CATÓLICO DEMONSTRA TODA SUA INSATISFAÇÃO COM ESTE SITE :

Prezado sr. Benneton,


Salve Maria

Li alguns dos seus artigos e, como estou refletindo justamente sobre essas questões com um espírita, eu, que sou católico, me disponho a debater convosco estes mesmos temas.

Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Percebi nos debates transcritos em seu site que o senhor costuma, com todo respeito, misturar temas correlatos porém abordando cada um sob diferentes âmbitos, teológico, filosófico, científico, popular, sem fazer as necessárias distinções, fazendo o que comumente se diz "jogar tudo no mesmo saco", isto é típico da gnose. O senhor também, no meio de suas assertivas, lança velhas acusações contra a Igreja, tudo é claro de maneira superficial. Para que o debate seja mais objetivo peço para que não faça comentários que nada tenham haver com temas em pauta.

Considerações

Quero deixar claro que não considero a parapsicologia como ciência por seus erros metodológicos não mostrando os mecanismos do psiquismo, no entanto, ela acerta e nos faz um grande favor ao classificar os fenômenos. Percebemos que alguns fenômenos tem relação direta com vivos, veja desafios da parapsicologia mundial como o das senhas e dos 50 metros, porém no meio das pesquisas, parapsicólogos se deparam com fenômenos notadamente superiores por vezes continuos como corpos incorruptos imagens como de Nossa Senhora de Guadalupe, esses acontecem exclusivamente no contexto cristão católico, contrariando não só leis físicas como lógicas e quanto mais são estudados mais se verifica sua grandeza , não sendo puramente prodigiosos mas também verdadeiras lições catequéticas.

Contra esses argumentos o senhor prefere simplesmente dizer que poderão ser explicados no futuro. Pergunto: o senhor pensa que são fenômenos sobrenaturais ou naturais? Se o senhor responder, sobrenatural, haverá uma contradição. Quer que lhe mostre? Deixemos de lado um pouquinho o ponto de vista católico que diz que Deus é Quem faz milagre para mostrar qual doutrina é verdadeira, supondo que sejam os espíritos de luz que fizeram fenômenos, porque fariam no contexto cristão católico? Mas esta religião rejeita esta concepção? Rejeita espíritos de luz sempre rejeitou, eles estariam se contradizendo , apontando um caminho que os rejeita.

Caso sua resposta seja natural então bem mais naturalzinhos e normalzinhos poderiam se considerar os prodigios espiritas, que se manifestam em qualquer lugar, sendo notadamente inferiores.

Mas...............ué..............não nasceu o espiritismo justamente por conta desses prodigios pelos médiuns na revelação, ou suposta revelação dos espiritos de luz? Enquanto o catolicismo crê na revelação de Deus por Moisés e perfeitamente por Jesus Cristo colocando milagres como formas de corroboração da fé, os gnósticos, também espíritas, tem em seus fenômenos não uma forma de corroborar qualquer revelação mas como própria fonte desta.

O espiritismo pretendeu ser ciência, filosofia e religião, que pretensão! Pretensioso parece também o senhor que coloca sua "religião", como "fé raciocinada" rotulando outras religiões como seguidoras de uma "fé cega" que faz rir quem estuda Filosofia e Teologia, já que, a igreja dos Santos Doutores deu a esses ramos do conhecimento humano um grande enaltecimento, talvez seja na sua lógica, que tal lançar um livro "lógica segundo Benneton."

Já o espiritismo dá respostas mal digeridas, para não dizer esfarrapadas, quanto a revelações particulares contraditórias jogando a culpa nos espíritos inferiores ou até mesmo na velhice de bons espíritos. Quer uma mostra de como são tortas as respostas espíritas? No seu site o senhor escreveu: "é natural boa parte desses espíritos, que sempre tiveram essa linha de raciocínio ao viverem na terra, ao desencarnarem, desacreditam na reencarnação, e passem, a dar mensagens neste sentido. Mesmo os espíritos que já tem consciência da reencarnação, evitam colocar cabalmente esta questão para não chocar os ingleses".

No entanto estes supostos espíritos não querem evitar colocar esta questão, para não chocar os ingleses, como o senhor faz entender em sua explicação difícil de engolir, mas negam a reencarnação, e esta é só uma das contradições nos ensinamentos dos espíritos. Qual dos ensinamentos seguir? Não é lógico seguir doutrina cujas revelações, justamente por serem múltiplas, não respeitam o princípio lógico da não contradição.

Quanto as suas investidas como intérprete da Sagrada Escritura não preciso comentar, o princípio do livre exame lançado por Lutero é anti bíblico, "nenhuma escritura é de interpretação particular", não comento também porque vocês não consideram-na Palavra de Deus. Mas quer uma sugestão leia-na sem preconceitos, lendo sem preconceitos verá que não é necessário fazer malabarismos hermenêuticos, que caem no ridículo, para interpretar frases simples como a de São Paulo “que o homem morra uma só vez e depois disto se siga o juízo”. Não é uma vez a cada nascimento que está escrito, é simplesmente uma vez.

Uma questão interessante também é seu parecer sobre as traduções bíblicas. Baseando-se em livrinhos controversos o senhor quer invalidar traduções consagradas pela crítica exegética mundial. O catolicismo não vem alterando traduções bíblicas como o senhor quer mostrar. O senhor utilizando-se desse falso argumento quer basear doutrinas como a reencarnação, porém, mesmo sem as mudanças que o senhor diz terem sido feitas não há embasamento bíblico para tal doutrina. Pensa o senhor que uma concepção profunda como esta, profunda mas não certa, seria revelada, mostrada por uma ou duas palavrinhas, segundo o senhor "mal traduzidas"? Comentando citações bíblicas pretende o senhor mostrar que "bem traduzidas" não condenam a chamada evocação dos mortos, colocando seus argumentos no fato de que não existia a palavra médium no tempo bíblico. Justamente por que não existia esta palavra no vocabulário do povo Hebreu que ela não está na "lista" condenada.

Condenação que se extende tanto a falsários quanto a necromantes, portanto condena-se não só a prática em si da necromancia, que basicamente é chamar os mortos, como também se condena intencionar fazê-lo. Condena-se o princípio, que é o mesmo. Toda tradição cristã, primitiva patrística, excetuando-se Orígenes, condenam necromancia e negam reencarnação. Não cite Orígenes como se fosse regra.

Na tentativa de refutação as teses do site Montfort, o senhor escreveu sobre o argumento das proporções infinitas que tem o pecado, dizendo que Deus por sua infinita bondade não ligaria, como se pudesse ficar indiferente em relação aos feitos, que realizaram sua principal criação. Fala o senhor que reencarnações não servem somente para pagar pecados, porém depois da primeira encarnação, o motivo principal de se reencarnar é justamente evoluir, pagando pecados, e o motivo que faz com que cessem as rencarnações é justamente Ter pago todos pecados, portanto, há uma ligação fundamental, entre as duas concepções, tornado válida boa parte das argumentações do professor Orlando.

Sobre o montante que o senhor diz o Vaticano Ter, penso que é um número bem menor, todavia, é claro que como formada por homens, Igreja que Cristo chamou de "Minha", pode Ter por parte de seus filhos cobiça por bens materiais, mas devemos discutir doutrina, não coloque tudo "no mesmo saco".

Quanto aos concílios pelo senhor citados, pode se falar bastante sobre, não foi bem como o senhor disse, mas para católicos quando se define uma verdade “Ex catedra” esta é definitiva.

Cristo redentor da humanidade mediador entre Deus e os homens na nova e eterna aliança, por quem o Pai se revelou, gerado não criado, nos conduza para que usando do nosso livre-arbítrio vivamos o Seu Projeto na Terra e plenamente no Céu, que não usemos de nossa liberdade para recusa consciente deste Projeto.

Despeço-me, Pereira Barreto, SP 24/01/02.

Diogo Ferreira



RESPOSTA DADA AO SR. DIOGO, EM 25.01.02 :


Prezado Diogo Ferreira

Em primeiro lugar quero lhe agradecer pela sua visita ao Site - Renovação ( http://jefferson.freetzi.com ).

Minha intenção é apenas de citar alguns fatos ligados ao início do Cristianismo e às imposições dogmáticas da Igreja Romana, sem esquecer, é claro, da defesa dos princípios de Kardec frente aos seus detratores, em especial, o Padre Quevedo.

Diogo, no meu modo de proceder, procuro expor minhas opiniões baseadas em FATOS, e não simplesmente na minha vontade. Posso até discordar dos outros princípios religiosos, mas sempre respeitei e respeitarei as crenças alheias, mesmo discordando.

Fé cega têm aqueles que tudo aceitam, sem questionar se há lógica ou não. Você já reparou como os Padres e Pastores não aceitam dialogar sobre a autenticidade dos Textos Bíblicos ? Se dissermos a Eles sobre a possibilidade de alguém, no passado, ter alterado a Santas Escrituras, Eles simplesmente dirão que não podemos duvidar do Evangelho, que é a Palavra máxima de Deus. Sem dúvida, muito do que está na Bíblia, provém de Deus. Mas será que a integridade da Bíblia foi mantida, durante esses 20 séculos que nos separam de Cristo ? Sabemos perfeitamente que a Religião dominava a civilização medieval, junto com Reis e Imperadores. Mas por acaso, aqueles homens que ditavam as regras, eram desprovidos de ambição, eram honestos e puros de coração ? Ora, claro que não.

Seria interessante lembrar que os textos atuais dos evangelhos são originários de inúmeras traduções e interpretações pessoais de líderes religiosos que viveram em suas respectivas épocas durante 2000 anos após a morte de Jesus Cristo ( Só na língua portuguesa, temos 16 traduções e interpretações diferentes de diversas religiões ). Sabemos também, que a política e a Religião influenciam ideologicamente as pessoas de boa-fé. Tais líderes aproveitaram-se disso para ditar um comportamento peculiar e conveniente aos seus interesses políticos e religiosos, desde a primeira tradução da Bíblia até os dias de hoje.

Como se vê, uma pessoa, hoje, teria que ser muito ingênua para acreditar que a Bíblia atual é uma REPRODUÇÃO FIEL das palavras ditas por Jesus. Os textos evangélicos foram sendo modificados paulatinamente durante 20 séculos, de acordo com a vontade dos Líderes Religiosos, para que as pessoas acreditassem apenas nos princípios que fossem mais convenientes àqueles que ditavam o comportamento "cristão" de cada época.

Se nos meus Textos abordo questões teológicas, filosóficas, científicas e populares, é porque gosto de analisar um problema sob vários ângulos. Discutir as questões da vida só sob um ponto de vista é típico de pessoas que têm fé cega, ou seja, que se prendem unicamente aos dizeres dos "infalíveis" sacerdotes.

Tudo o que foi dito sobre a Igreja Romana é superficial ??? Quer dizer então que a cobrança de Indulgências, a Santa Inquisição ( Que de Santa não tinha nada ) é considerada por Você como superficial ? Talvez as 20 milhões de pessoas que morreram na Fogueira da intolerância Católico-Protestante sejam, para Você, realmente um número "insignificante", não é mesmo ?

Quanto aos fenômenos chamados de "milagres" pelos católicos, consideramos os mesmos como naturais, pois tudo obedece as Leis do Criador. Se os chamados milagres fossem algo sobrenatural, DEUS TERIA QUE INFRINGIR AS LEIS QUE ELE PRÓPRIO CRIOU, para realizar tais Milagres, o que seria o cúmulo do absurdo !

Você diz : "fenômenos notadamente superiores por vezes continuos ... esses acontecem exclusivamente no contexto cristão católico, contrariando não só leis físicas como lógicas".

Talvez Você tenha se esquecido de dizer : leis físicas e lógicas DA CIÊNCIA DE HOJE ! Se pudéssemos explicar tudo agora, por que então a Ciência continuaria progredindo ? Reafirmo o que disse : É claro que descobriremos muito no futuro sim ! E é dessa forma que a humanidade progride. Veja o que tínhamos a 100 anos atrás e o que temos hoje. Cito novamente o exemplo dado no meu Site : Imagine o senhor, se pudéssemos voltar no tempo e perguntar a um cidadão comum da Idade Média se ele acreditaria que o Homem seria capaz de pisar na lua algum dia, ou se o Homem pudesse enviar equipamentos ao planeta Marte e controlar seus movimentos daqui da Terra. Certamente este mesmo cidadão da Idade Média responderia que isso só seria possível através de um "milagre" ...

É só pensar um pouco : Se a Ciência vem progredindo incessantemente nas últimas décadas, o que se pode esperar para daqui a 200 anos ? Certamente, o que hoje se considera um "milagre", amanhã não passará de um fenômeno plenamente explicável pelas leis naturais. É tudo uma questão de lógica. A evolução de tudo e de todos continuará sempre, mesmo que alguns não levem esse raciocínio em conta.

Quer dizer então que os chamados "milagres" ( se você assim prefere chamar ) só acontecem no ambiente Cristão Católico ? Para a sua informação, há casos de curas "milagrosas" no protestantismo histórico, no protestantismo pentecostal, e no meio não cristão. A revista Newsweek de 1º de maio de 2000 relata a ocorrência de milagres e curas no pentecostalismo, no judaísmo, no islamismo, no hinduísmo e no budismo. O número de abril-maio do jornal Gotas de Luz, da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, publica o testemunho do médico angolano que se tornou messiânico por ter sido curado de uma grave enfermidade em novembro de 1999. Procure ler !!!

Você diz : "...naturalzinhos e normalzinhos poderiam se considerar os prodigios espiritas, que se manifestam em qualquer lugar, sendo notadamente inferiores". Cuidado com as palavras, Diogo, pois não toleramos ofensas. Se a atuação dos Espíritos de Luz se faz no dia-a-dia, é porque Eles não buscam notoriedade ou as luzes das Câmeras, como fazem os divulgadores do catolicismo. Cristo não recomendou a humildade ? Mas parece que isso só se aplica aos outros, pois os Católicos gostam mesmo é de Basílicas Luxuosas ; Catedrais ; Bispos com seus rituais, trajando finos paramentos ; gostam de dizer ORGULHOSAMENTE que são os ÚNICOS representantes de Cristo na Terra, etc, etc.

O fato, segundo a Doutrina de Kardec, dos Espíritos de Luz se manifestarem, não se constitui em milagres. É uma comunicação natural entre o mundo Espiritual e material. E isso está sendo comprovado pela Ciência. É também um FATO COMPROVADO pelas experiências da Transcomunicação Instrumental, ou seja, é um processo que utiliza sofisticados aparelhos eletrônicos de última geração e que vem sendo utilizado tanto na EUROPA quanto nos ESTADOS UNIDOS.

Em outras palavras, a própria Ciência Contemporânea já admite essa possibilidade. Você sabia disso ? Caso queira obter mais dados a respeito, sugiro a Você uma visita ao Site da ANT - Associação Nacional dos Transcomunicadores, a qual é DESVINCULADA DE QUAISQUER RELIGIÕES, reunindo cientistas do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas, de São Paulo, participações em Congressos de Psicotrônica, Laudos Científicos emitidos por especialistas da USP, convênios com a IONS - Institute of Noetic Sciences, da California - USA, etc :

ANT - Associação Nacional dos Transcomunicadores

Suas palavras : "...O espiritismo pretendeu ser ciência, filosofia e religião, que pretensão ! "

Pretensão, sr. Diogo, é aventurar-se em comentar sobre um assunto sem sequer ter conhecimento dos seus princípios mais elementares. Você deve entender mesmo é de Catolicismo, não é mesmo ? Mas quanto ao Espiritismo... Por favor, se quiser falar da Doutrina de Kardec, leia primeiramente os Livros Básicos sobre o Espiritismo, para depois falar. Mas se não quiser ler, por achá-los sem importância, não fique emitindo opiniões baseadas em achismo ou em ensinamentos arraigados em preconceitos. Espiritismo é Ciência, e como ciência prática, tem a sua essência nas relações que se podem estabelecer com os espíritos; como filosofia e religião compreende todas as consequências morais decorrentes dessas relações.

Mais palavras suas : "...que faz rir quem estuda Filosofia e Teologia, já que, a igreja dos Santos Doutores deu a esses ramos do conhecimento humano um grande enaltecimento, talvez seja na sua lógica, que tal lançar um livro "lógica segundo Benneton."

Talvez você devesse prestar mais atenção na Introdução do meu Site, quando afirmo que fé cega têm aqueles que tudo aceitam, sem questionar, o que dizem Padres e Pastores. NÃO ME REFERI a filósofos ou teólogos, e sim à grande massa que é manipulada pela vontade daqueles que se julgam senhores absolutos da verdade, e que se colocam no alto do pedestal das Igrejas e Templos, simulando autoridade, distribuindo temor pelas ameaças demoníacas e se dizendo, os únicos representantes de Deus na Terra. Ora, Diogo, eu que o diga : QUANTA PRETENSÃO !!!

É provável que um Livro intitulado "Lógica segundo Diogo" faça muito sucesso entre aqueles que acham que Deus discrimina seus filhos, fazendo alguns nascerem perfeitos e outros defeituosos ; que os manda definitivamente ao suplício do Inferno ; que revela um tal de limbo para as criancinhas não batizadas, etc, etc, etc.

Quem acha que o Espiritismo dá respostas mal digeridas, para não dizer esfarrapadas, é porque ignora radicalmente os princípios Kardecistas. Repito: Não fale sobre aquilo que você desconhece. Então diga : Por que Deus faria milhares ( ou milhões ) de espíritos nascerem em corpos deformados ? Por puro capricho ? E não me venha dizer sobre a hereditariedade biológica, ou má formação congênita, pois estamos tratando do lado espiritual, e não material. Talvez você repita o jargão usado por muitos católicos para tentarem justificar suas crenças, ou seja, "isso acontece para que Deus manifeste sua Glória ". Essa explicação parece cômoda, não ? Ora, Diogo, faça-me o favor ! Isso sim parece uma resposta mal digerida e esfarrapada.

Você diz : "...No entanto estes supostos espíritos não querem evitar colocar esta questão, para não chocar os ingleses, como o senhor faz entender em sua explicação difícil de engolir, mas negam a reencarnação, e esta é só uma das contradições nos ensinamentos dos espíritos".

Talvez isso possa parecer contradição para aqueles que ainda desconhecem a altivez e soberba dos Ingleses. Por outro lado, e se você ainda não sabe, Kardec nos ensina que ao desencarnarmos, não mudamos de comportamento instantaneamente. Mantêm-se o orgulho e não se aceita a ideia de que todos são iguais perante Deus ( isso, para os orgulhosos e aqueles que se julgam os donos da verdade ). Alterar esse pensamento pode levar algum tempo, meses e até anos. Não há contradição alguma nesta questão, pois mesmo neste assunto, poderemos observar a evolução dos Espíritos, que depois de algum tempo aceitam a reencarnação e passam a divulgá-la. Evolução é um princípio básico do Espiritismo.

Sua palavras : "...Não é lógico seguir doutrina cujas revelações, justamente por serem múltiplas, não respeitam o princípio lógico da não contradição."

Se for assim, como se explica uma "religião" que promoveu matanças "Em nome de DEUS", só porque as outras pessoas não baixavam a cabeça às suas imposições ? Os católicos medievais mandavam matar no suplício da fogueira e hoje, os católicos admitem que estavam errados. Quer mais exemplos ? Os católicos de ontem cobravam indulgências para o perdão dos pecados ! Quer dizer, Deus só perdoava quem pudesse pagar. Quem fosse pobre iria para o inferno !!! QUER CONTRADIÇÃO MAIOR DO QUE ESSA ???

Você diz que os espíritas não consideram a Bíblia como a Palavra de Deus. Acho bastante radical essa afirmação. Os Kardecistas, de um modo geral, jamais afirmam que a Bíblia "está errada". Dizer isso, é afirmar que todo o seu conteúdo está errado. O que é um absurdo ! Por favor entenda : O que, às vezes dizemos, é que algumas passagens da bíblia foram alteradas. E certamente isso ocorreu para que alguns clérigos fugissem às refutações. A Bíblia é a palavra de Deus, mas foi, aos poucos, sendo alterada, de acordo com a conveniência dos homens.

Você, como muitos, sempre lembra dos dizeres de Paulo, ou seja, "que o homem morra uma só vez e depois disto se siga o juízo". Acho que já expliquei essa passagem umas 5 ou 6 vezes no meu site. Mas vamos de novo :

                A passagem de Hebreus 9, 27 é citada inúmeras vezes, como argumento contra a reencarnação. Se o autor tivesse querendo dizer que temos uma só vida, por que ele não disse assim : Ao homem está determinado VIVER uma só vez? Se usam desta passagem contra a reencarnação, nós poderemos usá-la contra a ressurreição. No Novo Testamento é narrada a ressurreição da filha de Jairo, do filho da viúva de Naim e de Lázaro, se de fato houve essas ressurreições vale dizer que eles morreram DUAS vezes !!! E aí, como ficamos diante da afirmativa citada ???

                E se eles não morreram duas vezes, temos que procurá-los para colocar esses indivíduos no Guinness, o Livro dos Records, pois a essas alturas, eles teriam mais de 2.000 anos !!!


                Já tinha ouvido o comentário, de um detrator do Espiritismo, de que essas foram as exceções à Carta de Paulo aos Hebreus ...

                Exceções ??? Ora, não são só três. Essas são só as mais conhecidas. Como se não bastasse, há na Bíblia a narrativa de 8 (oito) casos de ressurreição ( retorno do espírito ao corpo que jazia morto ).

                3 (três) ocorreram no Velho Testamento : O primeiro está no I livro dos Reis, no capítulo 17, versículos 21 e 22 ; o segundo, no II livro dos Reis, no capítulo 4, versículos 32-37 ; e o terceiro, também no II livro dos Reis, no capítulo 13, versículos 20 e 21.

                Os outros 5 (cinco) casos são narrados no Novo Testamento. Três deles foram realizados por Jesus, e os outros 2 foram realizados por Pedro e por Paulo, respectivamente, narrados nos Atos dos Apóstolos, capítulo 9, versículos 36-42, e capítulo 20, versículos 7-12. Os realizados por Cristo são citados em Mateus, capítulo 9, versículos 18-25; Lucas, capítulo 7, versículos 11-17 e João, capítulo 11, versículos 1-43.

                Não restam dúvidas de que esses oito casos de ressurreição contrariam a passagem de Hebreus 9,27. Todavia, a Reencarnação não vai de encontro ao referido versículo, que é a pura expressão de uma Lei Divina irrevogável : A morte do corpo físico dá-se uma única vez e é um fenômeno irreversível.

                Pode-se, então, concluir que Deus abriu oito exceções a uma de Suas Leis ??? Ora, não é a verdade, porque a concessão de privilégios é atitude própria dos seres imperfeitos, como nós, os homens, mas não dos seres perfeitos, como Deus. É uma questão simples, de raciocínio lógico. Deus é imutável porque é perfeito, pois a onisciência é um de Seus atributos. Portanto, se Ele abre exceções, deixa de ser imutável. E se privilegia somente 8 seres humanos com uma segunda vida, no mesmo corpo de carne e no mesmo período terreno, está agindo com parcialidade, quando sabemos muito bem que Deus é um Ser imparcial, porque trata a todos igualmente. As desigualdades que existem no mundo são consequências dos atos e ignorâncias humanas.

                Ademais, o autor da passagem, não estava de forma alguma combatendo a reencarnação, não é o contexto da narrativa. Mas, por outro lado, não deixa de ser uma verdade, já que o corpo que possuímos em cada reencarnação realmente morre somente uma vez.

Esse versículo ( "O homem só morre uma vez" - Heb. IX, 27) tem sido uma pedra de tropeço para todos os que desconhecem o que realmente é a Reencarnação, LIMITANDO-SE A LER A LETRA QUE MATA E NÃO PERCEBENDO O ESPÍRITO QUE VIVIFICA. Não há contradição nenhuma entre o que diz Paulo nesse versículo e a teoria da Reencarnação. Mas vamos por partes :

A) Inicialmente, ninguém precisa acreditar na Reencarnação como dogma, pois que ela existe, creiam os homens nela ou não. Da mesma maneira, não é pelo fato de alguns homens não crerem em DEUS que Ele deixará de existir.

B) Um Espírito necessita conhecer e praticar o Bem, progredir, evoluir e subir tanto, tanto, que chegue, como diz Paulo na Epístola aos Efésios, a ser igual a JESUS. Eis suas palavras: "Até que todos cheguem à unidade da Fé, ao pleno conhecimento do FILHO DE DEUS, ao estado de homem feito à medida da estatura da plenitude do CRISTO' (Efésios, 4: 13).

C) Ora, haverá homem sobre a face da Terra que tenha a pretensão de poder chegar até essa altitude numa só vida humana ? Percorrendo a história da Humanidade, APONTEM-NOS QUEM JÁ CHEGOU LÁ, EXCETO O PRÓPRIO JESUS ? No entanto Paulo diz: "...até que TODOS cheguemos..." TODOS ...

D) Então se o Espírito necessita evoluir até esse ponto, evidentemente o fará por intermédio de muitas vidas no corpo, neste tabernáculo no qual habitamos temporariamente, no dizer de São Pedro (II Pedro, 1: 13 e 14).

E) Ora, É FORA DE QUALQUER DÚVIDA QUE CADA HOMEM SÓ PODE MORRER UMA VEZ...e depois disso vem o juízo que determinará para onde irá o Espírito : para as zonas de luz ou para as zonas de trevas. Só morreram "duas vezes", segundo a interpretação comum, aqueles que foram ressuscitados, como Lázaro, a filha de Jairo, o filho da viúva... ninguém mais. Cada homem (conjunto de Espírito e corpo) só pode morrer uma vez. Porque, separado que esteja do corpo, não mais se poderá a ele se unir, a não ser por outro nascimento.

F) Então qual a dificuldade de compreender-se, dentro da teoria da Reencarnação, a frase de Paulo ? Nenhuma. Está certíssima : "É ordenado aos homens que morram uma só vez, e depois disso vem o juízo".

G) Entretanto é inegável que o homem morre, ou seja, que a personalidade deixa de existir, naquela sua união terrena. E isso logicamente só pode OCORRER UMA VEZ em cada personalidade, em cada homem."

H) Desaparece, então, a personalidade daquela vida terrena. Mas prossegue, em forma ainda invisível aos sentidos da maioria dos seres humanos, a parte eterna de todos nós: o Espírito imortal, a Individualidade. Diz o CRISTO que o Espírito sopra onde quer, isto é, manifesta-se onde for necessário à sua evolução, até integrar-se no Amor Universal, em DEUS. E isto, na Terra, se dá por meio das reencarnações.

Além de tudo isso ( e por outro lado ), se formos analisar tudo ao pé da letra, ficaremos diante de uma contradição, senão vejamos : Se LOGO EM SEGUIDA à nossa morte, virá o juízo ( pressupõem-se que cada um terá um juízo após a sua morte ), qual a necessidade do JUÍZO FINAL, tão apregoado pelas Religiões Ortodoxas, se anteriormente já fomos julgados ? Será que se formos condenados ao "inferno" no primeiro juízo poderemos de lá sair quando do juízo final ? Ficam aí estas perguntas para quem quiser responder.

De você vem : "...Baseando-se em livrinhos controversos o senhor quer invalidar traduções consagradas pela crítica exegética mundial. O catolicismo não vem alterando traduções bíblicas como o senhor quer mostrar."

Por essas palavras, mais uma vez você opina sem fundamento, ou seja, você não leu os livros os quais tomei por fundamento e já deu o seu veredito ! Você é dessas pessoas que dizem : " Não vi e não gostei ". Ora, você acha então que um Livro que levou anos para ser escrito, foi baseado nas regras de transliteração obtidas nas normas gerais estabelecidas pela Academia de Língua Hebraica, e também no Sidur ( Livro de Orações Judaicas ), é um LIVRINHO CONTROVERSO ? Só se for porque você quer !!! Você não lê nada e ainda quer ter razão ? ? ?

Você diz : "...Condenação que se extende tanto a falsários quanto a necromantes, portanto condena-se não só a prática em si da necromancia, que basicamente é chamar os mortos, como também se condena intencionar fazê-lo. Condena-se o princípio, que é o mesmo."

Vamos a sua contradição : Se o catolicismo não acredita que possa haver comunicação entre os vivos e os chamados "mortos", como ele ( catolicismo ) pode proibir isso ? Como se pode proibir algo que não existe ?

É claro que a Doutrina de Kardec não recomenda a "consulta" aos mortos, se você ainda não sabe. O que se faz é a doutrinação dos espíritos impuros, e jamais seria permitido a consulta aos Espíritos para se saber do futuro, como fazem os necromantes e enganadores.

Quer um conselho ? Além de ler os textos do meu site, procure refletir um pouco sobre os fundamentos das argumentações. Dizer que reencarnações não servem somente para pagar pecados, porém depois da primeira encarnação, o motivo principal de se reencarnar é justamente evoluir, pagando pecados, e o motivo que faz com que cessem as reencarnações é justamente ter pago todos pecados, e portanto, haveria uma ligação fundamental, entre as duas concepções, tornado válida boa parte das argumentações do professor Orlando, é no mínimo uma visão estreita da realidade. Volto a repetir : O mal para nós seria a ausência do bem da mesma forma que a sombra é a ausência da luz. Como somos criados simples e ignorantes, é natural que, no início, não haja o bem em sua plenitude, que é adquirido conforme vamos evoluindo. Até lá o mal existirá em nosso meio, mas tenderá a desaparecer e será cada vez mais fraco conforme os homens se fortalecem no bem.

Você quer isentar o Vaticano e seus bilhões de dólares ? Quer dizer então que o maior representante do Catolicismo no mundo não deve ser levado em conta ? Afinal, de onde vem a doutrina que Você aprendeu ? Não foi do Palácio Papal ? Você acha que o montante envolvido é menor porque isso lhe causa desconforto, não é mesmo ? Bem, o luxo e o fausto das instalações dos Bispos e do Papa, os pátios do Vaticano, onde se encontram todos os símbolos de uma multinacional, com estacionamento repleto de Mercedes último tipo pretas, com motorista, dão uma PEQUENA AMOSTRA do Patrimônio da Cúria Romana.

Quanto aos Concílios, dizer que não foi bem como eu disse, é muito simplório. Tudo o que foi dito está baseado em Historiadores e Escritores idôneos. E a sua opinião contrária ? Está baseada em que ? Nos seus preconceitos e achismos ? Para católicos, quando se define uma verdade "Ex catedra" esta é definitiva. Isso demonstra mais uma vez que você aceita tudo o que vier dos "Papas infalíveis". Não vou aqui dizer sobre a teoria da fé cega, já citada anteriormente, pois não pretendo ofendê-lo. Os Católicos concordam com todas as imposições da Igreja. Eles devem dizer amém, amém a tudo o que vier da Igreja, não é mesmo ? Pois é assim que pensavam os religiosos medievais quando mandavam para o suplício da fogueira todos os que não concordavam com os dogmas Católicos. E o sacerdócio romano quer que TUDO continue da mesma forma. Que todos se calem, deixem de pensar e aceitem que os "infalíveis de Roma" pensem por nós.

E que Deus permita que a Sua Luz toque nossos Espíritos, nos dê humildade e compreensão para que assim alcancemos o entendimento verdadeiro da Sua Excelsa Justiça.

Jefferson



O SR. DIOGO RETORNA, COM MAIS ARGUMENTOS :


Prezado senhor jefferson Benneton

Gostaria de agradece-lo pela sua rápida resposta.

Farei breves comentários nesta réplica a sua resposta. O senhor afirma que Padres e Pastores não aceitam dialogar sobre a autenticidade dos textos bíblicos, bom.......... os que se auto-proclamam pastores não sei................ Porém os sacerdotes católicos, por serem em sua grande maioria formados em teologia dentre os quais pode-se certamente contar os maiores exegetas, dialogam é claro sobre a autenticidade dos textos bíblicos, no entanto, como já falei os pronunciamentos " Ex cátedra" são definitivos e isso não é fé cega, como o senhor e modernistas costumam dizer, simplesmente confiamos no pastoreio de Jesus por meio de seus representantes e não, presunçosamente, no nosso próprio umbigo como quer a gnose. Claramente que verificamos se há lógica, para tanto há a filosofia como já disse tão engrandecida pelo Catolicismo, não há contradição entre fé e razão, todavia a fé em última instância se debruça sobre o sobrenatural, que a razão devido a limitação humana não pode alcançar. Por sua vez a gnose quer um conhecimento pleno das verdades de fé pelas próprias faculdades cognitivas do ser, me faz lembrar serpente.

Novamente sobre traduções bíblicas:

Fala o senhor sobre a civilização medieval, interesses, má-vontade como se tudo indicasse uma conspiração para adulterar preceitos bíblicos, não concordo com esta TEORIA, porém que tal ler traduções antigas dos textos Sagrados como a vulgata, naquele tempo em que se morria pelo cristianismo, tempo de aurora, será que merece desconfiança também estes? Também preceitos bíblicos são corroborados pela tradição, são estas as duas fontes pelas quais se conhece o cristianismo, rejeita-las é rejeitar o cristianismo.

Quando falei que o senhor aborda temas correlatos sob diferentes âmbitos, quis que entendesse que não faz necessárias distinções, como se por exemplo, fosse um grande argumento contra a Igreja citar o que de errado fizeram seus filhos. Um sacerdote falou certa vez: Se a Igreja não fosse Santa os Padres já teriam acabado com ela. Não falei que os temas tratados são superficiais, mas a maneira que são abordados.

Quando falei dos milagres não quis que pensasse simplesmente em coisas inexplicáveis, mas além da inexplicabilidade falei de suas lições catequéticas claras e de sua continuidade como o tilma com imagem de N.S. de Guadalupe, estes acontecem exclusivamente em contexto cristão católico. Bem, o senhor respondeu que considera naturais, pois minha argumentação continua válida, se estes milagres tem explicação racional pode então se dizer que os fenômenos espíritas no futuro, alguns parapsicólogos dizem que já, podem ser facilmente atribuídos aos vivos como por forças naturais e não considerar explicações religiosas de qualquer monta. Como disse: Enquanto o catolicismo crê na revelação de Deus por Moisés e perfeitamente por Jesus Cristo colocando milagres como formas de corroboração da fé, os gnósticos, também espíritas, tem em seus fenômenos não uma forma de corroborar qualquer revelação mas como própria fonte desta.

Quanto aos desafios mundiais da parapsicologia? Sobre as senhas? Os 50 metros? Prefere o espírita citado em seu site dar respostas como: "Aceitando a proposição seriamente, nós sabemos dos inumeráveis impecilhos que se colocam a comunicação dos espíritos, ao problema da escolha dos médiums e a mudança de ponto de vista que o espírito sofre com a morte do corpo. E se Lobato tivesse se envergonhado “posmortem” de seu plano, que se tornou ridículo diante da exuberância de sua existência no mundo dos espíritos.”

Desculpe, mas essa resposta é uma das que falei anteriormente, torta. Quer dizer que só os espíritos dos ingleses desencarnados não sofrem “mudança do ponto de vista que o espírito sofre com a morte do corpo” já que eles nas revelações negam a reencarnação, não vêm eles “exuberância de sua existência no mundo dos espíritos”. É conveniente não é. Lobato nos privaria desta prova da comunicabilidade?, não se disporiam os espíritos mostrar?

Tem aproximadamente 40 anos estes desafios, ninguém que morreu quis mostrar? Transcomunicação é um fato comprovado? Peço encarecidamente que estude parapsicologia. Cita o senhor vários pesquisadores dos quais, me parece, que muitos são curiosos do assunto, alguns têm formação nos EUA, que é uma linha parapsicológica deficitária, se restringindo a documentação,e mesmo alguns europeus. Partem eles,citados, do pressuposto que há espíritos vagando no mundo material, metodologia péssima, se dizem cientistas mas fazem um tipo de teoria autoprobante. Parapsicologia é uma "ciência" nova portanto comum este tipo de coisa, talvez seja este um dos empecilhos que não permitem que se considere ela como ciência de fato.

Gostei de uma pergunta que fizeram ao senhor, repito. Se o Papai Noel aparecesse, numa transcomunicação, dizendo que é ele mesmo acreditaríamos? Não responda dizendo que seriam espíritos inferiores, péssima metodologia, quem acredita em papai Noel poderia dizer que quando não é o papai Noel, são duendes brincando.

Quando falei em revelações contraditórias, não sendo lógico seguir doutrina cujas revelações, justamente por serem múltiplas, não obedecem o princípio lógico da não contradição, o senhor citou feitos negativos na história do catolicismo, concordo que são contra fé professada, mas falei quanto a doutrina, parece não ter compreendido, ou não quis responder?

Perguntou o senhor: "Porque Deus faria milhares ou milhões de espíritos nascerem em corpos deformados? Por puro capricho?" Respondo: Deus não faz milhares de espíritos nascerem em corpos deformados, ele permite que nasçam por razões naturais, esta questão sobre os males do mundo é explicado de uma forma bem fácil por grandes filósofos e teólogos como São Tomás de Aquino, me sugere leitura, sugiro também que leia. Já a frase que o senhor chama de jargão foi dita por Cristo ou o senhor tem uma tradução própria para esta frase também.

Católicos não cobravam pelo perdão, este é um jargão, que mostra que desconhece teologia e história.

Quanto a frase de São Paulo repito, não faça malabarismos hermenêuticos. Não está escrito Morra uma vez por “cada” nascimento, mas taxativamente e claramente uma vez e depois se segue o juízo. Não há contradição nenhuma no juízo particular falado por São Paulo, em face a Parusia nos tempos finais, cada pessoa já é julgada quando morre, na Parusia seu julgamento é tornado "público", pelo fato de que seus pecados mesmo primeiramente contra Deus são contra seus "próximos".

Nas argumentações contra Montfort, o senhor não respondeu sobre o que falei quanto ao argumento sobre as proporções infinitas do pecado, méritos infinitos de Jesus. Sobre reencarnação repito, há uma ligação fundamental entre as duas concepções, reencarnar e pagar pecados, depois da primeira encarnação o motivo principal de reencarnaré evoluir, pagando pecados, motivo que faz com que cessem reencarnações é ter pago todos pecados, e também podem no entanto voltar a viver quando se sacrificam, para conduzir pessoas queridas. Costumam falar eufemisticamente quanto este assunto tentando persuadir leitor de que não é pagar, evolui-se, se fortalece no bem, porém pagando pecados.

Falarei sobre os concílios.

Orígenes (185-254) foi mestre de famosa Escola de teologia em Alexandria no séc. III. Nessa época, os pensadores cristãos tentavam penetrar nos dados do evangelho mediante o instrumento da filosofia ou da sabedoria humana (grega) anterior a Cristo. A teologia ainda estava em seus primórdios; as formulas oficiais da fé da igreja eram então muito concisa; em consequência, ficava margem assaz ampla para que o estudioso propusessem sentenças destinadas a elucidar, na medida do possível os artigos de fé.Orígenes entregou a essa tarefa, servindo-se da filosofia do seu tempo, em particular, da filosofia platônica. Ao realizar isso, Orígenes fazia questão de distinguir explicitamente entre PROPOSIÇÕES DE FÉ, pertencentes ao patrimônio da revelação cristã, e PROPOSIÇÕES HIPOTÉTICASque formulava em seu nome pessoal, a guisa de sugestões; além disto, professava submissão ao magistério da igreja caso esta rejeitasse algumas das teses de origem.

Nas proposições pessoais, Orígenes formulou algumas que de fato vieram a ser recusadas pelo magistério da igreja. Levado pelo platonismo que pregava que as almas humanas unidas na matéria são produto de um resfriamento do fervor de espíritos que Deus criou destinados a viver fora do corpo; a encarnação das almas, portanto, e a criação do mundo material dever-se-iam um abuso da liberdade ou um pecado dos espíritos primordiais que Deus terá punido, livrando tais espíritos da matéria. Note-se bem: Orígenes propunha idéias como hipóteses, e hipóteses sobre as quais a igreja não se tinha pronunciado (justamente porque pronunciamento sobre tais assuntos ainda não haviam sido necessário). Não havia, pois, da parte de Orígenes a intenção de se afastar do ensinamento comum da igreja a fim de constituir uma escola teológica própria ou uma heresia, porem por ter tido muitos admiradores e discípulos estes atribuíram valor dogmático quanto proposições do mestre.

Precisa-se notar também o seguinte: Orígenes admitiu como possível a pré-existência das almas humanas. Não significa necessariamente r!eencarnação com efeito ele, em certa passagem de suas obras considera a teoria do filósofo Basilides, o qual queria basear a reencarnação nas palavras de São Paulo : “Vivi outrora sem lei” “Rm 7,9” comenta a Orígenes: “ Basilides não percebeu que a palavra outrora não se refere a uma vida anterior de São Paulo, mas apenas um período anterior da existência terrestre que o apostolo estava vivendo; assim, concluiaOrígenes, “ Basilides rebaixou a doutrina do apóstolo ao plana das fabulas ineptas e ímpias” ( cf. IN ROM VIII).

Contudo os discípulos de Orígenes professaram como verdade de fé não somente a pré existência das almas ( delicadamenteinsinuada porOrígenes) mas também a reencarnação ( que o mestre nem se quer propôs como hipótese). Foram chamados origênistas. Tese da reencarnação, desde que começou a ser sustentada pelos origênistas, encontrou decididos oponentes entre os escritores cristãos, que a tinham como contraria a fé. Um dos testemunhos mais claros é o de Enéias de Gasa ( + 518), autor do “dialogo sobre a imortalidade da alma e a ressureição”, em que se lê o seguinte raciocínio:

“quando castigo meu filho ou meu servo antes, de lhe infligir punição repito-lhe várias vezes motivo pelo qual castigo, e recomendo-lhe que não esqueça para que não recaia na mesma falta. Sendo assim Deus não haveriade esclarecer culpados do motivo pelo qual são castigados?Haveriade lhes subtrair junto a recordação de sua falta, dando-lhes ao mesmo tempo a experimentar muito vivamente suas penas? Para que serviria o castigo se não fosse acompanhado da recordação da culpa? Só contribuiria para irritar o réu e leva-lo a demência. Uma tal vitima não teria o direito de acusar o seu juiz por ser punida sem ter consciência de haver cometido alguma falta?” ( Ed. Migne gr., t.LXXXV, 871).
Bom argumento não é?

Com o passar do tempo, a controversia entre os mongesda Palestina foi-se tornado cada vez mais acesa, exigindo em breve a intervençãodas autoridades. Foi o que se deu em 539: O patriarca de Jeruzalem mandou pedir ao Imperador Justiniano de Constantinopla o seu pronunciamento contra o origênismo ( naquela época os temas teológicos interessavam ao imperador tanto quanto as questões de administração pública). Justiniano, em resposta, escreveu um tratado contra orígenes , extremamente violento, enviou o seu tratado ao patriarca Menas de Constantinopla. Menas reuniu logo o chamado “sinodo permanente” ( conselho episcopal) de Constantinopla, o qual, por sua vez, redigiu e promulgou 15 Anatemas contra Orígenes.

O Papa Vírgilio e os demais patriarcas deram a sua provação a esses artigos. Como se vê, tal condenaçaão foi promulgada por um sinodo local de Constantinopla, reunido em 543, e não pelo concilio ecumênico de Constantinopla II, o qual só se realizou em 553. Neste concilio ecumênico, a questão da pré existência e da sorte póstuma das almas humanas não voltou a Baila; verdade é que orígenes foi condenado, neste concilio por causa de questões concernentes a Cristo.

Em conclusão,nesta questão: A dourina da reencarnação, nunca foi comum nem é primitiva no cristianismo por tanto na IgrejaCatólica ( verifica-se facilmente nos depoimentos dos antigos cristãos). Após orígenes ( séc.III), ela foi professada por grupos particulares de monges orientais, pouco versados em teologia , os quais se prevalecia de afirmações daquele mestre, exagerando-as ( daí a designação de "origenistas", que lhes couber).Mesmo dentro da corrente origenista a teoria da reencarnação não teve a voga que tiveram teses como pré-existência das almas. Foi condenada teses pelo seu teor contrário a fé cristã. Leia História da Igreja, Tuchle Bihlmeyer, também História da Igreja, Galli Grandi.

Que Maria Santíssima rogue por vós.

Despeço-me, Pereira Barreto, SP



O SR. DIOGO NÃO ESPERA MINHA RESPOSTA, E ESCREVE-ME NOVAMENTE NA MESMA DATA :


Na sua resposta o senhor fingiu não ver a argumentação que fiz sobre as traduções no que se refere aos textos que supostamente mostram a reencarnação e licitude da evocação dos mortos, não respondeu todos argumentos, e os poucos que respondeu o fez de modo crasso, como é típico de sua argumentação que mistura concepções em meio, é claro, da repetição fastidiosa de slogans contra o catolicismo.

Na resposta podemos ler: “se o catolicismo não admite a comunicação entre os vivos e os chamados mortos, como ele ( catolicismo ) pode proibir isso? Como se pode proibir algo que não existe?”

Respondo: primeiramente o catolicismo, desde a comunidade primitiva cristã, condena a evocação dos mortos, que difere da invocação, condena-se portanto que se CHAME os mortos, o que necessariamente não implica que ao serem chamados se manifestem. Como falei condena-se na Sagrada Escritura, (na tradução que o senhor quiser, seja a vulgata seja qualquer uma antiquíssima ou mesmo a que o senhor reproduziu em parte no seu site), o princípio que é o mesmo, por isso tal condenação se extende tanto a falsários quanto a necromantes e é justamente por que a palavra médium não existia no vocabulário do povo Hebreu que ela não está na “lista condenada”.

O Kardecismo usa convenientemente de eufemismos para ludibriar leitores quanto o sentido de proposições antigas, dando vestimenta nova a velhas doutrinas gnósticas todas já respondidas, em grande parte por cristãos primitivos como Irineu em “Contra as Heresias”, fala-se em evoluir, se fortalecer no bem, porém tudo isto se dá mediante o pagamento de pecados, mesmo no “livro dos espíritos” é usada palavra “castigo”.

Quando fala em, mal como falta do bem, está o senhor falando, já falado por Agostinho, bem anterior ao espiritismo.

Lê-se também na resposta: “Se os chamados milagres fossem algo sobrenatural, DEUS TERIA QUE INFRINGIR AS LEIS QUE ELE PRÓPRIO CRIOU, para realizar tais milagres, o que seria o cúmulo do absurdo!”

Respondo: quando o senhor segura uma caneta que está caindo, o senhor não está infringindo a lei da gravidade há somente uma força que faz com que a caneta não caia, do mesmo modo se procede em relação ao milagre, há uma força, não a quebra de uma lei.

Com teorias mirabolantes de uma conspiração na História, na tradução de Bíblias, típicas do romantismo, quer o senhor entre respostas estranhas quanto revelações particulares contraditórias mostrar a face do espiritismo, pois bem o conseguiu. Como ao espiritismo faltou-lhe firmes bases filosóficas, teológicas, talvez por querer conhecer um pouco de tudo, não se aprofundando em nada, jogando tudo no mesmo saco.

Respondeu questões filosóficas como por exemplo não ser lógico seguir doutrina cujas revelações, justamente por serem múltiplas, não respeitam princípios lógicos como da não contradição falando de matança de inocentes.

Cansei, não debaterei, quem sabe há outros com maior paciência,
Despeço-me,

Diogo Ferreira



PEÇO DESCULPAS AOS LEITORES, POR UMA RESPOSTA TÃO LONGA E EXTENUANTE, ENCAMINHADA AO SR. DIOGO :


Sr. Diogo Ferreira


Acredito que Você tenha percebido que o meu Site recebe várias visitas por mês ( o contador reflete isso ). Não são muitas, é verdade. O número situa-se em torno de 480 a 500 visitas mensais. Você imagine, pelo menos 5% dessas pessoas ( o que daria umas 25 pessoas ) enviando mensagens tão extensas quanto a sua. Havendo só eu para responder, imagino que não seja difícil para você entender que não disponho de tempo para atendimento imediato a todas as pessoas que me escrevem.

Antes de criticar os outros, penso que deveríamos olhar, primeiro, para as nossas próprias deficiências. Se Você acha que eu fingi que não vi a argumentação que você fez sobre as traduções no que se refere aos textos que mostram a reencarnação e licitude da evocação dos mortos, é porque faltou a você um senso crítico e apurada análise do conteúdo do Livro : Analisando as Traduções Bíblicas, de Severino Celestino. SE você tivesse se dado o trabalho de ler com mais atenção o Livro ( primeiro Você terá de comprá-lo, é claro ), veria que são pelo menos 42 ( as mais evidentes) as passagens da Bíblia que tiveram palavras grosseiramente alteradas para combater o espiritismo, temas, tanto do Antigo quanto do Novo Testamento, que envolvem Reencarnação, Lei do carma, Preexistência do Espírito e por incrível que pareça, na Bíblia há a comunicação com os mortos, ou seja :

A) Traduções tendenciosas e maldosas, introduzindo palavras estranhas ao texto original, das atuais Bíblias para condenar o Espiritismo, quanto à necromancia e adivinhos:

1) Levítico (19:31)
2) Levítico (20:6)
3) Levítico (20:27)
4) Deuteronômio (18:9-11)
5) Isaías (8:19)



B) Traduções feitas de forma a escamotear a volta do Espírito à carne :

1) Salmo (19:8)
2) Salmo 23
3) Êxodo (20:5 e 6)
4) Êxodo (34:6 e 7)
5) Números (14:18)
6) Deuteronômio (5:9)
7) Deuteronômio (24:16)
8) Jeremias (1:5)
9) Jo (8:8 e 9)
10) Jo (14:13 e 14)
11) Jo (19:25 e 26)
12) Jo (33:21-30)
13) Salmo (16:9 e 10)
14) Salmo (30:4)
15) Salmo (71:20)
16) Salmo (85:6-8)
17) Salmo (105:8)
18) Ezequiel (37:5 e 6)
19) Ezequiel (37:11-14)
20) Isaías (20:19)
21) 1 Co 15:35-58
22) Isaías (38-15)
23) Mt (17:10-13)
24) João (3:3-12)



D) Preexistência da Alma

1) Jeremias (1:5)
2) Malaquias (3:23)
3) Sabedoria ( 8:19)
4) Mt (11:12-14)



E) Lei do Carma

1) Mt (5:25 e 26)
2) Gênesis (9:6)
3) Deuteronômio (7:9-10)
4) Êxodo (21:12)
5) Jo (34:11)
6) Salmo (28:4)
7) Salmo (31:24)
8) Salmo (61:13)
9) Jo (21:17)



Não coloquei todas no meu Site em respeito aos direitos autorais da Obra do Escritor. Se quiser observar as traduções partindo do hebraico, dessas passagens, Você deverá comprar o Livro. Se não quiser comprar, para análise, ENTÃO NÃO CRITIQUE MAIS !!!

Talvez Você tenha fingido que não viu TODAS essas Passagens da Bíblia, aferrando-se e entrincheirando-se somente naquelas que lhe interessam, como a mal traduzida passagem do Deuteronômio que, segundo a SUA Bíblia Católica, 35ª Edição, do Centro Bíblico Católico, Editora Ave Maria, diz :

"Quando tiveres entrado na terra que o Senhor, teu Deus, te dá, não te porás a imitar as práticas abomináveis da gente daquela terra. Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo, à magia, AO ESPIRITISMO, à adivinhação ou a evocação dos mortos".

Pergunto-lhe mais uma vez E PELA ÚLTIMA VEZ : De onde os tradutores Católicos tiraram a palavra ESPIRITISMO, se esta NÃO estava nos texto ORIGINAL EM HEBRAICO ? ? ? Veja o texto em hebraico no meu Site e os significados correspondentes de cada palavra.

Quanto à palavra Médium, ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS : A Bíblia : Tradução do Novo Mundo, das Testemunhas de Jeová é a que cita a palavra Médium. Pensei que já tinha sido suficientemente claro no meu Site, mas pelo visto Você não entendeu uma coisa tão simples e direta.

Por oportuno, Você fingiu, ao ver no meu Site e não citar, alguns pronunciamentos do Papa e do Vaticano, para quem os católicos como Você devem respeito, sobre a comunicação com os "Mortos". Para refrescar sua memória, cito-os para Você :

O Papa João Paulo II, perante mais de 20.000 pessoas na Basílica de São Pedro, em 2 de Novembro de 1983, disse :

"O diálogo com os mortos não deve ser interrompido, pois, na realidade, a vida não está limitada pelos horizontes do mundo".

Além disso, O Padre Gino Concetti, fala do "Mais Além" de uma nova maneira. O Padre é irmão da Ordem dos Franciscanos Menores, um dos teólogos mais competentes do Vaticano. É comentarista do «Observatore Romano», o diário oficial do Vaticano. Sustenta ele que, para a Igreja Católica, os contactos com o "Mais Além" são possíveis, e aquele que dialoga com o mundo dos defuntos não comete pecado se o faz sob inspiração da fé.

Slogans contra o catolicismo ??? Ora, eu poderia, se quisesse, já ter citado frases que se perpetuaram na história do catolicismo, como a expressão utilizada, por ocasião da construção da Basílica de São Pedro, pelo cardeal João Tetzel que cobrava indulgências dos ingênuos da época para terem seus pecados perdoados ou então lembrar as palavras do Papa Leão X, o qual ensinava que uma pessoa rica poderia doar terras e bens materiais à Igreja e assim comprar um lote de terreno no paraíso ( SIC ). Mas isso poderia incomodá-lo, não é mesmo ? Pelo visto, quem desconhece a história é Você !

Texto sem contexto é pretexto para o erro. Se você se baseia exclusivamente nos ensinamentos da comunidade primitiva cristã, a qual condena a evocação dos mortos, seria mais prudente se desse uma olhada em :

1) Números 11:27 - Um jovem correu a dar notícias a Moisés: "Eldad e Medad, disse ele, profetizam no acampamento". Então Josué, filho de Nun, servo de Moisés desde a sua juventude, tomou a palavra : "Moisés, disse ele, meu Senhor, impede-os". Moisés, porém respondeu : "Por que és tão zeloso por mim ? Quem dera que todo o povo do Senhor profetizasse, e que o Senhor lhe desse o seu espírito !" E Moisés retirou-se do acampamento com os anciãos de Israel.

2) Gênesis 16:7-12 diálogo entre Agar, escrava egípcia, mãe de Ismael, o primogênito de Abraão, e o espírito enviado por Iahvéh.

3) Gênesis 18:1-3 Abraão é visitado por 3 espíritos que se apresentam como 3 homens e lhe anunciam o nascimento do seu filho Isaac.

4) Gênesis 32:23-33 A luta de Jacó com um Espírito materializado. Jacó deu ao lugar o nome "Peniel" que significa "Face de Deus"

Poderia citar mais, mas acredito que são bastante contundentes.

Modo crasso teve Você ao citar a sua dúvida quanto a Transcomunicação. Você se refere a vários pesquisadores do assunto como curiosos. Ora, quanta pretensão da sua parte !!! Dizer que a linha americana é uma linha parapsicológica deficitária, se restringindo a documentação, é de uma desinformação que chega as raias do cinismo. Você é Parapsicólogo ? Para se ter gabarito, objetivando criticar modelos de estudos de um País, que sempre levou a ciência a sério, deve-se, no mínimo, ser Phd em parapsicologia. Talvez Você seja um ganhador de um prêmio Nobel e eu não saiba disso ! Quanta honra conversar com tamanha celebridade !

Você me pede para estudar Parapsicologia ? E Você ? Por acaso é adepto das Teorias Quevedianas ? . O Padre Quevedo diz que "Deus", "a Virgem" e a "Ordem Sobrenatural", têm se manifestado abertamente, e que isto está "cientificamente" demonstrado. Isso parece mais uma asserção teológica e apressada, do que científica. Em nenhum de seus livros encontramos nem sequer as razões mínimas para dar apoio a estas informações tão categóricas. No entanto, Ele diz que elas estão "provadas", e nada menos que pela ciência ! O Padre Quevedo só não diz qual ciência, quando, como, quais cientistas, etc. Talvez Ele ache isso um detalhe sem importância.

Há razões mais que suficientes para concluir que Quevedo utiliza seus conhecimentos para justificar seus fortes preconceitos ideológicos e teóricos, os quais evidentemente guardam certo compromisso com determinadas doutrinas da Igreja Católica.

Ludibriar leitores quanto o sentido de proposições antigas é muito bem feito pelos tradutores das atuais Bíblias. Digo isso baseado nos estudos feitos da língua hebraica e Você diz isso baseado no seu inconformismo com a realidade, no seu modo incivil de se dirigir a mim, o que me confere o direito de tratá-lo da mesma forma.

Você cita Irineu ? Mas foi justamente o bispo de Lyon, Irineu, quem explicou os pitorescos critérios utilizados na escolha dos quatro evangelhos : ( reparem na fragilidade dos argumentos...) : "O evangelho é a coluna da Igreja, a Igreja está espalhada por todo o mundo, o mundo tem quatro regiões, e convém, portanto, que haja também quatro evangelhos. O evangelho é o sopro do vento divino da vida para os homens, e pois, como há quatro ventos cardeais, daí a necessidade de quatro evangelhos. (...) O Verbo criador do Universo reina e brilha sobre os querubins, os querubins têm quatro formas, eis porque o Verbo nos obsequiou com quatro evangelhos”.

Se Você se baseia NESSA pessoa para fundamentar suas justificativas, isso dá uma idéia bem clara da debilidade dos seus argumentos. Repito : Quem não conhece teologia e a história É VOCÊ. Aliás, eu não poderia esperar da sua parte, muita coisa além disso, levando-se em consideração ideologias que acham que a verdade é um Patrimônio exclusivo dos Sacerdotes e Papas infalíveis, muitos dos quais fizeram a doutrina que hoje, VOCÊ professa e venera, mesmo que estes Papas e Sacerdotes, no passado, tenham sido assassinos, dissolutos, gananciosos e tenham participado de orgias. Eles faziam guerra, elegiam os filhos bispos, tinham amantes, vendiam promessas de salvação eterna a ricaços que se dispunham a pagar por essa garantia. Basta examinar a ficha de um deles para ter boa idéia do conjunto.

Alexandre VI (1492-1503), o papa Bórgia, foi eleito para o trono de Roma por um conclave corrupto, teve quatro filhos ilegítimos e promoveu orgias no Vaticano. Foi acusado pelos contemporâneos de assassinatos e complôs. Ou então, para o seu conhecimento, em 1251, o Papa Inocêncio IV autoriza enfim a inquisição a praticar a tortura. A obtenção das confissões de culpa é grandemente facilitada. A inquisição pôde aplicar, com base em confissões arrancadas através de tortura, penas indo de uma simples oração ou de um jejum até à confiscação dos bens e mesmo prisão perpétua. Mas ela não podia condenar à morte. Com a subtileza característica da igreja católica, a inquisição podia "passar" um herege para a justiça comum, que o levará à morte na fogueira, com base na confissão obtida pela igreja, mesmo com tortura. Essa subtilidade permitirá à igreja afirmar que ela nunca matou ninguém...

Você ainda diz que um sacerdote falou certa vez: "Se a Igreja não fosse Santa, os Padres já teriam acabado com ela". Ora, quanta ingenuidade !!!

Talvez você ainda não tenha ficado satisfeito, com os relatos acima. Então observe :

O período mais tenebroso dos papas, 904-963 ficou conhecido NA HISTÓRIA como "PORNOCRACIA OU DOMÍNIO DAS MERETRIZES"

- O papa João XI era filho ilegítimo da Marózia amante do papa Sergio III, ano 941. - O papa João XII, ano 955 violava virgens e viúvas; conviveu com a amante de seu pai, fez do palácio papal um bordel e foi morto num ato de adultério pelo marido da mulher violada!

- O papa João XXIII, ano 1.410 (não confundir com o... João XXIII mais recente), talvez foi o pior deles! Mulheres casadas foram vítimas de seus galanteios; mais de 200 freiras e donzelas foram violadas por esse papa; comprou a posição que ocupava e não cria na eternidade! - Outro papa, PIO II, ano 1.458 além de sedutor era corrupto; ensinava jovens a praticar atos obscenos e o papa Inocêncio VIII, ano 1.484 teve 16 filhos com mulheres casadas !

- ALEXANDRE VI, ano 1.492 foi um papa que fez tudo o que não se deve fazer; Para conhecê-lo basta estudar seu relacionamento com Lucrécia Borgia, assunto que não nos é possível mencionar. - No seu "Reinaldo" todos os clérigos tinham concubinas. Quem for visitar o Vaticano hoje poderá dar uma olhada nos aposentos desse papa. - Uma raridade! - Horresco referens!

- Em 1.513 ocupava o trono papa Leão X: foi quando Lutero começou a Reforma; esse papa reunia cardeais e reis praticando passa-tempos voluptuosos servidos por enorme criadagem.

- Os bispos de Orleans referindo-se aos papas João XII, Leão VIII e Bonifácio VII chamou-os de "Monstros cheirando imundícias!" - O papa Marcelo II, ano 1.555 dizia "Não sei como um papa poderá escapar da condenação do inferno!" (Vital de Marcelo, pag. 132).

- Santo Ulrico, bispo de Augsburgo disse que "O papa Gregório ordenou que esvaziassem um aquário num convento de Monjas e encontraram 6 mil esqueletos de recém-nascidos!" - Diante desse horror esse papa aboliu o Celibato mas seus sucessores restabeleceram-no (Conversações de Mesa no DCCLXII Luther). - Pio IX fez uma bula ordenando que "Todas as mulheres violadas pelos padres apresentassem acusação" os casos foram tantos, só em Sevilla, que abandonaram os processos! (CHINIQUI, Pg. 44).

- O genial poeta italiano Francesco Petrarca, humanista, um dos iniciadores da Renascença, ano 1304 descreveu o Vaticano como "Babilônia infernal que impesteia o mundo inteiro... cárcere indecente onde nada é sagrado. Habitação de gente de peitos de ferro, ânimo de pedra e Víscera de fogo!" (Epístola de Petrarca nº. XII). - DANTE, NA "DIVINA COMÉDIA" supôs uma voz do céu lamentando a situação da Igreja que dizia: "Oh, Nave Minha que carga ruim tu levas!"

- Presentemente surgem notícias de que "O Vaticano reembolsa despesas com pílulas anticoncepcionais de seus funcionários." (E.S.P. 23-3-82).

- A Igreja Católica Romana começou a ser contida em suas mazelas pela expansão de outras igrejas Cristãs, pela difusão da Bíblia e pelo grau de civilização e cultura que o mundo alcançou.

E não me venha dizer que a Igreja é pura ou que a doutrina é incorruptível, pois afinal de contas, quem faz a doutrina e as normas da Igreja ??? Não foram os "Santos Papas" e seus asseclas ? Mas talvez você se esconda atrás da argumentação de que tudo isso é passado e não faz parte dos ensinamentos católicos. Muito bem. Mas o Vaticano de hoje não conseguiu convencer ninguém acerca da morte de João Paulo I. John Cornwell, em seu livro "Um Ladrão na Noite", que a Viking lançou na Inglaterra (1989), e cujo tema é a morte, até hoje não convenientemente esclarecida, do Papa João Paulo I.

John Cornwell escreve: "Esta é a história de uma investigação das circunstâncias da morte súbita do Papa João Paulo I (...) e as alegações de que teria sido assassinado por altos prelados da Igreja Católica Romana". O Vaticano esperava que o autor obtivesse provas conclusivas da falsidade dessas teorias. O primeiro encontro de Cornwell foi com o Arcebispo John Foley, presidente da Comissão de Comunicação Social, "um homem grande e calvo (...) o rosto inocente e redondo como uma bolacha". Depois de uma troca de amenidades, Foley surpreendeu o autor, dizendo: "Há quem diga que o Papa João Paulo I foi envenenado por um de nós, aqui, no Vaticano. Um de nós esta sendo apontado como suspeito principal. E pena que alguém como você não escreve a verdade sobre o que realmente aconteceu (...) Estou certo de que seria mais interessante do que toda essa ficção sensacionalista."

Na quinzena que se seguiu a morte do papa choveram declarações porta-vozes do Vaticano, de membros da papal, e de importantes testemunhas, oficiais ou não. Nessas declarações, Cornwell detectou dez contradições que persistem até hoje e que envolvem um grave desacordo a respeito dos seguintes pontos :

1 - Quem encontrou o corpo?
2 - Onde o corpo foi encontrado ?
3 - A causa oficial da morte.
4 - A estimativa da hora da morte.
5 - A hora e a legalidade do embalsamamento.
6 - O que o papa tinha nas mãos no momento da morte.
7 - O verdadeiro estado de sua saúde nos meses anteriores à sua morte.
8 - O paradeiro dos objetos pessoais do papa que estavam na alcova papal.
9 - Se a Cúria havia ou não ordenado e realizado uma autópsia secreta.
10 - Se os embalsamadores haviam ou não sido chamados antes de o corpo ser oficialmente encontrado.


Os boatos de que João Paulo I teria sido assassinado começaram a circular no dia mesmo de sua morte. Uma das primeiras suspeitas foi levantada por uma organização ligada ao ultratradicionalista Arcebispo Lefebvre: o papa fora assassinado por "liberais" da igreja católica, porque planejava abolir as modificações introduzidas pelo Concilio Vaticano. Algumas das discrepâncias acima citadas não haviam escapado à atenção do grupo.

A Rádio Vaticano anunciou no dia 29 de setembro que ao morrer, o papa lia A Imitação de Cristo, popular obra de devoção dos católicos. Outras fontes disseram que se tratava de sermões e discursos ou, alternativamente de um discurso que iria proferir ante uma assembléia de jesuítas. A agência noticiosa italiana ANSA por sua vez, afirmou que o corpo não fora encontrado pelo secretário papal. Padre John Magee, mas por uma irmã. Vincenza, que trazia o desjejum do pontífice, e que seus restos mortais foram descobertos, não às 5h3Omin, mas às 4h3Omin. Que teria acontecido nessa hora crucial ?

Mas o despacho mais estranho, também divulgado pela ANSA dizia que os embalsamadores, os irmãos Ernesto e Renato Signoracci, foram apanhados em suas casas por um carro do Vaticano às cinco horas da manhã e levados diretamente à morgue da pequena cidade-estado, onde começaram o seu trabalho. Em outras palavras, os irmãos haviam sido chamados antes da descoberta oficial do corpo, MAS, estranhamente, o Vaticano nunca se pronunciou a esse respeito.

A teoria da conspiração dos tradicionalistas continuava a vir à tona, até atingir um bizarro auge em 1983, no livro de Jean-Jacques Thierry, A Verdadeira Morte de João Paulo I segundo o qual o secretário de Estado, Cardeal Jean Villot, teria colocado um sósia no lugar de Paulo VI e de ter planejado o assassinato de João Paulo I, depois de o infeliz papa ter descoberto um ninho de maçons no Vaticano.

No mesmo ano foi publicado Pontífice, de Max Morgan-Witts e Gordon Thomas, que também defendia a teoria do assassinato, sugerindo que se tratava de um boato circulado pela KGB para desacreditar o Vaticano. Também em 1983 surgiu um roman-à-clef, intitulado A Batina Vermelha, do francês Roger Peyrefitte, que combinava uma trama da KGB com uma conspiração da Máfia, os maçons e o Banco do Vaticano. Usando para os seus personagens pseudônimos mal disfarçados (o Arcebispo Paul Marcinkus, por exemplo, chama-se Larvenkus), Peyrefitte sugere uma reviravolta na motivação: o papa não era um reacionário morto por liberais. Ao contrário: era um reformador liberal decidido a acabar com a corrupção.

O pano de fundo da intriga era baseado em fatos bem conhecidos. O Banco do Vaticano tinha de fato fortes elos com Roberto Calvi, o ambicioso presidente do Banco Ambrosiano de Milão. Calvi, por sua vez, estava ligado a Michele Sindona, um advogado e financista siciliano, que estivera preso nos Estados Unidos e na Itália por estelionato. Ambos eram amigos do presidente do Banco do Vaticano, o notório Arcebispo Paul Marcinkus, e estavam associados a Licio GeIli, um financista italiano que controlava a loja pseudomaçônica P-2.

No dia 17 de junho de 1982, após o colapso do Banco Ambrosiano, Calvi foi encontrado enforcado debaixo de uma ponte em Londres. Até hoje não se sabe se foi suicídio ou assassinato, e, em 1986, Sindona morria envenenado numa prisão italiana. Em fins de 1987, Gellífora extraditado da Suíça para Itália, onde era procurado pela Justiça. No relato de Peyrefitte, Marcinkus e Villot assassinam o papa com veneno injetado. Ao crime estão associados Calvi, Sindona e Gelli. O motivo imediato dos prelados era evitar a sua demissão. No caso de Marcinkus, sua exoneração teria posto a descoberto o envolvimento maior do Banco do Vaticano em extensas negociatas com a Máfia e os maçons.


***


Então, é essa a cúpula que distribui a cristandade católica pelo mundo ? E que Você venera tanto ? Acho que não preciso fazer mais referência ao maior representante do catolicismo no mundo, o Vaticano.

Você ainda quer falar mal do Kardecismo ? Ora, volte-se para a sua própria consciência e reconheça a fragilidade da sua doutrina. E NÃO VENHA ME DIZER que os homens é que são corruptos, mas que a Igreja é Santa. Isso não convence nem os mais incautos. Vocês católicos costumam se esconder atrás da pessoa jurídica da Igreja, para escamotear as mazelas que fazem parte da história do catolicismo. Assumam, e com dignidade, os erros que enlamearam a sua doutrina.

Mudando de assunto, quando falo em mal como falta do bem, já falado por Agostinho, é sinal que nem tudo está perdido na Igreja. Afinal, também houve pessoas de bom senso nessa Instituição. Mas que NÃO são possuidoras de verdades e de fatos tão óbvios como este.

Talvez Você se ache superior a escritores e historiadores idôneos, em cujos relatos foram baseados boa parte da história da Igreja Romana, contidos no meu Site. Mas quando Você diz que esses registros revelam teorias mirabolantes de uma conspiração na História, na tradução de Bíblias, típicas do romantismo, respostas estranhas, revelações particulares contraditórias, etc, etc, Você apenas expõe A SUA PRÓPRIA OPINIÃO, que evidentemente é super válida para VOCÊ MESMO, o que demonstra, cabalmente, o seu inconformismo com a realidade da SUA Igreja.

Talvez as questões filosóficas como não ser lógico seguir doutrina cujas revelações, justamente por serem múltiplas, não respeitam princípios lógicos como da não contradição falando de matança de inocentes, tenha sido pouco para Você. Afinal, a sua doutrina pode não dar muito valor à vida. Porém, neste meu e-mail, acredito que eu tenha falado mais do que matanças feitas pela Igreja, o que já não seria pouco.

Parece que Você sabe copiar bem, no meu Site, as respostas dos assessores do Padre Quevedo, quando diz acerca dos milagres, ou seja :

"Respondo: quando o senhor segura uma caneta que está caindo, o senhor não está infringindo a lei da gravidade há somente uma força que faz com que a caneta não caia, do mesmo modo se procede em relação ao milagre, há uma força, não a quebra de uma lei."

Isso, além de não explicar nada, não contradiz o que pensamos a respeito de milagres. Reafirmo : É uma ocorrência natural. Não existem Milagres. O que existem são Leis desconhecidas. Ou Você acha que a Ciência não precisa mais fazer pesquisas ? Achas que o Homem já conhece Tudo ???

Para você, os sacerdotes católicos, por serem em sua grande maioria formados em teologia dentre os quais pode-se certamente contar os maiores exegetas, dialogam sobre a autenticidade dos textos bíblicos, no entanto, como você disse, os pronunciamentos "Ex cátedra" são definitivos e isso não é fé cega, como o eu e modernistas costumam dizer.

Ora, isso não é fé cega simplesmente porque ter que admitir que se possui uma fé cega, os incomoda, e muito. Se Vocês confiam no pastoreio de Jesus por meio de seus representantes deveriam pensar mil vezes antes, já que os seus "representantes de Jesus" são do naipe de um papa Sergio III, ano 941, amante de Marózia ; papa João XII, ano 955, o qual violava virgens e viúvas ; papa João XXIII, ano 1.410 (não confundir com o...João XXIII mais recente), que violou mais de 200 freiras e donzelas ; papa, PIO II, ano 1.458 além de sedutor era corrupto; ensinava jovens a praticar atos obscenos e o papa Inocêncio VIII, ano 1.484 teve 16 filhos com mulheres casadas ; papa Leão X, que em 1.513, reunia cardeais e reis praticando passa-tempos voluptuosos servidos por enorme criadagem. Isso tudo sem contar as atitudes mais do que suspeitas dos Bispos do Vaticano, os quais colaboraram e colaboram na elaboração das minutas da sua doutrina, os quais conspiraram a morte de João Paulo I, etc, etc.

Ora, você cita a Vulgata como insuspeita ??? Quanta contradição !!! Quanta desinformação !!! Pois se foi o próprio tradutor do Grego para o Latim, São Jerônimo, quem colocou dúvidas na sua própria tradução, ao escrever para o Papa Damaso.

Preceitos bíblicos corroborados pela tradição da sua Igreja, pelos quais se conhece o cristianismo ( Você deveria dizer Cristianismo Católico ) não passam de Cultos, Rituais, adoração de imagens, vida contemplativa e ascética, celibato, e dogmas instituídos muitos anos após a morte de Cristo, como Sacramentos, Confissão, Purgatório, Limbo, etc.

Os rituais religiosos fizeram e fazem muitos cristãos acreditarem, a exemplo dos antigos Judeus, que suas salvações estariam asseguradas apenas pelas práticas exteriores. Igrejas suntuosas, com sacerdotes usando finos paramentos, são criações e adições do Homem à Lei de Deus. Jesus fez alusão a esse fato quando disse : "Toda planta que meu Pai Celestial não plantou, será arrancada. Deixai-os ! São cegos que conduzem cegos. Se um cego conduzir outro cego, ambos caem no fosso !" (São Mateus, Cap. XV, v. de 1 a 20).

Os fenômenos espíritas são fenômenos naturais, mas não porque alguns parapsicólogos dizem que podem ser atribuídos aos vivos. Parece que VOCÊ FINGIU não ver a minha recomendação sobre a ANT - Associação Nacional dos Transcomunicadores, a qual é DESVINCULADA DE QUAISQUER RELIGIÕES, reunindo cientistas do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas, de São Paulo, participações em Congressos de Psicotrônica, Laudos Científico (emitido por especialista da USP, convênios com a IONS - Institute of Noetic Sciences, da California - USA, etc :

ANT - Associação Nacional dos Transcomunicadores


Agora, se você quiser continuar a achar que tudo não passa de engodo, que os pesquisadores do assunto são apenas curiosos, que a linha americana é uma linha parapsicológica deficitária, se restringindo a documentação, é problema da SUA frustração com a Ciência, reconhecida e praticada por um dos maiores Centros formadores de cientistas do País, como foi o caso de Hernani Guimarães, o qual dirigiu os primeiros pós-graduados em Psicobiofísica do grupo de Pesquisas Psicofísicas da USP em 1997, e autor das obras : Psi Quântico, uma extensão dos conceitos Quânticos e Atômicos à idéia do Espírito. São Paulo, 1989 e A Transcomunicação através dos Tempos. São Paulo, 1996.

Torta foi a sua visão, quanto aos "desafios" da parapsicologia, senhas, 50 metros, etc, reafirmo : É muita ingenuidade supor que tal experimento seja possível de ser realizado sob uma ótica céptica ( e mesmo que fosse possível, sempre haveria explicações para continuar negando a existência dos Espíritos ). No Espiritismo já está claro que tais experimentos não podem se fazer numa abordagem neopositivista e mecanicista como a sugerida. Se assim fosse, não existiria nem Espiritismo nem Parapsicologia, pois os Espíritos seriam tão perceptíveis como os objetos tratados pelas ciências materiais.

O erro do desafiador está em supor que o fenômeno não existe só pelo fato da experiência não se produzir da forma tradicional. Ademais, na posição de desafiador, o experimentador perde seu senso de imparcialidade, o que impossibilita o exercício de uma dialética saudável, imprescindível para o avanço científico. Relembrando: O cientista - principalmente o Espírita - deve ser sobretudo imparcial, i.e., nem tanto dogmático, nem tanto céptico.

Tais desafios não se sobrepõem às experiências muito mais complexas realizadas Sônia Rinaldi, cientista, escritora e adepta da transcomunicação. Ela também se pronunciou a respeito desses "desafios". Eis suas palavras :


ABRE ASPAS :

... E se quer saber, com o montante de trabalho sério que fazemos, envolvendo cientistas de renomadas universidades, o fato de uma pessoa questionar ou duvidar ... pouca diferença faz para nós, concorda ?

Acho que a pessoa interessada tem hoje farta literatura para pesquisar e digo mais : Ela que faça os testes por si. Não é uma boa sugestão ? Esse tipo de pessoa sempre se acha muito esperta, e acha também que os outros sempre podem fraudar. E que ela explique O QUE NÓS GANHARÍAMOS COM ISSO ? ... Já que envolvemos tempo, dinheiro e pessoal.

Além disso, JAMAIS em momento algum permitiria que qualquer coisa duvidosa chegasse ao público. Diga ao Sr. C. Orlando ( assessor do Padre Quevedo ) que se informe primeiro... veja as bases documentais com que trabalhamos e que estão todas disponíveis ao público nos vários livros ... e aí sim ... poderemos considerar suas dúvidas.

Em particular sugiro que leia: "ESPIRITO: O DESAFIO DA COMPROVAÇÃO" - Ed. Elevação. Este foi trabalho que realizamos na USP.... Realizamos experimentos MUITO mas MUITO mais complexos do que o sugerido por ele. Esse livro representa a primeira tentativa feita no mundo de se colocar o Espírito dentro do laboratório, para autenticar a realidade da comunicabilidade interplanos.

... O único jeito é ir pelo caminho que estamos trilhando, que é a Ciência ( apesar da falta de apoio até dos espíritas ! ) Nessa fase estamos montando um grupo de cientistas, da USP, UNICAMP, IBM, INPE, etc, para autenticar, matematicamente, a veracidade dos contatos.

FECHA ASPAS.


Se você gostou de uma pergunta que me fizeram sobre se o Papai Noel aparecesse, numa transcomunicação, dizendo que é ele mesmo, demonstra inequivocamente o seu despreparo e imaturidade acerca do assunto. Pela enésima vez : Estude os princípios Kardecistas para depois emitir opiniões SÉRIAS sobre o assunto. O que Vocês chamam de demônios, nada mais são do que espíritos impuros que nos cercam, queira você ou não. E ainda tens a ousadia de dizer que quem acredita em papai Noel poderia dizer que quando não é o papai Noel, são duendes brincando ! Ora, se VOCÊ ACREDITA em Papai Noel, duendes, fantasmas, eu até entendo sua posição...

Sinceramente, não pude conter o riso quando li, em seu e-mail, que Deus permite milhares de espíritos nascerem em corpos deformados, por razões naturais. Já disse : Não estamos aqui para falar sobre hereditariedade ou má formação congênita. Estamos aqui para tratar acerca da Espiritualidade. A QUESTÃO É : Por que Deus colocaria espíritos para viverem uma vida inteira em corpos deformados e colocaria outros espíritos em corpos sadios ??? Quer dizer então, que Deus permite que espíritos nasçam, aleatoriamente, em situações dificílimas, simplesmente por mero acaso ? É essa a justiça de Deus ??? Enquanto uns têm vida saudável, outros são obrigados a se arrastar pelas ruas !!! Que noção deturpada da justiça divina, Vocês têm !!! Explicações desse tipo, como a de filósofos e teólogos (São Tomás de Aquino) só convencem pessoas de visão estreita e moldadas por Sacerdotes e "Papas infalíveis". Depois, você não quer que eu diga sobre a fé cega das pessoas ...

Já a frase que foi dita por Cristo sobre fatos que acontecem para que Deus manifeste sua Glória, cabe muito bem para Você, que acredita na Verdade como um patrimônio exclusivo dos católicos. Mas não foi o próprio Cristo que disse : " Se me amais, guardai os meus mandamentos; e eu rogarei a meu Pai e ele vos enviará outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco: - O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque o não vê e absolutamente o não conhece..." (S. JOÃO, cap.XIV, vv. 15 a 17 e 26.). Fica claro que A verdade não foi TODA revelada por Jesus. Muito há de ser conhecido. A verdade é revelada aos poucos, para não chocar os ignorantes !

Se você considera a minha explicação como malabarismos hermenêuticos, relativamente aos dizeres de Paulo ("O homem só morre uma vez" - Heb. IX, 27), sinto muito, pois nada posso fazer se a sua compreensão sobre os Textos Evangélicos é estreita e limitada a entendimentos literais da Bíblia. Qualquer pessoa de conhecimentos elementares, entenderia o que eu disse nas alíneas A,B,C,D,F,G,H, do meu último e-mail. Mas se Você não conseguiu entender... não posso fazer nada. Você não está levando em conta os ensinamentos do próprio Paulo, quando disse em II Coríntios 3:6, que não devemos nos ater a letra que mata em lugar do "espírito da letra que vivifica".

Se for assim, acho que você deveria levar "ao pé da letra" o que Jesus disse aos seus discípulos : " Seus discípulos então o interrogam desta forma: "Por que dizem os escribas ser preciso que antes volte Elias ? " - Jesus lhes respondeu: "É verdade que Elias há de vir e restabelecer todas as coisas: - mas, eu vos DECLARO QUE ELIAS JÁ VEIO e eles não o conheceram e o trataram como lhes aprouve. É assim que farão sofrer o Filho do Homem." - ENTÃO, SEUS DISCÍPULOS COMPREENDERAM QUE FORA DE JOÃO BATISTA QUE ELE FALARA. (S. Mateus, cap. XVII, vv. 10 a 13; - S. Marcos, cap. IX, vv. 11 a 13.) ( Destaques nossos).

Se aquelas palavras de Paulo estão claras para você, com muito mais razão estas Palavras de Jesus são também MUITO MAIS CLARAS, e dizem CLARAMENTE sobre a reencarnação de Elias, que volta como João Batista. Mas aí você vai alegar que Jesus quis dizer outra coisa, não é mesmo ? É sempre assim. Usa-se de todos os recursos para se negar a Reencarnação. Ora se interpreta de um jeito, ora de outro, dois pesos, duas medidas... etc,etc, etc.

Quanto ao argumento das proporções infinitas que tem o pecado, dizendo que Deus por sua infinita bondade não ligaria, é mais um fato não entendido por você, quando eu disse, e volto a repetir que a própria infinitude de Deus garante que nossas ofensas a Ele são ridículas e desprezíveis pois infinita é a sua capacidade de perdoar. Isso levado ao limite nos garante que Deus sequer se ofende perante nossos atos ingênuos e ignorantes, pois Deus nos ama, igualmente, em grau infinito. Agora se Você NÃO acredita na bondade infinita de Deus e na sua inquestionável justiça e compreensão, o problema é seu !

Reencarnar em condições sofredoras é um castigo e ao mesmo tempo aprendizado. Depende do modo como as pessoas enxergam a vida. A dor não tem finalidade punitiva, embora pareça, admito. No fundo ela é ilustrativa, de ensino. Obviamente ninguém quer sofrer e daí a eficácia da dor em nos impulsionar para o progresso. Suportar sim, mas não nos acomodarmos. Por favor, ENTENDA ISSO DE UMA VEZ POR TODAS !!!

Não vou aqui discutir as ideias de Orígenes e seus estudos. Apenas digo que, se Orígenes admitia a preexistência da alma (e isso, nem os católicos discutem), era sinal de que Ele admitia a ideia do espírito não ser criado no momento da concepção ( como querem os católicos ). O que já é meio caminho para o entendimento da Reencarnação, pois a pluralidade das existências tem como premissa básica a preexistência dos espíritos. Deve-se ter em conta a coerção que Orígenes sofria pelos seus opositores dentro da própria Igreja, e que detinham o poder para eliminar, até mesmo os exegetas. Daí seus pronunciamentos serem limitados, e certamente o foram devido às perseguições que sofreu. A Doutrina Palingenética, ou seja, da Reencarnação, foi muito familiar a Orígenes em sua fase de formação, e posteriormente ele viria a divulgá-la abertamente, e este foi um dos motivos pelos quais foi perseguido pela vertente católico romana. Morreu em 254 D.C, na cidade de Tiro, em virtude da perseguição de Décio, mais conhecido pelo nome de Trajano, o qual era um incansável opositor do Cristianismo.

Quanto aos testemunhos de Enéias de Gasa sobre a necessidade de se saber o motivo pelo qual somos punidos ou castigados, compreendo que este raciocínio é bem aceito por aqueles que DESCONHECEM os princípios elementares do Espiritismo, QUE É O SEU CASO.

Bem, passemos a análise : Um espírito ao reencarnar passa por um processo de ocultamento dos fatos passados, mas não o sentimento, caráter e personalidade que perdurou durante toda a sua vida. Se assim não fosse, como explicaríamos crianças, na mais tenra idade, demonstrar habilidades espantosas no campo artístico, intelectual, etc. Já ouvi falar de casos, e creio que muitas pessoas também já ouviram falar, de crianças com 3 ou 4 anos tocarem piano com uma destreza que poucos profissionais da área, com décadas de experiência, conseguem fazer.

Tivemos um caso em Minas, de uma criança com 5 anos de idade que demonstrava conhecimentos de Geografia, matemática e conhecimentos gerais que realmente não eram condizentes com os seus poucos anos de vida. Existem escolas para esses super dotados. Como explicar que alguns seres humanos demonstram habilidades muito superiores a média, e a demonstram já nos primeiros anos de vida ? É claro que os incrédulos e descrentes da reencarnação dirão que cada pessoa é diferente da outra, por isso, as aptidões são diferentes. Isso é uma explicação simplória e cômoda de quem se opõe, a qualquer custo e de todas as formas, à reencarnação, pois quando dizem isso, na realidade não explicam absolutamente nada !

Por outro lado, se caso recordássemos claramente o que fizemos na última Reencarnação, poderíamos, conforme cada caso, não ter paz e tranquilidade para levarmos nossa missão à frente.

Imagine que uma pessoa tenha assassinado uma outra pessoa, um inimigo, um concorrente, por um motivo fútil qualquer. Muito bem. Numa próxima encarnação, essas pessoas são postas para viverem juntas objetivando aplacar o sentimento de ódio e de vingança. Mas se elas soubessem que assassinaram ou foram assassinadas ? Elas poderiam viver num clima de harmonia, como manda a lei de Deus ? A pessoa que foi assassinada na outra vida não poderia, agora já na nova vida, despertar sentimentos de vingança para com seu algoz ?

Outro exemplo : Frequentemente nos deparamos com pessoas que vivem nas ruas, famintas e sem abrigo. São realmente pessoas carentes. Observo que são poucos os que param para dar uma esmola ou algum alimento. Esses poucos possuem sentimento de solidariedade e amor ao próximo. A maioria passa pelos mendigos e simplesmente os ignora, pensando consigo mesma : "Se eu der dinheiro, eles vão se embebedar, comprar tóxico, etc". Esse tipo de pensamento é cômodo, justifica a sua indiferença pelos mais carentes e alivia a consciência, não é mesmo ? Nem por um instante vem a mente dessas pessoas um sentimento fraterno de ajuda. Essas pessoas demonstram que não são capazes de agir, espontaneamente, com solidariedade e com amor ao próximo.

Mas se essas mesmas pessoas, com dureza no coração, soubessem que aquele mendigo (a) foi seu pai ou sua mãe na última encarnação, o que ele faria ? Certamente o acolheria. Mas isso seria realmente uma demonstração de amor ao próximo, como manda a Lei de Cristo ( amai-vos uns aos outros ) ou um sentimento exclusivo de filho para os pais ?

Jesus alude bem a esse problema. Observe as Suas Palavras em São MATEUS, cap. V, v v. 43 a 47 :

"Aprendestes que foi dito: Amareis o vosso próximo e odiareis os vossos inimigos.” Eu, porém, vos digo : "Amai os vossos inimigos; fazei o bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos perseguem e caluniam, a fim de serdes filhos do vosso Pai que está nos céus e que faz se levante o Sol para os bons e para os maus e que chova sobre os justos e os injustos. - Porque, se só amardes os que vos amam, qual será a vossa recompensa ? Não procedem assim também os publicanos ? Se apenas os vossos irmãos saudardes, que é o que com isso fazeis mais do que os outros? Não fazem outro tanto os pagãos ? "

Pergunto : Preciso dizer mais ?

Relativamente ao patriarca Menas, que reuniu o chamado "sinodo permanente” ( conselho episcopal) de Constantinopla, o qual, por sua vez, redigiu e promulgou 15 Anatemas contra Orígenes, vemos claramente quanto as teorias de Orígenes incomodava aos líderes religiosos da época. Daí o seu comportamento contido e limitado, na divulgação da Palingenesia.

Mais uma vez você demonstra não conhecer a história do Cristianismo. O Papa Virgilio não deu a sua aprovação a esses artigos, pois estava preso em Roma, a mando de Justiniano. Embora estivesse em Roma naquela época, o Papa Virgílio, sequestrado e mantido prisioneiro de Justiniano por oito anos, recusou-se a participar deste Concilio, quando Justiniano não assegurou o mesmo quórum de bispos representantes do leste e do oeste. Uma vez convocado, o Concilio só incluiu 165 bispos da Cristandade em sua reunião final, dos quais 159 eram da Igreja oriental. Tal fato garantiu a Justiniano todos os votos de que precisava. O Papa Virgílio só assinou bem depois, sob ameaças de Justiniano.

As condenações à preexistência da alma e a outras doutrinas de Orígenes só aconteceu no Sínodo regional de Constantinopla ( 543 D.C). Mas o mais grave foi terem anexado uma coletânea desse sínodo nos Cânones do V Concílio Ecumênico de Constantinopla (553 D.C), para conferir mais peso a tal coletânea. Em outros termos, juntaram a decisão do sínodo regional de Constantinopla, o qual só tem valor para a sua região, com as do Concílio Ecumênico de Constantinopla II (553). Quiseram dar a entender que as decisões regionais fossem universais !!!

Com isso, conclui-se, e com facilidade, que a reencarnação ERA SIM ACEITA NO CRISTIANISMO PRIMITIVO, anterior ao malfadado Concílio de Constantinopla.

Para terminar, se Você não gostou do meu Site, ou se sente incomodado com o seu teor, dou-lhe um conselho : Construa um, no qual você poderá escrever tudo a favor do Catolicismo. Mas é claro, não cite as mazelas a que me referi, pois isso iria desprestigiar a sua doutrina. Ou então procure um Site católico já pronto para o seu deleite. Nesses Sites, você só encontrará coisas boas a favor do catolicismo, jamais você encontrará as mazelas e a verdade sobre os papas corruptos que eu aqui citei. Pois assim procedem todos que professam a SUA doutrina : Faturam o que é bom e escondem o que é ruim, não é mesmo ??? Existem inúmeros na rede mundial. É só escolher.

Não vou mais perder meu tempo com indivíduos que externam sua inconformidade e descortesia com as outras pessoas e até com a Ciência. Espero que um dia, Deus possa iluminar nossas mentes para que não troquemos mais correspondências neste nível.

Jefferson














A Fé raciocinada e a Fé cega. O que significam ?            Padre Quevedo : Os seus Livros seriam os melhores do mundo ???            Assista ao Vídeo : O Vaticano já admite a comunicação com os Espíritos !!!            A lógica do Espiritismo frente à parapsicologia arcaica do Sr. Quevedo            Enfoques Religiosos e Científicos a respeito da existência de Adão e Eva            Católicos e Protestantes expõem seus argumentos contra o Espiritismo            Os originais em Hebraico e as divergências com as Bíblias atuais            Antigamente, a Igreja Católica aceitava a Reencarnação ...            Você sabia disso ???


PARA TOMAR CONHECIMENTO DESSES ASSUNTOS E MUITOS OUTROS, CLIQUE NO QUADRO ABAIXO :



Free Web Hosting