MENSAGEM POR MIM ENVIADA AO RESPONSÁVEL PELO SITE CATÓLICO FRENTE UNIVERSITÁRIA LEPANTO, O SR. FREDERICO VIOTTI :

Prezados(as) Senhores(as)


Li alguns textos da Home Page Lepanto. Em uma passagem, identifiquei um comentário sobre a condenação da doutrina da Reencarnação no Concílio de Constantinopla, ou seja :


ABRE ASPAS :


...Ela foi condenada pelo Concílio de Constantinopla no ano de 543 (Papa Virgílio).


FECHA ASPAS.


V.Sas. realmente têm conhecimento dos relatos de historiadores, idôneos e respeitáveis, sobre os verdadeiros fatos que motivaram o Concílio de Constantinopla, em 553 D.C. ?

Se me permitem, peço que observem :


ABRE ASPAS :


A Supressão da Reencarnação


O Concílio de Constantinopla - 553 D.C.


A Reencarnação escamoteada e suprimida pela Igreja, Por que será ?



Até agora, quase todos os historiadores da igreja romana acreditaram que a Doutrina da Reencarnação foi declarada herética durante o Concílio de Constantinopla em 553 D.C, atual Istambul, na Turquia. No entanto, a condenação da Doutrina se deve a uma ferrenha oposição pessoal do finado imperador Justiniano, que nunca esteve ligado aos protocolos do Concílio. Segundo Procópio, uma mulher de nome Teodora, filha de um guardador de ursos do anfiteatro de Bizâncio, era a ambiciosa esposa de Justiniano, e na realidade, era quem manejava o poder. Ela iniciou sua rápida ascensão ao poder como cortesã. Para se libertar de um passado que a envergonhava, ordenou, mais tarde, a morte de quinhentas antigas "colegas" e, para não sofrer as consequências dessa ordem cruel em uma outra vida como preconiza a lei do Carma, empenhou-se em suprimir toda a magnífica Doutrina da Reencarnação. Estava confiante no sucesso dessa anulação, decretada por Justiniano " em nome de DEUS " !

Em 543 D.C, o déspota imperador Justiniano, sem levar em conta o ponto de vista clerical, declarou guerra frontal aos ensinamentos de Orígenes - exegeta e Teólogo ( 185 - 235 D.C ), condenando tais ensinamentos através de um sínodo especial. Em suas obras : De Principiis e Contra Celsum, Orígenes tinha reconhecido, abertamente, a existência da alma antes do nascimento e sua dependência de ações passadas. Ele pensava que certas passagens do Novo Testamento poderiam ser explicadas somente à luz da Reencarnação.

Do Concílio convocado por Justiniano só participaram bispos do oriente (ortodoxos). Nenhum de Roma. E o próprio "Papa", que estava em Constantinopla nesta ocasião, deixou isso bem claro.

O Concílio de Constantinopla, o quinto dos Concílios, não passou de um encontro, mais ou menos em caráter privado, organizado por Justiniano, que, mancomunado com alguns vassalos, excomungou e maldisse a doutrina da preexistência da alma, com protestos do Papa Virgílio, e a publicação de seus anátemas.

A conclusão oficial a que o Concílio chegou após uma discussão de quatro semanas teve que ser submetida ao "Papa" para ratificação. Na verdade, os documentos que lhe foram apresentados (os assim chamados "Três Capítulos") versavam apenas sobre a disputa a respeito de três eruditos que Justiniano, há quatro anos, havia por um edito (decreto) declarados heréticos. Nada continham sobre Orígenes. Os "papas" seguintes, Pelagio I ( 556 - 561 D.C ), Pelagio II ( 579 - 590 D.C ) e Gregório ( 590 - 604 D.C ), quando se referiram ao quinto Concílio, nunca tocaram no nome de Orígenes.

E a Igreja aceitou o edito de Justiniano - "Todo aquele que ensinar esta fantástica preexistência da alma e sua monstruosa renovação, será condenado", como parte das conclusões do Concílio. Portanto, a PROIBIÇÃO da Doutrina da Reencarnação (renascimento físico) foi um ERRO HISTÓRICO, sem qualquer validade eclesiástica...


FECHA ASPAS.


Com tudo isso, posso concluir três coisas :


1) V.Sas. provavelmente têm conhecimento desse fato, porém, JAMAIS publicariam na Home Page Frente Universitária Lepanto, o texto acima descrito, pois não é do vosso interesse.

2) Acredito que V.Sas. não se darão ao trabalho de me responder, pois não acredito que tenham sólidos argumentos, BASEADOS NA HISTÓRIA, que possam contradizer o que foi acima exposto.

3) Talvez, para se protegerem, dirão que o "demônio" é a causa de todas as discórdias e o que foi acima relatado não passa de mais uma de suas obras. E que rezarão para que o "demônio" pare de incomodar a mim e a todos que não aceitam as IMPOSIÇÕES dogmáticas da Igreja.

Normalmente, para se combater a doutrina da reencarnação, usam-se algumas passagens da bíblia, convenientemente interpretadas. Mas quando se pede para explicar, o porquê da não aceitação da reencarnação pela Igreja, com argumentos revestidos e fundamentados na história, sem esconder detalhes importantes, o diálogo se torna impossível.

Solicito que não levem essa mensagem pelo lado pessoal e também não considerem que eu desejo simplesmente contradizê-los. Apenas gostaria de ver na Vossa Página da Internet, TODA a verdade a respeito do porquê que o Concílio de Constantinopla condenou a reencarnação, e não apenas meias palavras.

Atenciosamente

Jefferson



RESPOSTA DADA PELO SR. FREDERICO VIOTTI DO SITE CATÓLICO FRENTE UNIVERSITÁRIA LEPANTO :


Se ler com atenção, verá que a reencarnação foi condenada por S. Paulo, muito antes do Concílio.

Atenciosamente,

Frederico Viotti

Frente Universitária Lepanto

http://www.lepanto.org.br


RESPOSTA DADA AO SR. FREDERICO VIOTTI, DO SITE LEPANTO :


Senhor Frederico Viotti


Agradeço, inicialmente a resposta a mim enviada, embora fosse lacônica.

Procurei citar um acontecimento que foi um marco na história religiosa da humanidade, o qual OFICIALIZOU a condenação da reencarnação, ou seja, o Concílio de Constantinopla em 553 D.C.

Aliás, com relação a esse fato por mim apontado em meu último e-mail, V.Sas. NEM SEQUER TOCARAM NO ASSUNTO, ou seja, não contestaram os fatos ali descritos, os quais revelaram os VERDADEIROS motivos que levaram o Concílio de Constantinopla a abolir OFICIALMENTE a Reencarnação dos ensinamentos da Igreja. Dessa forma, deduz-se que V.Sas. concordam com tudo o que foi dito, por mim, com relação ao mencionado Concílio.

Foi como eu disse no penúltimo parágrafo do meu e-mail :

" Normalmente, para se combater a doutrina da reencarnação, usam-se algumas passagens da bíblia, convenientemente interpretadas. Mas quando se pede para explicar, o porquê da não aceitação da reencarnação pela Igreja, com argumentos REVESTIDOS DE LÓGICA E FUNDAMENTADOS NA HISTÓRIA, sem esconder detalhes importantes, o diálogo se torna impossível."

Contudo, vamos esclarecer então, a condenação da reencarnação, muito antes do Concílio, por São Paulo, ou seja, a Carta de Paulo aos Hebreus, Cap.9, V.27 :


"Está decretado que o homem morra uma só vez, e depois disto é o julgamento" (Hb 9, 27)"


                A passagem de Hebreus 9, 27 é citada inúmeras vezes, como argumento contra a Reencarnação. Se Paulo estivesse querendo dizer que temos uma só vida aqui na Terra, por que ele então, não disse assim : Ao homem está determinado VIVER uma só vez ? No Novo Testamento é narrada a ressurreição da filha de Jairo, do filho da viúva de Naim e de Lázaro. Se de fato houve essas ressurreições, vale dizer que Eles morreram DUAS vezes !!! E aí, como ficamos diante da afirmativa citada ???

                E se eles não morreram duas vezes, temos que procurá-los para colocar esses indivíduos no Guinness, o Livro dos Records, pois a essas alturas, eles teriam mais de 2.000 anos !!!


                Já tinha ouvido o comentário, de um detrator do Espiritismo, de que essas foram as exceções à Carta de Paulo aos Hebreus ...

                Exceções ??? Ora, não são só três. Essas são só as mais conhecidas. Como se não bastasse, há na Bíblia a narrativa de 8 (oito) casos de ressurreição ( retorno do espírito ao corpo que jazia morto ).

                3 (três) ocorreram no Velho Testamento : O primeiro está no I livro dos Reis, no capítulo 17, versículos 21 e 22 ; o segundo, no II livro dos Reis, no capítulo 4, versículos 32-37 ; e o terceiro, também no II livro dos Reis, no capítulo 13, versículos 20 e 21.

                Os outros 5 (cinco) casos são narrados no Novo Testamento. Três deles foram realizados por Jesus, e os outros 2 foram realizados por Pedro e por Paulo, respectivamente, narrados nos Atos dos Apóstolos, capítulo 9, versículos 36-42, e capítulo 20, versículos 7-12. Os realizados por Cristo são citados em Mateus, capítulo 9, versículos 18-25; Lucas, capítulo 7, versículos 11-17 e João, capítulo 11, versículos 1-43.

                Não restam dúvidas de que esses oito casos de ressurreição contrariam a passagem de Hebreus 9,27. Todavia, a Reencarnação não vai de encontro ao referido versículo, que é a pura expressão de uma Lei Divina irrevogável : A morte do corpo físico dá-se uma única vez e é um fenômeno irreversível.

                Pode-se, então, concluir que Deus abriu oito exceções a uma de Suas Leis ??? Ora, não é a verdade, porque a concessão de privilégios é atitude própria dos seres imperfeitos, como nós, os homens, mas não dos seres perfeitos, como Deus. É uma questão simples, de raciocínio lógico. Deus é imutável porque é perfeito, pois a onisciência é um de Seus atributos. Portanto, se Ele abre exceções, deixa de ser imutável. E se privilegia somente 8 seres humanos com uma segunda vida, no mesmo corpo de carne e no mesmo período terreno, está agindo com parcialidade, quando sabemos muito bem que Deus é um Ser imparcial, porque trata a todos igualmente. As desigualdades que existem no mundo são consequências dos atos e ignorâncias humanas.

                Ademais, Paulo, não estava de forma alguma combatendo a Reencarnação, pois não é o contexto dessa narrativa. Mas, por outro lado, não deixa de ser uma verdade, já que o corpo que possuímos em cada Reencarnação, realmente morre somente uma vez.

Ora, Esse versículo tem sido uma pedra de tropeço para todos os que desconhecem o que realmente é a reencarnação, limitando-se a ler a letra que mata e não percebendo o espírito que vivifica. Não há contradição nenhuma entre o que diz Paulo nesse versículo e a teoria da reencarnação. Mas vamos por partes :


1) Inicialmente, ninguém precisa acreditar na reencarnação como dogma, pois que ela existe, creiam os homens nela ou não. Da mesma maneira, não é pelo fato de alguns homens não crerem em DEUS que Ele deixará de existir.

2) Um Espírito necessita conhecer e praticar o Bem, progredir, evoluir e subir tanto, tanto, que chegue, como diz Paulo na Epístola aos Efésios, a ser igual a JESUS. Eis suas palavras: "Até que todos cheguem à unidade da Fé, ao pleno conhecimento do FILHO DE DEUS, ao estado de homem feito à medida da estatura da plenitude do CRISTO' (Efésios, 4: 13).

3) Ora, haverá homem sobre a face da Terra que tenha a pretensão de poder chegar até essa altitude numa só vida humana ? Percorrendo a história da Humanidade, apontem-nos quem já chegou lá, exceto o próprio JESUS ? No entanto Paulo diz: "...até que TODOS cheguemos..." TODOS ...

4) "Então se o Espírito necessita evoluir até esse ponto, evidentemente o fará por intermédio de muitas vidas no corpo, neste tabernáculo no qual habitamos temporariamente, no dizer de São Pedro (II Pedro, 1: 13 e 14).

5) Ora, é fora de qualquer dúvida que cada homem só pode morrer uma vez...e depois disso vem o juízo que determinará para onde irá o Espírito : para as zonas de luz ou para as zonas de trevas. Só morreram "duas vezes", segundo a interpretação comum, aqueles que foram ressuscitados, como Lázaro... ninguém mais. Cada homem (conjunto de Espírito e corpo) só pode morrer uma vez. Porque, separado que esteja do corpo, não mais se poderá a ele se unir, a não ser por outro nascimento.

6) Então qual a dificuldade de compreender-se, dentro da teoria da reencarnação, a frase de Paulo ? Nenhuma. Está certíssima : "É ordenado aos homens que morram uma só vez, e depois disso vem o juízo".

7) Entretanto é inegável que o homem morre, ou seja, que a personalidade deixa de existir, naquela sua união terrena. E isso logicamente só pode OCORRER UMA VEZ em cada personalidade, em cada homem."

8) Desaparece, então, a personalidade daquela vida terrena. Mas prossegue, em forma ainda invisível aos sentidos da maioria dos seres humanos, a parte eterna de todos nós: o Espírito imortal, a Individualidade. Diz o CRISTO que o Espírito sopra onde quer, isto é, manifesta-se onde for necessário à sua evolução, até integrar-se no Amor Universal, em DEUS. E isto, na Terra, se dá por meio das reencarnações.

Além de tudo isso ( e por outro lado ), se formos analisar tudo ao pé da letra, ficaremos diante de uma contradição, senão vejamos : Se LOGO EM SEGUIDA à nossa morte, virá o juízo ( pressupõem-se que cada um terá um juízo após a sua morte ), qual a necessidade do JUÍZO FINAL, tão apregoado pelas Religiões Ortodoxas, se anteriormente já fomos julgados ? Será que se formos condenados ao "inferno" no primeiro juízo poderemos de lá sair quando do juízo final ? Ficam aí estas perguntas para quem quiser responder.


Os Católicos e também os Evangélicos, quando confrontados com a lógica dos argumentos, SEMPRE se escondem através de passagens da Bíblia,convenientemente interpretadas, renunciando assim a um dos mais preciosos dons de Deus : O raciocínio e o Livre Arbítrio. Não quero assim dizer que não me importo com os ensinamentos contidos nos Santos Evangelhos. IMPORTO-ME E MUITO. Tanto que procurei citar algumas passagens da Bíblia nos itens 2 e 4 acima descritos.

Mais uma vez repito : Por favor, não levem essa minha mensagem pelo lado da disputa para ver quem tem razão. Apenas gostaria de aprender um pouco sobre a lógica daqueles que acham que a reencarnação é uma falácia, em função de alguns textos bíblicos, convenientemente interpretados. Aliás, direito de interpretação todos o tem. Apenas acho que NENHUM ser humano TEM O DIREITO DE DIZER QUE É O SENHOR ABSOLUTO DA VERDADE. A verdade, todos nós a buscamos incessantemente.

Espero que V.Sas. não se omitam diante da minha mensagem, pois, como diz o ditado popular : "Quem cala consente". Gostaria muito de receber algumas palavras, quaisquer que sejam. E se não for pedir muito, gostaria de merecer da parte de V.Sas, a consideração de um diálogo fraterno e esclarecedor. E é através de diálogos construtivos que se pode vislumbrar o equilíbrio e a razão.

Atenciosamente

Jefferson



O SENHOR FREDERICO VIOTTI RESPONDE :


Jefferson,


Você não percebe que está querendo "interpretar" os textos segundo sua visão espírita?

A Igreja condenou a Reencarnação e isso é suficiente para qualquer católico. Foi para evitar a dúvida que Nosso Senhor deixou uma Igreja (e não um livro, como a Bíblia) para guiar os homens.

O fato da Reencarnação ter sido condenada em um ou em outro Concílio não altera nada, visto que as heresias são condenadas apenas quando aparecem e quando a Igreja percebe a necessidade de condená-las.


Atenciosamente,

Frederico Viotti

Frente Universitária Lepanto



NOVA RESPOSTA POR MIM ENVIADA AO SITE LEPANTO :


Frederico Viotti


Fiquei satisfeito em receber sua resposta. Sinceramente, acredito que as melhores oportunidades para se conhecer os pontos de vista de outras religiões é através do diálogo voluntário e franco, e sempre respeitando a opinião alheia, mesmo que não concordemos um com o outro.

O Senhor disse : " Você não percebe que está querendo interpretar os textos segundo sua visão espírita ? "

Ora, e por um acaso alguém, hoje, detém o MONOPÓLIO das interpretações das Textos Evangélicos ? Afinal, QUANDO foi que os apóstolos e mártires e todos aqueles que vivenciaram de perto a passagem de Cristo sobre a Terra recomendaram as futuras gerações QUAIS AQUELAS que teriam o direito de INTERPRETAR os Textos evangélicos ? ( refiro-me apenas ao novo Testamento ).

Aliás, as DIFERENTES interpretações são em número tão grande que resultaram nesse também imenso número de Religiões que hoje existem. Até mesmo os Evangélicos não interpretam a Bíblia da mesma forma que os Católicos. Neste caso, basta apenas citar o exemplo das palavras de Jesus quando disse a Pedro : " E eu te digo: Tu és pedra e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares sobre a terra, será ligado também nos céus" (Mt. 16: 18-19). Por esse motivo, para os Católicos, Pedro seria o primeiro Papa da Igreja. Porém, para os Evangélicos, a pedra a que se referiu Jesus não era Pedro, pois Jesus disse : "... e sobre ESTA Pedra edificarei ..." . E isso apenas para citar UM exemplo.

Sei que o Senhor não gosta de fatos históricos, e por incrível que pareça, até mesmo a Bíblia torna-se secundária, diante do que diz a Igreja, SEGUNDO as suas próprias palavras. Mas de onde se originaram os ensinamentos da Igreja ? Não adianta fechar os olhos à realidade dos acontecimentos que, há muitos séculos, nortearam os princípios e dogmas que HOJE são ministrados pela Igreja. Acredito que seja do seu conhecimento o Concílio de Niceia, realizado em 325 D.C. Se me permite apenas um breve comentário :


ABRE ASPAS :


325 D.C – É realizado o Concílio de Niceia, província de Anatólia, na Turquia. Primeiro Concílio Ecumênico da Igreja, convocado pelo Imperador Constantino. Trezentos Bispos se reúnem para condenar o Arianismo – heresia que nega a Divindade de Jesus Cristo.

Foi nesse Concílio que se deu a separação entre os evangelhos canônicos e apócrifos. Uma das versões diz que estando os bispos em oração, os evangelhos inspirados foram depositar-se no altar por si só !!! ... Uma outra versão informa que todos os evangelhos foram colocados por sobre o altar, e os apócrifos caíram no chão... Uma terceira versão afirma que o Espírito Santo entrou no recinto do Concílio em forma de pomba, através de uma vidraça (sem quebrá-la), e foi pousando no ombro direito de cada bispo, cochichando nos ouvidos deles os evangelhos inspirados...

A Bíblia como um todo, aliás, não apresentou sempre a forma como é hoje conhecida. Vários textos, chamados hoje de "apócrifos", figuravam anteriormente na Bíblia, em contraposição aos canônicos reconhecidos pela Igreja.

Segundo o Dicionário Aurélio, o termo Apócrifos significa :

" Entre os Católicos, Apócrifos eram os Escritos de assuntos sagrados que não foram incluídos pela Igreja no Cânon das Escrituras autênticas e divinamente inspiradas ". ( destaque nosso ).

Obs - Note que o próprio Dicionário Aurélio registra a expressão : " divinamente inspiradas ". Por que será ?

Maria Helena de Oliveira Tricca, compiladora da obra Apócrifos, Os Proscritos da Bíblia, diz: "Muitos dos chamados textos apócrifos já fizeram parte da Bíblia, mas ao longo dos sucessivos concílios acabaram sendo eliminados. Houve os que depois viriam a ser beneficiados por uma reconsideração e tornariam a partilhar a Bíblia. Exemplos : O Livro da Sabedoria, atribuído a Salomão, o Eclesiástico ou Sirac, as Odes de Salomão, o Tobit ou Livro de Tobias, o Livro dos Macabeus e outros mais. A maioria ficou definitivamente fora, como o famoso Livro de Enoch, o Livro da Ascensão de Isaías e os Livros III e IV dos Macabeus."

Perguntamos : Quais foram os motivos para excluir esses Livros das Santas Escrituras definitivamente ? Será que os "santos padres" daquela época se achavam superiores aos Apóstolos e mártires que vivenciaram de perto os acontecimentos relacionados a Cristo e ao judaísmo ? De que poder esses mesmos "santos padres" se revestiam a ponto de afirmarem que alguns Textos Evangélicos NÃO representavam os ensinamentos e a Palavra de Deus ?

Os PRÓPRIOS CATÓLICOS não foram unânimes quanto a inspiração divina nesses livros. No Concílio de Trento houve luta corporal quando este assunto foi tratado. Lorraine Boetner ( in Catolicismo Romano ) cita o seguinte : " O papa Gregório, o grande, declarou que primeiro Macabeus, um livro apócrifo, não é canônico. O cardeal Ximenes, em sua Bíblia poliglota, exatamente antes do Concílio de Trento, exclui os apócrifos e sua obra foi aprovada pelo papa Leão X. Será que estes papas se enganaram ? Se eles estavam certos, a decisão do Concílio de Trento estava errada. Se eles estavam errados, onde fica a infalibilidade do papa como mestre da doutrina ? "


FECHA ASPAS.


A maior parte do texto acima é de autoria de :

Roberto C. P. Júnior - Escritor

março de 1997


Como o Senhor pode ver, boa parte dos ensinamentos que a Igreja ministra HOJE são frutos dos acontecimentos do PASSADO. Alguém pode contestar isso ?

O Senhor diz : " O fato da Reencarnação ter sido condenada em um ou em outro Concílio não altera nada, visto que as heresias são condenadas apenas quando aparecem e quando a IGREJA percebe a necessidade de condená-las ".

Mas então, é justamente ESSA IGREJA, que RETIROU alguns livros Sagrados da atual Bíblia, ALTERANDO assim a sua forma original ; ESSA IGREJA que promoveu a VENDA DE INDULGÊNCIAS para arrecadar dinheiro e assim sustentar a vida de fausto dos Bispos de antigamente e o luxo dos Catedrais ; ESSA MESMA IGREJA que mandava MATAR pessoas na época da SANTA INQUISIÇÃO ( que de SANTA não tinha nada ) ; e atualmente, é justamente ESSA IGREJA que recomenda humildade aos seus fiéis MAS de uma maneira ORGULHOSA e registrada nos Jornais do fim do século passado, proclama-se a única representante do Divino Mestre, impedindo até que os seus subordinados chamem as outras Igrejas de Igrejas irmãs...

Preciso dizer mais ... ?

Será que a Igreja ( Católica ) tem base moral para dizer o que é sagrado ou profano diante de tantos desatinos cometidos por ela mesma ? Recentemente até a Sua Santidade, o Papa João Paulo II, pediu desculpas pelos excessos outrora cometidos pela Igreja ...

Repito : Preciso dizer mais ... ?

Finalmente, foi dito pelo Senhor : " A Igreja condenou a Reencarnação e isso é suficiente para qualquer católico ..."

Será que ficar dizendo amém, amém a tudo o que diz a Igreja é uma forma VERDADEIRA de ter fé ou isso simplesmente demonstra uma SUBMISSÃO OBSTINADA ao sacerdócio romano, o qual condena ao "fogo do inferno" todos os que não se curvam às suas imposições ?

Às vezes, pode parecer que uso de palavras duras quando dialogo com outras vertentes do Cristianismo, mas como disse Jesus : " Eu não vim trazer a paz, mas a espada " ( S.Mateus - Cap.10, 34 a 36 )

Sim, Jesus não veio trazer, de imediato, a paz, mas a espada da PALAVRA, para com ela cortar as velhas árvores ideológicas que não estavam dando mais frutos e, em seguida, plantar novas sementes, no sentido de que, com o tempo, as árvores delas nascidas dessem frutos com abundância, restabelecendo a verdadeira paz em todos os corações. E isso requer serenidade, fé e persistência ...

Pode acreditar, estou aprendendo com esse nosso diálogo. Embora o Senhor não disponha de tempo, ficaria feliz em receber uma mensagem sua.

E que Deus o ilumine sempre.

Sinceramente

Jefferson



O SR. FREDERICO VIOTTI RESPONDE :


As respostas de que precisa, como já dito anteriormente, estão em nossa seção "Em Defesa da Fé", inclusive as que demonstram as incoseqüentes teses protestantes.

Atenciosamente,

Frederico Viotti

Frente Universitária Lepanto



MINHA RESPOSTA AO SR. FREDERICO :


Frederico Viotti


Desde o início, quando lhe escrevi pela primeira vez, pensava em um diálogo proveitoso e esclarecedor. Mas percebi que o Senhor não gosta de dialogar com quem lhe apresenta fatos baseados na história e que demonstram cabalmente as contradições e as chagas morais da sua Religião. Sinceramente, eu esperava receber de sua parte, uma defesa veemente do Catolicismo, mas o Senhor se calou ! Por que será ?

Seria falta de tempo ou faltam-lhe argumentos ?

O Senhor preferiu apenas falar sobre o que consta da Página do Site Lepanto sobre um determinado assunto, ou seja : "Em Defesa da Fé", que demonstra as inconsequentes teses protestantes. O Senhor fez VISTA GROSSA aos vários outros assuntos que lhe apontei, como a atuação da Igreja Católica desde o início de sua formação, que se deu no Concílio de Niceia em 325 D.C. Aí começaram os desmandos e arbitrariedades que TODOS conhecem, até muitos Católicos praticantes, mas ESTES preferem ignorar tudo o que aconteceu no passado, receando tocar no assunto.

Apenas para relembrar, o Senhor comentou em seu e-mail : " A Igreja condenou a Reencarnação e ISSO É SUFICIENTE PARA QUALQUER CATÓLICO " (destaque nosso). Pois bem. Boa parte dos Católicos que costumam dizer "amém" a tudo o que os sacerdotes dizem, acreditam na Reencarnação. Veja o que diz uma pesquisa feita em 1996 :


ABRE ASPAS :


Recente pesquisa anunciada pelos meios de comunicação de massas, em dezembro de 1996, dá o percentual de 35% da população brasileira como aceitando a doutrina da reencarnação, ou das vidas sucessivas, enquanto que 52% lhe são contrários. Os restantes 13% são os indecisos e os que não quiseram opinar. Considerando que a grande maioria da nossa população é constituída de católicos romanos, adeptos das igrejas reformadas (protestantes) e materialistas confessos, os quais são radicalmente contrários à doutrina das vidas sucessivas, a conclusão lógica, diante dos números da pesquisa, é que católicos e protestantes estão aderindo à ideia reencarnacionista. Os materialistas ficam à margem dessa consideração, por não admitirem a existência da alma, ou espírito. Essa dedução lógica mostra-nos, antes de mais nada, a força da realidade viva triunfando sobre dogmas e INTERPRETAÇÕES HUMANAS DIVORCIADAS DA VERDADE. Induz, outrossim, à constatação de que muitos religiosos seguidores das igrejas tradicionais, EMBORA NÃO SE DESLIGANDO DE SUA FÉ, não aceitam mais as imposições absurdas de doutrinas dogmáticas, contra a lógica dos fatos. Por que a doutrina da reencarnação vai-se tomando cada vez mais difundida e aceita no mundo ocidental, onde impera o dogmatismo das igrejas oriundas do Cristianismo ? Em primeiro lugar, ela se firma por estar na natureza das coisas. É lei divina, que pode ser rejeitada E ATÉ ANEMATIZADA PELO FANATISMO DOS HOMENS, mas não deixa de atuar como lei pela simples oposição dos que não a aceitam.


FECHA ASPAS.


Por outro lado, observa-se com frequência, em Templos e Igrejas, o argumento de que não devemos discutir os ensinamentos dos padres e/ou Pastores, pois são a palavra de Deus, que é o símbolo da perfeição máxima. Sem dúvida, a palavra de Deus não deve ser questionada. MAS OS HOMENS QUE A TRANSMITEM SÃO TÃO PERFEITOS QUANTO DEUS ? Seriam esses mesmos homens isentos de falhas ?

Voltando a mesma frase que o Senhor disse: " A Igreja condenou a Reencarnação e ISSO É SUFICIENTE PARA QUALQUER CATÓLICO ". (destaque nosso). Isso para mim chama-se FÉ CEGA, ou seja, aquela fé em dogmas que não admitem contestação e que exigem a renúncia de uma das mais valiosas prerrogativas do homem : O raciocínio e o livre-arbítrio. A fé cega não é mais desse século, ela deixa no Espírito um vácuo, de onde nasce a dúvida ...

Bom, como disse antes, li vários assuntos do Site Lepanto. Gostaria, então, de convidar V.Sas. a visitar o meu Site, o qual versa sobre temas Religiosos. O endereço é :


http://jefferson.freetzi.com


Ficarei honrado com uma visita de V.Sas. à minha Home Page. Caso tenham tempo de ler os textos, gostaria, se fosse possível, de um parecer a respeito dos mesmos. Talvez eu tenha errado em algum ponto e, certamente, há espaço para comentários e críticas.

Somos nós quem fazemos o tempo. Quando queremos, arrumamos tempo para tudo.

Gosto do trocar ideias de um modo franco e sincero. É uma pena que o senhor não goste de diálogos.

Atenciosamente

Jefferson



O SR. FREDERICO VIOTTI RESPONDE :


Benetton,


Parece que você não leu bem minha resposta. O fato de existirem católicos que não seguem a autoridade infalível instituída por Nosso Senhor não altera a doutrina católica.

Como lhe disse - e você não está interessado em ouvir - suas acusações já estão respondidas em nossa página.

Não tenho tempo e, sobretudo, interesse, em trocar e-mails com quem não deseja mudar de opinião.

Atenciosamente,

Frederico Viotti

Frente Universitária Lepanto



MINHA RESPOSTA AO SR. VIOTTI :



Frederico


Acho que quem não entendeu bem as minhas mensagens foi o Senhor. Em primeiro lugar, não afirmei que a "doutrina Católica" iria mudar só porque existem alguns católicos que não a seguem. Em segundo lugar, não estava interessado em mudar de opinião só porque estou lhe enviando mensagens e nem tinha intenção de que outras pessoas mudassem sua forma de pensar.

Em meu Site, exponho justamente isso, ou seja, as divergências de opiniões para que os leitores possam POR SI SÓ, tomar uma posição. As cartas que troquei com os assessores do Padre Quevedo são bem uma amostra disso. Cheguei até a aprender um pouco com eles, face aos desafios que me propuseram e que foram TODOS DEVIDAMENTE RESPONDIDOS.

Outra coisa : procurei por todo Site da Lepanto e nada vi a respeito dos VERDADEIROS MOTIVOS que levaram à realização do Concílio de Constantinopla ; NADA a respeito do Concílio de Niceia ; NADA a respeito dos motivos que levaram a Igreja a eliminar os Textos considerados por ela mesma como apócrifos ; NADA a respeito das indulgências cobradas a peso de ouro para o perdão dos pecados ; NADA a respeito da "Santa Inquisição" que mandava matar pessoas EM NOME DE DEUS ; e nos dias de hoje - Notícia veiculada nas rádios AM : NADA, a respeito do Relatório enviado ao Vaticano sobre estupros praticados por 29 sacerdotes contra freiras, TUDO CONFIRMADO PELO PRÓPRIO VATICANO, dentre as quais uma morreu, e o próprio sacerdote que cometeu o crime celebrou a missa de sétimo dia ...

Como posso ter simpatia por uma religião que simplesmente NÃO GOSTA DE ENFRENTAR A VERDADE ? Como posso "mudar de opinião" quando peço informações sobre os princípios de uma Religião e recebo INFORMAÇÕES CÔMODAS de que tudo está em um determinado Site, QUANDO NA VERDADE NÃO ESTÁ !

Volto a repetir : Nem de longe tinha a intenção de mudar de opinião quando comecei a lhe escrever. Não estou aqui para dizer amém, amém a tudo o que diz a Igreja Católica, a qual NÃO POSSUI CREDENCIAIS ILIBADAS para se dizer única representante da autoridade infalível instituída por Nosso Senhor, segundo suas próprias palavras.

Se o Senhor não tem tempo para enfrentar a verdade, vou me dirigir a outros que gostem de dialogar À LUZ DA RAZÃO E DO BOM SENSO.

Atenciosamente,

Jefferson















A Fé raciocinada e a Fé cega. O que significam ?


Padre Quevedo : Os seus Livros seriam os melhores do mundo ???


Assista o Vídeo : O Vaticano já admite a comunicação com os Espíritos !!!


A lógica do Espiritismo frente à parapsicologia arcaica do Sr. Quevedo


Enfoques Religiosos e Científicos sobre a existência de Adão e Eva


Católicos e Protestantes expõem seus argumentos contra o Espiritismo


Os originais em Hebraico e as divergências com as Bíblias atuais


Antigamente, a Igreja Católica aceitava a Reencarnação ...


Você sabia disso ???



PARA TOMAR CONHECIMENTO DESSES ASSUNTOS E MUITOS OUTROS, CLIQUE NO QUADRO ABAIXO :




Free Web Hosting