazista, renasceram no ventre de mulheres que foram vítimas da Talidomida, a qual provoca a teratogenia nos fetos. Se os nazistas mutilaram pessoas, deveriam saber o que era ter o corpo mutilado. Talvez Você desconheça a realidade dos Países da África, em especial na Etiópia, onde crianças morrem e são devoradas por abutres, os quais ficam à espreita, esperando o momento de atacarem suas vítimas, em pleno acampamento de seres condenados à morte. Afinal, quem deixava pessoas morrerem de inanição nos campos de extermínio, deveria saber o que é morrer sentindo a dor da fome. Estou lhe escrevendo isso com lágrimas nos olhos. Por favor, Marcelo, não brinque mais com isso...

               Para finalizar, essa parte triste, imaginemos que Hitler, para sermos mais simples, chegasse ao final da vida ( não me refiro ao suicídio ) e, com cara de santinho, dissesse chorando que estava arrependido de tudo. Por acaso, esse facínora iria para o Paraíso ???   Ora, pela sua teoria, basta se arrepender, nem que seja no final da vida, pedir perdão e pronto ! Estamos ao lado de Deus ! Quer dizer que basta se converter, nem que seja no final da vida, dizer que está arrependido de assassinar, estuprar, roubar, que imediatamente estará no “céu” ???   Que religião boazinha !!!

               E que justiça estranha essa pregada pelos Protestantes. Estupradores criminosos, traficantes, assassinos, ficam ao lado de Deus, juntamente com aqueles que passaram a vida inteira praticando os ensinamentos de Jesus. Ou seja, a fórmula é essa : Não há problema em matar, roubar, estuprar, etc, etc, DESDE QUE, pelo menos, no final da vida, haja arrependimento e perdão dos pecados !!! Novamente digo : Mas que religião boazinha !!!   Muitos convertidos de última hora acham EXATAMENTE ISSO, ou seja, interpretam literalmente dessa maneira. E com isso, a reforma íntima fica adiada para o final da vida, quando já aproveitaram bastante, fizeram tudo para se dar bem na vida, e quando chega o final, se arrependem, perdem perdão, fazem cara de santinho e assim acham que vão para o Paraíso... ( ora, essa é muito boa !!! )

               É claro que Deus vê o íntimo de cada um e somente chamará para a Sua direita, àqueles que REALMENTE seguiram os Seus ensinamentos. Mas o mal está naqueles que ingenuamente ( ou maliciosamente ) aplicam para si, de forma conveniente, alguns ensinamentos que dão margem às suas próprias e interesseiras interpretações.


***********************


               Suas afirmações : “Sabe o que a Bíblia diz acerca disso ?

R: Lucas 22.43; Mateus 26.51-53.

               “Jesus discorda com a teoria espírita.”

                A frase acima, formulada por Você, a qual retrata a SUA exclusiva opinião, tem base em qual Passagem das Escrituras ?

               Inicialmente, Se Jesus discorda da Teoria Espírita, Ele também discorda daqueles que comercializam com o nome de Deus, ou seja, os vendilhões da era moderna, que negociam a Graça Divina para aqueles que podem pagar mais. E ai daquele que não tiver dinheiro, pois Deus nem olhará para Ele, segundo a prática dos Pastores Protestantes ...

               Para resumir, Vamos a Mateus 26 : 51-53

51. E eis que um dos que estavam com Jesus, estendendo a mão, puxou da espada e, ferindo o servo do sumo sacerdote, cortou-lhe uma orelha.
52. Então Jesus lhe disse: Mete a tua espada no seu lugar; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão.
53. Ou pensas tu que eu não poderia rogar a meu Pai, e que ele não me mandaria agora mesmo mais de doze legiões de anjos ?

                Se Você se refere ao termo "Anjos", já havia explicado essa parte anteriormente. Não vou ficar aqui repetindo o que já foi dito e explicado.


***********************


               Mudando de assunto, Você diz : “Porém, eu bem sei que em dezenas de passagens bíblicas, o Céu é definido como habitação de Deus, e o lugar onde os justos viverão. O autor da carta aos Hebreus fala do Céu como “uma cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador” (Hebreus 11.10).”

               Se Você se baseia EXCLUSIVAMENTE nas teorias Kardequianas, talvez Você ignore os Livros deixados pelo nosso Querido Chico Xavier, e que também fazem parte da Doutrina Espírita, e do qual pedi, na minha última mensagem, alguns comentários seus. Segundo o Livro “Nosso Lar”, psicografado por Chico Xavier, existem as Searas de Acolhimento, lugar de extrema Paz e harmonia, muito semelhante a cidades e vilas que conhecemos, porém em outra dimensão, onde se recebem os Espíritos já preparados para darem prosseguimento à sua evolução. Talvez este lugar seja o Céu mencionado nas Escrituras.

               Quanto a Chico Xavier, Você diz : "...Quanto a Chico Xavier, eu lhe pergunto, você conviveu com ele? Eu não! Assim, como eu poderia falar acerca dele, se é bom ou não. Meus comentários não estão baseando-se na pessoa de ninguém em particular. No demais, a Bíblia diz que por melhor que pareça nossa justiça ela não passa de trapo de imundícia diante de Deus, e se tentarmos estabelecer nossa própria justiça pereceremos. Se Chico Xavier foi salvo ou não, a mim não cabe dizê-lo ou julgá-lo. Há quem faça isso. Vai que ele na última hora se arrependeu de seus pecados !!! "

                Quanta fragilidade nesses argumentos !!!   Por acaso terei que conviver com traficantes para saber se eles possuem bom coração ou se são cruéis ???   Por acaso alguém teria que conviver com Madre Tereza de Calcutá ou Irmã Dulce, da cidade de Salvador-BA, ( a qual Eu tive o privilégio de conhecer pessoalmente, em 1990 ) e que deram a vida em favor dos pobres, para saber se Elas eram boas ou más ???   Ou então só saberia que o assassino do Jornalista Tim Lopes, Elias Maluco, não é "bonzinho", se Eu o visitasse todos os dias ???   Naturalmente, quanto a Madre Tereza e a Irmã Dulce, Você não aceitará, pois todos aqueles que não pertencem à sua Religião, não são dignos de Deus, não é mesmo ?

               E não se trata de estabelecer justiça sobre outrem. Trata-se de RECONHECER, num ser humano, a sua capacidade de praticar A LEI MAIOR DE CRISTO, a qual, parece que os Evangélicos não dão a mínima, ou seja : Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei. É praticar o que ensinam os versículos já mencionados por mim nesta mensagem, em S. Mat. 25 : 35-41...( parábola de Jesus dizendo, de forma clara e sem meios termos, que algumas pessoas serão salvas por causa de suas ações e outras serão condenadas por sua inércia !!! ). Mas sei que isso pouco ou nada significa para os Evangélicos. Afinal, o que importa mesmo é Efésios 2.8,9 – Salvação exclusiva pela Fé, e não pelas Obras, o resto não interessa, não é mesmo ???

               E quem terá que se arrepender, e muito, dos pecados, se quiser alcançar a Salvação ( dos Evangélicos ), é o Pai do Protestantismo moderno, o Bispo Edir Macedo e Cia., os quais praticam a extorsão em nome da Deus, agindo como verdadeiros mercenários da fé. Que Deus tenha piedade de suas almas !!!


               Em outra ocasião Você comenta as palavras de Carlos Imbassay : ...E se há um Deus capaz de condenar uma de suas criaturas a sofrer eternos horrores por uma falta momentânea, cometida seja contra quem for, então este Deus está muito abaixo da sola dos nossos sapatos. Nós nos julgaremos, por isso, muito superiores a um tal Deus”! É muita blasfêmia para uma só ocasião! Isto nos mostra claramente qual é a verdadeira natureza do espiritismo.

                Não, Marcelo, mil vezes não !!!   Você NÃO conhece a verdadeira natureza do Espiritismo. Você NÃO entendeu o que Carlos Imbassay disse. Muito bem, Você já ouviu falar do grande Filósofo Francês : François Marie Arouet, mais conhecido como Voltaire ???   Certa vez, Ele disse :


" Eu não creio no Deus que os homens fizeram, MAS creio no Deus que fez os homens. "



                Voltaire quis dizer que os homens costumam definir ou entender Deus, tomando por base a si próprios, ou seja, com sentimentos humanos. Imaginaram então, um Deus capaz de agir com fúria e ódio contra aqueles que O desobedecerem.

               É evidente que Carlos Imbassay estava querendo dizer que ele era superior ao Deus que os homens fizeram ( criaram nas suas imaginações - Deus fictício ), ou seja, o Deus moldado e inventado segundo as crenças e Religiões dominantes, que é cruel condenando ao sofrimento, os Espíritos no “ fogo eterno do inferno ”. Agora, o Deus verdadeiro, de infinita bondade, que domina o universo E QUE É UM SÓ, na opinião dele e dos Espíritas, não é cruel e sempre dará chances a seus filhos, desde que haja sincero arrependimento e disposição para o reajuste.

                Suas palavras : "Torno a afirmar aqui: a doutrina espírita colide frontalmente com os ensinamentos bíblicos, e, arrogando-se ser a terceira das grandes revelações, contradiz tudo o que Jesus ensinou sobre o perdão dos pecados, a morte a ressurreição, a salvação, o Céu, o Inferno, a vida eterna e outras doutrinas." "...Ainda haverá dúvida de que o espiritismo é a negação total do cristianismo ??? "

                Minhas Palavras : Já não sei quantas vezes disse e terei que repetir isso. O Espiritismo assimilou todas as Palavras de Cristo e rejeitou TODAS as palavras que foram introduzidas PELOS HOMENS na Bíblia. Afinal, quando isso será entendido ????

                O Espiritismo pratica TUDO o que Jesus ensinou, tendo por base o ENSINAMENTO MAIOR DE CRISTO : “Amai-vos uns aos outros, como Eu vos amei”. Mas parece que esse Ensinamento não lhe diz muita coisa ...

                Afinal, o que Jesus disse sobre o perdão dos pecados ? Em Mateus 18 : 21-22, temos : Então Pedro, aproximando-se dele, lhe perguntou : "Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu hei de perdoar ? Até sete ?" Respondeu-lhe Jesus : “ Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete.”

                Por essa Passagem, conclui-se, e com facilidade, que devemos perdoar muitas vezes nossos inimigos. E isso COINCIDE INTEGRALMENTE com a Doutrina Espírita, a qual demonstra que Deus perdoa seus filhos o número de vezes suficiente até que eles se regenerem, através das vidas sucessivas.

                Vejo com tristeza suas assertivas : “Porém, confirmando sua natureza anticristã e diabólica, o espiritismo afirma...” “...contrariando todo esse ensinamento bíblico, Kardec, enganosa e blasfematoriamente, ensina...” “Assim como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega um evangelho que vá além do que nós temos pregado, que seja anátema” (isto é: maldito) ” “...Aqueles que, diante de tudo o que foi apresentado até agora, ainda argumentarem que esse terrível sistema de rebelião contra Deus não merece o título de blasfemo, e não se enquadra na condição de anátema...” “Ou fica-se com Allan Kardec e as blasfematórias doutrinas espíritas ...” “...Leon Denis, Talvez competindo com Allan Kardec em quantidade de blasfêmias e ensinamentos enganosos...”

                Continuando suas palavras : “Eu não poderia deixar de desmascarar aqui, aos próprios espíritas (muitos deles não estão ainda plenamente conscientizados da malignidade e blasfêmias das doutrinas espíritas) as palavras hipócritas de Kardec...” “E ainda há pessoas que acreditam nas “boas intenções” do espiritismo, desse conjunto de doutrinas inspiradas por Satanás!...” “...Mediante isso Jefferson, como você quer que eu engula que o espiritismo é cristão...?” “...É necessário ser míope ou fazer um esforço sobrenatural para acreditar nessa afirmação espírita: “Somos cristãos”. De fato, afirmar que o espiritismo é cristão é subestimar minha capacidade racional e a de muitas outras pessoas...”


                Natureza anticristã, diabólica, enganosa e blasfematória, com princípios de rebelião contra Deus, tem o maioral do Protestantismo moderno, o Bispo Macedo que procura ensinar que os bens materiais tem mais valor que os bens espirituais, nos Programas da TV Record. Natureza anticristã, diabólica e blasfematória tem os Pastores da Assembleia-Rio, que fazem leilão da Graça de Deus : Quem dá mais ? Quem dá mais pela Graça de Deus ???   Dessa forma, o maioral do Protestantismo – Bispo Edir Macedo e os Pastores da Assembleia-Rio, deveriam ser anatematizados porque pregam um Evangelho que colide frontalmente com as Escrituras. Afinal, Com quem devemos ficar : Com o Bispo Macedo e os Pastores da Assembleia-Rio ou com os verdadeiros Ensinamentos de Jesus Cristo ???   Pois milhões de pessoas estão envolvidas com a áurea de santidade desses falsários, pensando estarem seguindo a Jesus e sendo orientadas por Ensinamentos Bíblicos.

                Realmente, o Bispo Macedo compete arduamente com os Pastores da Assembleia-Rio em blasfêmias e ensinamentos enganosos !!!   E Eu não poderia deixar de desmascarar aqui esses elementos, aos próprios Evangélicos, pois muitos deles não estão ainda plenamente conscientizados da malignidade, blasfêmias e das palavras hipócritas desse “Bispo” e Pastores mal intencionados, de fala mansa e revestidos com pele de cordeiro !!!   Eis o mais fiel retrato da hipocrisia !!!   E ainda há pessoas que acreditam nas “boas intenções” do Protestantismo, nesse emaranhado de doutrinas inspiradas por “satanás” !!!   A verdade é que esses Ensinamentos Evangélicos contradizem tudo o que Jesus Cristo pregou, e negam DESCARADAMENTE as lições de desapego material ditas por Cristo nas Santas Escrituras, em Mc 10:21 e S.Mateus 19:21 : “ Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu ; e vem, segue-me.”

                E aí, Marcelo Molina, existe concordância entre a Bíblia e as atitudes anticristãs de Edir Macedo e Companhia ???   Mediante isso, Marcelo, como você quer que eu engula que o Protestantismo, capitaneado por elementos desse naipe, segue os mandamentos de Cristo ?   Eu e muitas pessoas teríamos que ser cegos e nos submeter a um processo de lavagem cerebral para cair no conto do vigário, e neste caso, no conto do Pastor, para acreditar que Eles são os “emissários de Cristo”. Achar que o Bam-bam-bam do Protestantismo, Edir Macedo e Cia., que tanto enganaram e continuam enganado pessoas de boa-fé pelo Brasil afora, são Cristãs, é constatar que não possuímos o mais elementar raciocínio e discernimento dos fatos. Só mesmo ingênuos vão atrás dessa trupe de exploradores da fé alheia.

                Além de tudo, como posso considerar o Protestantismo sendo Cristão, uma vez que o seu "grande" Fundador, Lutero, disse várias blasfêmias e barbaridades inconcebíveis para qualquer Religião que se diga Cristã. Recentemente, foram descobertos os cadernos pessoais de Lutero por Theobald Beer. Neles se lê que Lutero considerava Cristo um ser dual "divino e satânico".   Eis algumas de suas blasfêmias :


1) "Eu estou, da manhã à noite, desocupado e bêbado. Você me pergunta por que eu bebo tanto, por que eu falo tão galhardamente e por que eu como tão freqüentemente ? É para pregar uma peça ao diabo que se pôs a me atormentar". É bebendo, comendo, rindo, nessa situação, e cada vez mais, e até mesmo cometendo algum pecado, à guisa de desafio e desprezo por Satanás, procurando tirar os pensamentos sugeridos pelo diabo com o auxílio de outros pensamentos, como, por exemplo, pensando numa linda moça, na avareza ou na embriaguez, caso contrário ficarei muito raivoso." (Lutero).

(Marie Carré, J'ai choisi l'unité - D.P.F., 1973, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi, Daniel Raffard de Brienne 1983).



2) "Eu tive até três esposas ao mesmo tempo."

(Dois meses após ter dito isto, Lutero se casa com uma quarta mulher, uma freira).

(Guy Le Rumeur, La révolte des hommes et l'heure de Marie 1981, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi - Daniel Raffard de Brienne 1983).



E AGORA, PASMEM :




3) "Pensais, sem dúvida que o beberrão Cristo, tendo bebido demais na última Ceia, aturdiu os discípulos com vã tagarelice?" (Lutero).

(Funk Brentano, Martinho Lutero, Casa Editora Vecchi - 1956 - pg. 135)



4) "Cristo cometeu adultério pela primeira vez, com a mulher da fonte, de que nos fala S. João. Não se murmurava em torno dele : «Que fez, então com ela ?»   Depois com Madalena, depois com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim Cristo, tão piedoso, também teve que fornicar, antes de morrer." (Lutero).

"Ah! Mas eis que tudo vai bem ! Pequemos no interesse de Deus".

(Lutero, Tischredden, Conversas à Mesa, N* 1472, edição de Weimar, Vol. II, p. 107, apud Franz Funck Brentano, Martim Lutero, Ed Vecchi Rio de Janeiro 1956, p. 15).



5) "Moisés é um homem péssimo, servo do Deus do mal".

(Lutero Tischredden -- "Conversas à Mesa" , n* apud Franz Funck Brentano, Martinho Lutero. )


6) Noutra ocasião, Lutero balsfemou contra Deus, ao dizer que Deus age como louco ou como muito tolo :

Deus est stultissimus"

( Lutero, Conversas à Mesa, ed Weimar, N* 963, Vol. I , p. 487. Apud Franz Funck Brentano op. cit. p. 147).


7) "Todos os mandamentos devem ser abolidos. São mandamentos de Satanás"

(Lutero Tischredden, -- Conversas à Mesa, apud F. F. Brentano, op cit. p. )


8) Doutra vez, ao falar Lutero do destino, ele culpava Deus por todos os crimes , e dizia que Judas não podia deixar de trair Cristo, nem Adão tinha liberdade para não pecar. Considerando que era Deus que determinava os pecadores a pecar. Lutero concluia dizendo :

"Deus age sempre como um louco"

Franz Funck Brentano, Martim Lutero, p. 111)


9) "Quanto a Moisés, tende-o por suspeito, como o pior dos heréticos, um homem excomungado e danado, que é pior ainda que o próprio diabo ; é o inimigo do Senhor Jesus Cristo."

(Rohrbacher, Histoire Universelle de l'Église, tome XII, 4eme ed, Gaume Freres et J. Duprey Ed., Paris, 1866, pag. 147).


10) "Se te falam de Moisés para te constranger a aceitar-lhe os mandamentos, responde-lhes atrevidamente : Vai falar de teu Moisés aos judeus ! Não sou judeu, deixe-me em paz !"

F.Brentano, pág. 190)


11) "Não aceitamos Moisés, ele só é bom para os judeus ; não nos foi enviado por Deus."

(Propos de Table no. 356, Funk Brentano, Lutero, pág. 190)



PRECISO DIZER MAIS ??????



***********************



                Mudando de assunto : Não entendi porque Você se precipitou e fez menção à idolatria, na sua última mensagem. Por acaso Você ainda está confundindo Kardecismo com Umbanda e suas vertentes as quais possuem em seus locais de cultos, imagens, amuletos, velas e coisas afins ???   Quantas vezes terei que repetir que a Doutrina de Kardec NÃO utiliza tais coisas, EM HIPÓTESE NENHUMA !!!

                Mais palavras suas : "...Isso é confirmado em Êxodo 20, v. 5 e 6, quando diz "...que visito a maldade dos pais nos filhos ATÉ à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia em milhares aos que me amam e guardam meu mandamentos." Infelizmente os espíritas conseguem enxergar nestas palavras – eu não sei como – a reencarnação. É uma pena!" ( O destaque da palavra ATÉ, em negrito, é meu ).

                Mais uma vez nos deparamos com as Traduções Bíblicas. Preste muita atenção, Marcelo, essa mensagem já vai longe, mas Você não me dá alternativas, senão a de explicar com detalhes. A VERDADEIRA tradução de Êxodo 20, v. 5 e 6, é :

                Não te prostrarás diante deles e não os servirás porque Eu, Iahvéh, teu Deus, sou um Deus zeloso, que visito a culpa dos pais sobre os filhos, NA ( OU SOBRE A ) terceira e quarta geração dos que me odeiam, mas que também ajo, com benevolência por milhares de gerações sobre os que me amam e guardam os meus mandamentos.

                A diferença básica está nas preposições :

                ATÉ    e    NA  /  SOBRE A.


                Repare nas preposições obtidas das escrituras em hebraico :




                Parece não ser importante a mudança de uma simples preposição : " NA " para a preposição " ATÉ ". Porém, colocando-se ATÉ a terceira e quarta geração, subentende-se que o texto está afirmando que Deus começa a cobrar logo na primeira geração. No entanto, cobrando NA terceira e quarta geração, Deus está cobrando o erro que foi cometido com a responsabilidade individual, ou seja, NA geração certa, pois eu não posso ser filho de mim mesmo. Em outras palavras, para que eu volte ou reencarne como filho do meu filho, voltarei exatamente NA terceira geração ou além dela, na quarta, quinta ... etc, onde poderei assumir e reparar meu próprio erro do passado.

                Tudo isso está detalhadamente no meu Site : http://jefferson.freetzi.com, no acesso TEXTOS – TEXTO 4.

                Suas alegações : “...Sei que os ritos do baixo espiritismo é divergente em vários aspectos do Espiritismo Kardecista, mas no fundo, a essência é a mesma. Não tem como negar isso, Jefferson. Se você insistir nisso, razoavelmente transparecerá fraqueza.”

                Vou lhe dizer o que existe em comum entre o Kardecismo e a Umbanda / vertentes : Crença na Reencarnação e comunicação com os Espíritos. No resto, não temos mais nada em comum. Você diz que a essência é a mesma ? Ora, mesma essência tem os Evangélicos, Católicos, Presbiterianos, etc, pois os Evangélicos podem até não ser exatamente iguais aos Católicos, mas que Vocês possuem muita coisa em comum, Ah, isso possuem ! Basta citar a crença irrestrita na Trindade, inferno, Céus com Anjos, demônios, penas eternas, infalibilidade das traduções bíblicas, etc, etc, etc. Bem, afinal sabemos perfeitamente de qual Religião o Protestantismo se originou. Da mesma forma que Você acha que o Kardecismo tem semelhanças com a Umbanda e suas vertentes, Você não tenha dúvidas de que também achamos os Católicos e Evangélicos são muito parecidos, e como !!!

                Outra : Se Você não aceita a autoridade Papal, MUITO MENOS EU, atualmente. Se em algum momento cito algo sobre os Católicos, não é para apoiá-los. Se Você tivesse lido o que eu escrevi na Introdução do meu Site ou na seção TEXTOS – Texto 3, do mesmo Site, Você veria bem o que eu penso a respeito do Catolicismo.

                Quanto a Carlos Imbassay, Você diz ao final : “...De outra forma, a única solução seria apelar para métodos ilegítimos de se interpretar as Escrituras, sob a justificativa “...mas interpretação é por essência, subjetiva, por mais que tentemos justificá-la”, transparecendo assim uma extrema inflexibilidade e fuga pela tangente.”

                Fuga pela tangente ???   Mas foi justamente Matim Lutero, o Pai do Protestantismo, quem proclamava e recomendava o estudo individual da Bíblia, ou seja, a interpretação livre !!!   Isso me parece uma acusação infundada ou então, desculpe-me, seria mais uma desonestidade sua. Não que Eu ache que devemos interpretar a Bíblia segundo a convicção e interesses de cada um, aceitando que um mesmo trecho possa significar coisas diferentes, conforme a ótica do leitor. Se agirmos dessa forma, teríamos Bilhões de interpretações pelo mundo afora !!!   Sempre que me deparava com Passagens Bíblicas que suscitavam dúvidas, recorria a pessoas mais capacitadas e gabaritadas do que Eu, ou seja, pessoas integralmente versadas no aprofundamento da Exegese Bíblica.

                Continuemos com suas Palavras : “...Você diz que Lázaro e o filho da viúva de Naim ressuscitaram, o que não é admissível na doutrina espírita, visto a mesma não crer em ressurreição. Desta forma, você mesmo estaria contradizendo-se, ao usar este texto como forma de refutar o pensamento exercido pelos evangélicos sobre Hebreus 9.27 - Ou os espíritas têm conhecimento da ressurreição e não querem admiti-la?!!!”

                Marcelo, na Bíblia encontramos a palavra Ressurreição, é verdade. A palavra Reencarnação não poderia mesmo estar contida nas Sagradas Escrituras, pois, como já havia dito, a palavra Reencarnação só passou a existir no Séc. XVII, na França ( embora a crença na pluralidade das existências seja muito anterior a Cristo ). E o que Eu disse na minha interpretação ( na verdade, obtive ajuda do Escritor Paulo Neto )   sobre Hebreus 9:27, EM NADA CONTRARIA A DOUTRINA DE KARDEC.   Por que ?   Simplesmente porque a ressurreição clássica de que tanto falam as Religiões Cristãs, com a qual os Espíritas não concordam, é referente a do Juízo Final, ou seja, quando os corpos, já decompostos ou carbonizados, voltarão ( não sei como, pois isso é radicalmente contra os mais ELEMENTARES princípios da Ciência ) para terem o destino merecido : “Céu” ou “inferno”. E essa história, que não tem o menor cabimento, nem mesmo para a mais rudimentar forma de raciocínio, é a ressurreição que os Espíritas não acreditam. A menos que passemos a acreditar também em mula-sem-cabeça, saci-pererê, papai-noel, etc... ( Lembremos que Cristo subiu aos Céus, mas não teve seu corpo decomposto e nem carbonizado ).

                O que Eu quis dizer é que o termo ressurreição foi empregado, no caso sob análise, no sentido de fazer voltar à vida, pessoas que NÃO tiveram os seus corpos inteiramente decompostos e nem carbonizados, como foi o caso da filha de Jairo, do filho da viúva de Naim e de Lázaro. Quem pode garantir que Eles não sofreram de Catalepsia ??? A Catalepsia patológica ( não confundir com catalepsia projetiva ou astral ) é uma doença raríssima e apresenta sintomas idênticos à morte aparente, na qual há uma rigidez cérea dos músculos inclusive com início da decomposição superficial de algumas partes do corpo. O ataque cataléptico tem duração variável, indo de alguns minutos a vários dias. Citei a catalepsia apenas para demonstrar que não me refiro à ressurreição clássica da carne. O termo ressurreição está bem explicado a seguir, nas cartas de Paulo aos Coríntios.

                Se Você argumenta assim, infelizmente isso só debilita suas premissas, o que torna improdutivo para ambos, aprofundar-me nessa questão.


                Para este caso da ressurreição, O Evangelho apresenta evidências claríssimas que a ressurreição a qual se refere não é da carne, mas sim do Espírito. O apóstolo Paulo é o que melhor apresenta esta evidência. Basta lermos a I carta aos Coríntios cap. 15 vers. 35-45 :

" Mas alguém dirá: Como ressuscitam os mortos? E com que qualidade de corpo vêm ? Insensato ! O que semeias não é vivificado se primeiro não morrer. E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como o do trigo, ou de qualquer outra semente. Mas Deus lhe dá um corpo como bem entende, e a cada uma das sementes um corpo apropriado. Nem toda carne é uma mesma carne, mas uma é a carne dos homens, outra a carne das feras, outra a das aves e outra a dos peixes. Também há corpos celestes e corpos terrestres, um é a glória dos celestes e outro a dos terrestres. Um é a glória do sol, outro a glória da lua e outro a glória da estrela. Assim também é a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo em corrupção, ressuscita-se em incorrupção. Semeia-se em vergonha, ressuscita-se em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscita-se em poder. Semeia-se corpo animal, ressuscita-se corpo espiritual.   Se há corpo animal,   há também corpo espiritual ".

                Nestes versículos, Paulo faz uma referência a dois corpos, um físico e outro espiritual. Aprendemos nas obras de Kardec que o espírito possui um corpo fluídico ao qual se dá o nome de perispírito. Ora, então o que Paulo nos ensina é que ressuscitaremos para o mundo espiritual. Isto é tão claro quanto água cristalina !

                E ainda, para não deixar qualquer dúvida a respeito do assunto, o apóstolo Paulo, nos versículos 50-51 do mesmo capítulo citado anteriormente, sela o assunto dizendo-nos :

" Mas digo isto, irmãos, que a CARNE E O SANGUE NÃO PODEM HERDAR O REINO DE DEUS ; nem a corrupção herda a incorrupção. Eis aqui um mistério: nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados ". ( Destaque em maiúsculo e negrito feito por mim ).

                Parece que também está BEM CLARO o que diz Paulo, não ? Ou seja, A CARNE E O SANGUE NÃO PODEM HERDAR O REINO DE DEUS. E aí Marcelo, como fica o conceito clássico de Ressurreição, no qual Você acredita ?

                Mais uma vez, imagino que os Evangélicos taparão os olhos e ouvidos ao citado acima e buscarão outras Passagens bíblicas para não ter que admitir uma verdade tão simples.

                Você complementa, com relação ao Juízo Final : “ ... Quanto a isso, mais uma vez uma tremenda precipitação e um flagrante despreparo. Se isso, Jefferson, é o que leva você a tomar uma posição tão contrastante ao Evangelho, saiba que isso é tão elementar e básico que sequer valeria tanto esforço...”

                Tremenda precipitação, flagrante despreparo e uma singular capacidade de julgar Deus por si próprio, Você demonstrou, quando disse, em um determinado ponto da sua mensagem, que Deus pode sentir raiva, arrependimento, ira, etc. A julgar por essa sua análise, nem valeria a pena gastar tempo e argumentações para manifestar minha opinião acerca de algo tão primário e radicalmente contraditório, vindo de sua parte. Bem, Veja suas próprias palavras :

“ ... Apesar de ser perfeito, Deus se ira, se arrepende, não como o arrependimento humano, mas no sentido de mudar de parecer...”

                Sinceramente, fiquei surpreso ao constatar que Você atribui a Deus sentimentos humanos, baixos e falhos. Quem raciocina assim, demonstra um flagrante desconhecimento dos mais elementares princípios da Exegese Bíblica, revela uma posição absurdamente contrastante com o Evangelho e evidencia ignorar os conhecimentos básicos sobre o poder e virtudes do Senhor do Universo. Alguém que diz conhecer bem a Palavra de Deus, jamais procederia com tamanho despreparo e muito menos usaria esse tipo de raciocínio.

                E nem é preciso ser um “expert” em estudos das Sagradas Escrituras para não incorrer nesse erro tão elementar, pois Você se esquece que o método crítico histórico de investigação bíblica, que surgiu no século XIX, salienta a necessidade de compreendermos o que os próprios Autores Bíblicos entendiam com aquilo que diziam, considerando-se a posição deles dentro da história. Esse método de investigação salienta que eles viveram em uma época em que a Ciência era deficiente e muito limitada ; que eles viviam herdando ideias primitivas sobre a natureza ; seus pontos de vista sobre Deus eram bastante antropomórficos, daí a correlação de sentimentos humanos atribuídos a Deus. E Você continua, em pleno Século XXI, utilizando o mesmo raciocínio dos Homens daquela época ...

                Mas, deixa “pra” lá, pois o assunto agora é outro. Você usa do seu direito de interpretação para menosprezar o direito de interpretar dos outros. Talvez esteja faltando a Você um pouco de humildade e uma visão mais clara sobre a Ciência da Hermenêutica, a qual procura recapturar os eventos anunciados pelos Profetas, extraindo dali o sentido próximo da realidade. Isso envolve mais do que entender o que um Profeta qualquer tem a dizer, no contexto de sua própria época. Antes, devemos procurar penetrar no seu sentido, naquilo que significa hoje em dia, pois a verdade reveste-se de uma universalidade que é comunicada por meio da linguagem.

                Juízo, para Você, e neste caso, significa o fato de não restar mais nenhuma obra para aquela alma, ou à partida definitiva desta vida. Se pensarmos assim, poderíamos dar à palavra Juízo, os mais variados sentidos, de acordo com a nossa filosofia. Na verdade, Juízo não pode fugir à sua essência de separação e comparação a padrões de referência. Portanto, é intrínseca a relação que pode assumir o caráter de ser verdadeiro ou falso, o que leva a qualquer pessoa de bom senso a relacionar o Juízo à uma discriminação revestida de caráter sentencioso, expressando laconismo e formulando decisões. Quanto ao Juízo final, este significa um balanço de fim de era ou a mudança de ciclo evolutivo.

                Em outras palavras, tudo na natureza obedece a um ciclo de vida : Nasce, cresce, alcança a plenitude, envelhece e morre. Assim no micro como no macrocosmo. Então, todos os planetas e estrelas nascem, desenvolvem-se, atingem o estado de maturação e depois desaparecem, porque morrer não é bem o termo, apenas muda de estado ou dimensão. A energia que resta, parte em direção ao Logos Solar, junto ao Criador.

                A Terra no momento está vivendo um período de transição, ou seja, enfrenta uma mudança de ciclo evolutivo, e terá que passar por uma série de acontecimentos que resultarão em grandes transformações tanto na parte física como na moral de seus habitantes. Nenhuma humanidade suporta uma transição dessa de forma gratuita, e de maneira tranquila, isto é, esse cataclismo todo, tem uma razão de ser.

                Então, entenda-se como "Juízo Final", Apocalipse, "Tempos Chegados" "Final de Tempos", um balanço de fim de era, para a qual devemos estar preparados espiritualmente.

                Será que fui claro, ou preciso escrever mais ???   Escrevi o narrado acima, porque me baseio, em parte, na Bíblia, mal traduzida, tendo que filtrar bem o que são devaneios humanos, mas também nos estudos de Exegetas não reacionários, e que são Teólogos e Espíritas estudiosos do Cristianismo.

                E Você diz : “...A salvação é um dom gratuito e não poderá ser alcançado por obras. Por outro lado, aquele que se considera salvo deverá necessariamente praticar boas obras. É simples: não praticamos boas obras para sermos salvos, e sim porque somos salvos! Em nenhum momento aprovamos aqueles que se dizem salvos e permanecem de braços cruzados. Uma das características dos salvos é a caridade...” “...Assim, pois, aquele que afirma ter fé deverá ter atitudes correspondentes àquilo ao qual está exercitando sua fé ( a fé sem obras é morta)...” ( O destaque em negrito é meu ).

                Ora, se Eu satisfizer a condição básica da salvação, segundo Vocês, ou seja, crer no dom gratuito da Fé e Graça, estarei salvo, independente das obras. Mas agora Você diz que aquele que se considera salvo deverá necessariamente praticar boas obras e deverá ter atitudes correspondentes àquilo ao qual está exercitando sua fé. Mas, e se não praticar as Obras ?   Estará ou não estará salvo ?   Mas Você disse os termos "necessariamente" e "deverá ter"... !!!   Se os Evangélicos praticarem somente a fé e graça e não necessariamente se sentirem na obrigação de terem que praticar as obras, não estarão salvos ???   Está aí, mais uma contradição da sua parte.

                Seus argumentos resumidos : “...Para Alan Kardec toda a falta cometida, todo o mal realizado é uma dívida contraída que deverá ser paga; se não for em uma existência, se-lo-á na seguinte ou nas seguintes. Cada qual deverá expiar suas próprias culpas: não há salvação vicária ou redenção feita por outrem; todos deverão conquistar a perfeição por esforços e merecimentos pessoais: a graça divina e os méritos de Cristo seriam privilégios e injustiças. Deus não perdoa nem mesmo pode perdoar pecados sem que preceda expiação e reparação feita pelo próprio pecador (grifo acrescentado). Esta é a base da soteriologia reencarnacionista....”

                Marcelo, a Doutrina Espírita não se restringe somente aos Livros de Kardec. Eles são a base, mas não são tudo. Segundo alguns Livros psicografados por Chico Xavier, verificamos que os carmas não são resgatados exclusivamente com sofrimento. Em alguns casos, a prática da caridade, feita com o coração, para o bem do próximo e não visando interesses outros, suaviza e até elimina boa parte das nossas mazelas cármicas.

                Você diz : “Estamos diante de duas soteriologias totalmente opostas: a cristã e a reencarnacionista. Uma defende a heteroredenção; a outra, a auto-redenção. Uma extingue a outra, sendo impossível sua coexistência. O homem deve decidir-se: contra ou a favor de Cristo?

                Eu corrigiria o acima descrito e diria : Estamos diante de duas soteriologias ( parte da teologia que trata da salvação do homem ) totalmente opostas : a da Ressurreição da carne e a Reencarnação. Uma defende a heteroredenção ; a outra, a auto-redenção. Uma extingue a outra, sendo impossível sua coexistência. O homem deve decidir-se : contra ou a favor de libertar-se de conceitos arraigados, com disposição a violentar-se, despojando-se das suas “verdades”. Eis o que diz Cristo, em S. Mateus, cap. XI, vv. 12 a 15 :

                “...Ora, desde o tempo de João Batista até o presente, o reino dos céus é tomado pela violência e são os violentos que o arrebatam ; pois que assim o profetizaram todos os profetas até João, e também a lei...”


                Ou seja, essas palavras de Jesus aludiam mais propriamente a um acontecimento específico de conversão ou metamorfose espiritual. Isso é fruto de uma decisão inexorável, que só acontece às criaturas espiritualmente preparadas e decididas a romper os liames inferiores, que ainda prendem o seu Espírito às paixões e aos vícios gerados na imantação ao corpo físico !   O Espírito do homem efetua a sua ascensão lenta e demoradamente, vivendo estágios espirituais que o preparam através das vidas carnais educativas. Mas, comumente, ele só alcança a sua definitiva libertação, num momento de súbita violência, em que dominado por sublime impulso, então rasga o véu da vida ilusória da prisão a ensinamentos petrificados pelo orgulho e pela sensação de possuir a verdade, com base na sua “infalível” maneira de entender os ensinamentos Cristãos.


                João Batista e Elias ???   Mas Eu já havia dito que já conhecia a interpretação de Católicos e Evangélicos a esse respeito e que não queria entrar nesse mérito para não prolongar uma discussão que não convencerá ninguém. Cada um possui a sua, mas já que Você insiste ...   Nunca escrevi tanta coisa para uma pessoa, espero que Você ( e agora os Leitores do Site ) tenha(m) tido paciência de chegar até aqui.

                Para não prolongar essa mensagem que está batendo records de tamanho, repito os dizeres de S.Mateus :

                “Os discípulos O interrogavam : Por que dizem, pois, os escribas que é mister que Elias venha primeiro? Jesus lhe respondeu : "Certamente Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas. Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim, farão eles também padecer o Filho do homem". Então entenderam os discípulos que lhes falara a respeito de João Batista. (Mateus 17.10-13).

                Mas por que tanto malabarismos hermenêuticos para tentar explicar um Ensinamento tão simples e direto de Cristo ? Está cristalino como água pura :

                “ Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram...” “...Então entenderam os discípulos que lhes falara a respeito de João Batista...”

                REPITO : “...Então entenderam os discípulos que lhes falara a respeito de João Batista...”

                Elias veio ( = renasceu) na pessoa de João Batista, tanto que os discípulos entenderam perfeitamente que Cristo falava-lhes justamente de João Batista, que convivera com Eles. Mas o orgulho dos Evangélicos nunca vai admitir isso, e então buscam outras passagens para não terem que reconhecer o Ensino de Cristo sobre as vidas sucessivas ( vamos chamá-la assim, já que Você não gosta do termo “Reencarnação” ).

                Você cita : "...Em verdade, em verdade vos digo que, antes que Abraão existisse, eu sou” (Jo 8.58). “...Essas considerações introdutórias ao exame do caso Elias/João Batista, por si, já criam dificuldades aos Kardecistas “cristãos” que rejeitam a divindade de Jesus. Em razão disso, precisamos admitir que a Bíblia não pode contradizer-se, por exemplo, dizer em Hebreus 9.27 que o homem morre apenas uma vez, e depois dizer que João Batista é a reencarnação de Elias. O “Eu Sou”, que existiu antes de Abraão, permeia toda a Escritura, faz parte dela, participou da elaboração de cada doutrina, cada ensino, cada profecia".

                Ora, o “Eu sou” significa, na realidade, que Cristo já existia sim há muito mais tempo, o que demonstra cabalmente a Sua Superioridade Espiritual extremamente evoluída e que já havia alcançado uma condição inigualável perante a todos os que conviviam com Ele. Em hipótese nenhuma isso prova que Jesus era Deus. Portanto, não há dificuldade nenhuma dos Kardecistas perante a Divindade, pois Jesus sempre afirmou ser filho de Deus :

Atos 2, 22 : Homens israelitas, escutai estas palavras: A Jesus Nazareno, homem aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais...

1 Timóteo 2, 5 : ...e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.

João 7, 28 : “Se me amásseis, vos alegraríeis de que eu vá AO PAI, porque O PAI é maior do que eu".


                Poderia me estender mais, mas o tamanho dessa mensagem já está ultrapassando os limites da paciência de qualquer um ...

                Quanto a Hebreus 9:27, O homem realmente só pode morrer uma vez, pois o seu corpo de carne é perecível e uma vez morto, decompõe-se. O Espírito sim, não morre nunca. E este tornará a voltar à carne, através das vidas sucessivas. E foi o que aconteceu com Elias - " Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram..." "...Então entenderam os discípulos que lhes falara a respeito de João Batista..."

                Mais palavras suas : “...João responde aos Kardecistas : EU NÃO SOU ELIAS. João era bastante sincero e firme em suas declarações....”

                Mas, por que teria João negado ser ele Elias ?   É que João era Elias pelo espírito que o animava, mas Ele não era Elias em pessoa ( fôra Elias em outra Reencarnação, nesta Reencarnação não era Elias ).   O que Jesus diz do Espírito de Elias, João o nega da pessoa ( personalidade ). Como sabemos, embora o Espírito seja o mesmo, a personalidade muda a cada Reencarnação; diz a Bíblia: "O homem ( a personalidade ) morrerá uma só vez" (Heb. 9:27), mas o Espírito reencarna vezes sem conta.

                Foi dito por Você : “...Por ocasião da transfiguração de Jesus, quando apareceram Moisés e Elias (Mt 17.3) João Batista já havia morrido, pois fora decapitado por ordem de Herodes (Mt 14.10). Ora, João era quem deveria aparecer ali, e não Elias, segundo a tese reencarnacionista....”

                Acho que Você e outros Protestantes de plantão, SE quiserem criticar o Kardecismo, deveriam estudar mais TODA a Doutrina Espírita ( Ela não se restringe aos Livros da Codificação ). Repito : A Codificação é a base, mas não é tudo, pois o acima dito demonstra uma evidente falta de condições da sua parte, para criticar o Espiritismo. Com relação a aparência de Elias na Transfiguração, a Doutrina Espírita, através dos Livros de André Luiz, psicografados por Chico Xavier, nos ensina que o Espírito, via de regra, mantém, na erraticidade, a mesma aparência da última encarnação. Mas, NADA IMPEDE que ele tome a aparência de outras existências suas, já vividas, aqui na Terra. É o que chamamos de Plasticidade, que é a propriedade que tem o Perispírito de moldar-se de acordo com o comando plastizante da Alma, já que Ele é o espelho e eterna extensão da mente, ou seja, é a possibilidade de se alterar a indumentária perispiritual, ou aparência externa. Tal possibilidade é limitada ao padrão evolutivo, intrínseco a cada Espírito.   E a Transfiguração assim aconteceu, porque o episódio envolveu um encontro entre personalidades do Velho Testamento, representando a Lei Antiga, com as do Novo Testamento, representando a Nova Lei : Jesus, Tiago, Pedro e João.

                E merece destaque o fato de Jesus ter se comunicado com Espíritos dos mortos, quebrando a Lei de Moisés.

                E veja que interessante : O próprio Jesus Comunica-se com os mortos, coisa que Católicos e Protestantes tanto condenam !!!   Contraditório, Não ???   E o mais importante da Transfiguração é justamente essa comunicação com os mortos, e não detalhes errôneos de interpretações desprovidas das mais elementares noções de Espiritismo.

                Desculpe-me, mas esses seus sofismas só servem para debilitar os seus argumentos.

                Continuemos, Você diz : "...como Elias não morreu, mas foi trasladado ao céu (2 Rs 2.11), não há como os kardecistas admitirem que ele tenha reencarnado em João Batista. Seria um contra-senso. Alegar que a história da trasladação de Elias não merece crédito, não convence, porquanto o kardecismo usa a Bíblia na busca de apoio às suas doutrinas. Seria outro contra-senso".

                Vamos usar uma linguagem que Católicos e Protestantes entendem bem : Será que Deus abriu uma exceção ( além de Cristo, é claro ) para que um Espírito levasse seu corpo de carne para o céu, antes do chamado "Juízo Final", tão proclamado pelas Religiões Cristãs ???   Esse fato seria algo que deveria merecer muito, mas muito destaque por todos os estudiosos das Escrituras, pois teria sido o único caso, além de Cristo, de um Espírito que levou seu corpo de carne para o Céu, antes do “Juízo Final”, e no entanto pouco se fala neste detalhe. Interessante, não é mesmo ? Bem, se Elias não morreu, ficamos em dúvida pois queremos saber o porquê desse privilégio, pois se até mesmo Jesus, o Cristo, que era muito superior a Elias, morreu pregado numa cruz !!!

Mas como alguém poderia ter subido aos céus ??? Vejam o que diz :

João. 3:13 - "Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu : o filho do homem"

Além disso, se Elias realmente subiu aos céus, como esse mesmo Profeta escreve uma carta depois de ser arrebatado ( 2 Cr 21:12 ) ??? Consoante a sequência dos fatos narrados na Bíblia, essa passagem veio depois do arrebatamento. Ou seja, de acordo com a cronologia de 2Rs, Elias tinha desaparecido ( arrebatado aos Céus ) antes do reinado de Jorão de Israel (2Rs 2; 3,1) e, portanto, antes de Jorão de Judá. ( 2Rs 8,16; confronte com 2Rs 1,17 ).

Então, Elias, depois de ter subido aos céus, enviou uma carta a Jorão, filho e sucessor de Josafá, de Judá ??? !!!

Será que lá no Céu existe anjos carteiros que entregam missivas aqui na terra ??? Veja :


2 Cr 21:12 - "Então chegou às suas mãos um escrito do profeta Elias nestes termos: "Assim falou o Senhor , o Deus de teu pai Davi: Visto que não seguiste o exemplo de teu pai Josafá, e o exemplo de Asa, rei de Judá ..."


Além disso, na Trasfiguração de Jesus ( S.Mateus 17: 1-3 ), já lembrada por Você, fica claro a aparição do Espírito de Elias :

                "...Seis dias depois, Jesus tomou consigo a Pedro, Tiago e seu irmão João, e os levou a um lugar à parte, sobre um alto monte. Transfigurou-se diante deles seu rosto brilhava como o sol e sua roupa tornou-se branca como a luz. Então lhes apareceram Moisés e Elias, conversando com ele..."

                Elias, em algum momento, teria de fato morrido, senão a sua Alma (Espírito) não poderia aparecer para Jesus, na Transfiguração. O fato de ser a aparência de Elias ou a aparência de João Batista, já foi explicado há pouco.

...

......

.........



Observação aos Leitores :   Termino agora, essa troca de correspondências entre mim e o Presbítero Marcelo Molina. As mensagens que se seguiram depois, em nada acrescentariam ao julgamento daqueles que chegaram até aqui, os quais poderão tirar suas próprias conclusões sobre os principais temas abordados.


Agradeço e desejo a todos muita Paz.

Jefferson













A Fé raciocinada e a Fé cega. O que significam ?


Padre Quevedo : Os seus Livros seriam os melhores do mundo ???


Assista o Vídeo : O Vaticano já admite a comunicação com os Espíritos !!!


A lógica do Espiritismo frente à parapsicologia arcaica do Sr. Quevedo


Enfoques Religiosos e Científicos sobre a existência de Adão e Eva


Católicos e Protestantes expõem seus argumentos contra o Espiritismo


Os originais em Hebraico e as divergências com as Bíblias atuais


Antigamente, a Igreja Católica aceitava a Reencarnação ...


Você sabia disso ???



PARA TOMAR CONHECIMENTO DESSES ASSUNTOS E MUITOS OUTROS, CLIQUE NO QUADRO ABAIXO :



Free Web Hosting